Celebridades

Como as elites internacionais têm bebés

Das “baby raves” privadas aos comprimidos de placenta, Nicole Mowbray dá-nos um vislumbre da vida das famílias mais bem relacionadas.

Os duques de Sussex com o pequeno Archie
Os duques de Sussex com o pequeno Archie Foto: Getty Images
05 de março de 2021

No dia 9 de fevereiro, o Palácio de Buckingham confirmou que a princesa Eugenie tinha dado à luz o seu primeiro filho, fruto do casamento com Jack Brooksbank. O novo rapazinho é o nono bisneto da rainha. Mas os membros da realeza e os super-ricos não têm bebés como nós. Não, eles têm uma rede de doulas e alas privadas nos hospitais, bem como responsáveis por ensinar as crianças a usarem o bacio, de modo a que a vida dos novos pais seja um pouco mais graciosa. Eis como tudo acontece.

A princesa Eugenie e o marido Jack Brooksbank na apresentação do filho recém-nascido à imprensa
A princesa Eugenie e o marido Jack Brooksbank na apresentação do filho recém-nascido à imprensa

Competição feroz

Gerad Kite, com os seus olhos brilhantes, tem a reputação de conseguir que as mulheres engravidem. De tal forma que o prestigiado praticante londrino da acupuntura dos Cinco Elementos de Worsley [tipo de acupuntura desenvolvida na década de 1960 a 1970 por J.R. Worsley e que integra a madeira, fogo, terra, metal e água, tratando-se de um método que se foca no equilíbrio dos fluxos energéticos do corpo] tem lista de espera para as suas consultas e cobra 350 libras pela primeira (e 225 libras a partir daí). Os resultados de Kite são numerosos e falam por si.

Leia também

Muitas mulheres, de Fearne Cotton a Mel C, confiam plenamente no seu método. E o seu livro intitulado The Art of Baby-Making: The Holistic Approach to Fertility foca-se numa reiniciação geral da saúde do organismo, de modo a estimular a fertilidade, em vez de se centrar em tratamentos de fertilidade.

Kite diz que quer que os casais "percebam que é uma função normal conceber e fazer um bebé – em nada diferente da função de digerir comida. Muitas pessoas têm problemas de digestão, mas não perdem a cabeça por causa disso. Simplesmente procedem a mudanças nos seus estilos de vida".

O único obstreta a quem telefonar

A verdadeira elite discreta de grávidas faz fila para ter consultas com o obstreta Nick Wales, da ala privada da maternidade do Chelsea and Westminster Hospital, a Kensington Wing.

Leia também

Descomplicado, afável e muito popular junto dos futuros pais e mães, a lista de clientes de Nick Wales transborda de celebridades, modelos e super-ricos, alguns dos quais viajam de outros países para poderem ter os seus bebés naquela unidade. Uma cesariana por opção, orientada por um consultor, tem um custo a partir de 10 mil libras, e são também disponibilizadas aulas pré-parto em horário ao final do dia.

"Não só os quartos são incrivelmente privados e confortáveis nesta unidade – os companheiros podem lá passar a noite –, como também a comida é boa", diz Wales. "Mas, contrariamente a outras maternidades de hospitais privados, a Kensington Wing está, literalmente, na porta ao lado da fabulosa unidade de cuidados intensivos para recém-nascidos deste hospital, e ao fundo do corredor das salas de cirurgia. As pessoas escolhem-nos porque, se surgir algum problema inesperado, sabem que estão no melhor local".

Doula para a duquesa?

Quando começaram a surgir rumores de que a duquesa de Sussex [Meghan Markle] queria dar à luz em casa, houve grande especulação de que tinha contratado a doula Lauren Mishcon (o seu marido é Oliver Mishcon, neto do solicitador Lord Mishcon, cuja sociedade de advogados tratou do divórcio da princesa Diana e do príncipe Carlos) para a ajudar e a Harry nesse processo.

Leia também

Não foi assim, diz Lauren Mishcon, mãe de três filhos a viver na zona norte de Londres, doula credenciada há 11 anos. Mas os rumores foram suficientes para catapultar os seus serviços ‘From tummy to mummy’ para a corrente dominante.

Outrora vistas com um exclusivo dos hippies, as doulas – profissionais em nome individual e não-médicas – tornaram-se uma moda na década passada e algumas delas conseguem agora receber até 2.000 libras pelo apoio "emocional e prático" dado a um casal durante a gravidez, nascimento e cuidados pós-natais, quer o nascimento aconteça em casa ou num hospital. As doulas oferecem afirmações e mantras positivos e recorrem a técnicas de relaxamento para ajudar as mulheres durante o trabalho de parto.

