Celebridades

“Não queria continuar viva”. As revelações de Meghan e Harry a Oprah Winfrey

Meghan Markle contou que foi impedida de procurar ajuda psicológica porque "ficaria mal à instituição". O casal revelou ainda que surgiram preocupações com a cor de pele de Archie, e que este não teve o direito ao título de Príncipe.

A carregar o vídeo ...
08 de março de 2021

Foi para o ar na última madrugada a entrevista que prometia uma série de revelações sobre a família real britânica, a primeira de Meghan Markle e do príncipe Harry desde que se afastaram da realeza e se mudaram para os Estados Unidos da América.

Meghan Markle contou que as questões raciais na família real continuam a ser um problema e que pensou várias vezes em suicídio enquanto estava grávida do seu primeiro filho, Archie. No entanto, quando pediu apoio psicológico, a família real disse-lhe que não "ficaria bem à instituição." Uma reação inesperada tendo em que conta que os príncipes William e Harry e mais recentemente, William e Kate, têm feito dos temas relacionados com a saúde mental prioridades públicas.

A duquesa de Sussex contou ainda que vários elementos da família real mostraram preocupação com a cor da pele de Archie e que, por essa razão, não quiseram que este tivesse estatuto de príncipe, chegando mesmo a fazer vários esforços para que o futuro bebé real não tivesse nenhum título nem direito a segurança própria. Oprah não conseguiu disfarçar a surpresa com que recebeu esta revelação, mostrando-se visivelmente transtornada: "O quê? Quem foram essas pessoas?" pergunta, incrédula, a Meghan.

Visivelmente emocionada, Meghan Markle explicou que se sentiu abandonada pela família real perante os abusos da imprensa britânica, sentindo-se impotente, e que foi aconselhada a não sair de casa. "Tudo aquilo estava a acontecer simplesmente por eu respirar," recorda. "Não queria continuar viva. Foi um pensamento claro, real, assustador e constante." 

Leia também

Entre os vários exemplos do abuso dos tabloids britânicos, os duques de Sussex destacaram questões raciais. Meghan Markle lembrou também uma notícia que acusava de ter feito Kate Middleton, duquesa de Cambridge, chorar. Na realidade, contou, o que aconteceu foi o contrário, mas ninguém se preocupou em repor os factos. Kate pediu desculpa e enviou-lhe flores.

Lentamente, o príncipe Harry começou então a elaborar um plano para que a história da mãe, a princesa Diana, não se repetisse. Sobre o irmão, William, o príncipe descreveu uma relação que precisa de espaço, e expressou a desilusão em relação ao pai, o príncipe Carlos, que durante "uns tempos não atendeu as minhas chamadas," disse. "Existe muita mágoa."

Tanto Harry como Meghan Markle fazem vários elogios à rainha Isabell II, mas denunciam uma instituição conservadora e cruel. Desde cedo, foi dito a Meghan que não seria remunerada pela realeza britânica e que deveria continuar a sua carreira como atriz. Já Harry contou que deixou de ter qualquer relação financeira com a família real e que foi o dinheiro que herdou da mãe que lhes permitiu instalar-se nos EUA e negociar depois contratos com a Netflix ou o Spotify. O casal revelou ainda o sexo do bebé, que nascerá pela altura do verão.

Leia também
Mais Lidas