A fotografia de anúncio da segunda gravidez de Meghan Markle com o príncipe Harry
A fotografia de anúncio da segunda gravidez de Meghan Markle com o príncipe Harry Foto: Instagram @ misanharriman

Tomar comprimidos de placenta

Leia também

Ver a sua placenta ser liofilizada e transformada em cápsulas poderá não ser o assunto mais agradável para o almoço, mas fez manchetes quando Kim e Kourtney Kardashian se juntaram às defensoras desta prática. Elas não estão sozinhas. O processo é recomendado pelo Goop, o website de Gwyneth Paltrow, bem como por January Jones, Katherine Heigl, Alicia Silverstone e Padma Lakshmi.

Os seus defensores dizem que a placenta é rica em ferro e outros nutrientes e que ajuda as mães a recuperarem depois do parto. A Placenta Practice é a primeira empresa britânica autorizada pelo Gabinete de Saúde Ambiental a oferecer um "kit de recolha de placenta", por 50 libras, que mantém a placenta refrigerada até um máximo de 12 horas.

É recomendado que se coloque a placenta no frigorífico, o mais rapidamente possível, antes de a empresa chegar para a recolher e a transformar em cápsulas – e até mesmo em bálsamos para a pele ou em extratos que se podes adicionar depois a batidos (a partir de 200 libras).

Puxe o cordão de emergência

Leia também

Quer que a saúde do seu filho seja verdadeiramente à ‘prova de futuro’? A Smart Cells, um banco biológico privado com serviços licenciados, fundado em 2000, visa fazer precisamente isso através do armazenamento do sangue e das células estaminais dos cordões umbilicais dos bebés para serem usados de modo a criarem potenciais tratamentos que lhes podem salvar a vida – caso venham a ser necessários no futuro.

As células sanguíneas do cordão umbilical já revelaram ser capazes de se desenvolverem numa variedade de tipos de células, como células nervosas, células do tecido ósseo, células cutâneas, células cardíacas e células hepáticas, e existe a esperança de que possam ser usadas para reconstruir os sistemas sanguíneo e imunitário.

Parte do restante tecido que se encontra no cordão umbilical contém células estaminais que já mostraram ser capazes de reparar tecidos danificados e de reduzir a inflamação – trazendo esperança para problemas de saúde como Parkinson, diabetes e alguns tipos de cancro, bem como para outras doenças e acidentes vasculares. A Smart Cells opera em conjunto com muitas unidades de serviços privados de maternidades em todo o Reino Unido (2.150 libras, mais 100 libras por ano de taxa de armazenamento).

A encantadora de bacios

Ela ensina os filhos de toda a gente – desde os multimilionários russos até às celebridades, passando pelos comuns dos mortais – a usarem o bacio e cobra 500 libras por dia por esse privilégio. Mas, uma vez que a sua taxa de sucesso é de 100%, esse é um preço que muitos pais britânicos completamente stressados estão dispostos a pagar à especialista em treino na casa de banho Amanda Jenner.

Com uma rotina rigorosa e o seu próprio leque de merchandise e livros, Jenner diz que o seu regime consistente e simples dá às crianças as ferramentas para usarem sozinhas a casa de banho, e rapidamente.

As voltas do leite

O alarde em torno da amamentação não tem fim, mas, se você estiver a ter dificuldades nessa fase e dispuser de dinheiro, tem ajuda mesmo à mão. As treinadoras de lactação fazem furor junto de quem se vê mais aflita a dar de mamar, e é para a London Lactation Consultants que as abastadas londrinas da zona oeste se viram quando precisam.

Uma equipa de sete especialistas certificadas em amamentação está disponível para ajudar quando é chamada, seja na casa da cliente, através de telefone ou via Skype sempre que delas precise para darem conselhos sobre tudo o que tem a ver com a lactação, desde amamentar até usar uma bomba de leite (a silenciosa e portátil Elvie, a partir de 249 libras, que encaixa num soutien de amamentação e que pode ser ligada a uma aplicação no telefone, é a bomba tira-leite de eleição junto da elite). As visitas iniciais custam 150 libras.

Magos do sono

As Infant Sleep Consultants são um grupo de reconhecidas terapeutas do sono que trabalham com bebés e crianças com idades entre os seis meses e os seis anos, aconselhando os pais sobre inúmeros assuntos, como a que horas permitir que o seu bebé faça uma sesta, eliminar maus hábitos na hora de dormir e criar uma rotina.

Os pacotes vão desde o aconselhamento telefónico até consultas de 24 horas, nas quais uma consultora fica junto da família todo o dia e durante a noite para observar e oferecer ajuda antes de prescrever um plano personalizado de sono. Elas operam em quase toda a zona sudeste de Inglaterra. Uma consulta de 24 horas custa 680 libras.

Pertencer ao clube

O clube Cloud Twelve, só para sócios, que fica na zona londrina de Notting Hill, foi criado para as famílias e oferece um pouco de tudo, desde formação em comportamento de bebés até ao apoio no desmame, passando pelas massagens para bebés, raves para bebés, osteopatia craniana, babysitting e creche, dispondo até de um espaço interativo de diversão ‘a partir do nascimento’.

A privacidade impera – afinal de contas, os ricos e famosos não querem ser apanhados pelos paparazzi enquanto fazem malabarismos no ginásio dos bebés. Os preços dos pacotes variam, mas custa 10 mil libras por ano um dos pais e a criança usarem as instalações sempre que queiram. Os passes para os irmãos podem ser adquiridos por 40 libras por dia.

Fraldas de alta-costura

O uso das fraldas de pano reutilizáveis voltou a estar na moda devido às suas credenciais amigas do ambiente, e tem uma nova alcunha do século XXI a que estar à altura – "tecido para nádegas" [cloth bumming].

Marcas como a britânica Totsbots (17,99 libras por fralda) e a norte-americana Bumgenius (24,99 dólares) lançam padrões ‘colecionáveis’ de edição limitada que são rapidamente comprados e depois vendidos online muitas vezes por centenas de libras.

Os fãs são conhecidos por acumularem coleções de centenas de fraldas reutilizáveis – há até influenciadoras dos ‘tecidos para as nádegas’, como Cecilia Leslie, que conta com 25 milseguidores no Instagram (e o número não pára de crescer).

Uma fralda deste tipo da marca britânica Totsbots pode custar até €23,95
Uma fralda deste tipo da marca britânica Totsbots pode custar até €23,95

Pintura de príncipes

Só há uma maneira de pintar o seu quarto de bebé nesta década de 2020, é com tinta vegan, orgânica e não-tóxica (sim, nem toda a tinta é vegan, pois muitas usam leite ou cera de abelha como elemento de ligação). Na renovada Frogmore Cottage [a residência de Harry e Meghan no Reino Unido], Meghan Markle terá, ao que se diz, optado por cores neutras produzidas pela Organic & Natural Paint Co, que tem uma gama de tintas para quartos de bebé.

"Todos nós queremos o melhor início de vida para aqueles que amamos", diz a marca, "e é uma decisão muito sábia largar as tintas padrão, com petroquímicos cheios de toxinas". As latas de 2,5 litros custam a partir de 37,99 libras.

As queridas assistentes familiares

"Temos mais pedidos para assistentes familiares do que para amas", diz Stephanie Middleton, proprietária da TGNC, uma agência londrina de recrutamento de amas e au pairs. Middleton, que já foi ama e enfermeira numa maternidade, fundou a sua empresa em 2011 e a sua lista de clientes inclui atores, celebridades e apresentadores de televisão.

"As assistentes familiares funcionam como assistentes pessoais para toda a família", explica. "Elas encomendam manuais escolares ou uniformes, organizam os voos para as férias da família, esperam pelas entregas em casa, tudo isso enquanto cuidam das crianças. Embora não sejam governantas a tempo inteiro, as assistentes familiares também ajudam a limpar a casa e a fazer as refeições das crianças se necessário".

As assistentes familiares têm um salário inferior ao das amas (na TGNC, ronda o salário mínimo), mas algumas agências estipulam que a assistente deve viver na casa da família. As assistentes familiares só se adequam a crianças com idades acima dos dois anos. "Muitos dos nossos clientes pedem uma assistente familiar e uma ama para cuidarem em conjunto dos seus filhos mais novos", diz Middleton. 

Créditos: Nicole Mowbray/The Telegraph/Atlântico Press

Tradução: Carla Pedro

Saiba mais celebridades, elite, maternidade, mães, bebés, famílias, assistentes, obstetra, doula, acupuntura, placenta, cordão umbilical, amamentação, sono, fraldas, quarto
Mais Lidas