Atual

Verdade ou mito: é possível ser de dois signos?

A sabedoria popular acredita que sim por causa da calendarização do Zodíaco, mas os astrólogos tendem a contrariar esta ideia.

Foto: Pexels
18 de janeiro de 2023 Rita Silva Avelar
Se nasceu a 23 de julho, por exemplo, fica a dúvida se será do signo Caranguejo (22/6 a 22/7) ou Leão (23/7 a 22/8), uma vez que as datas nem sempre são iguais na calendarização de todos os astrólogos, e podem variar por um dia. Há um termo associado à astrologia que se chama "cúspide", o que significa que a sua personalidade não pode ser descrita por apenas um signo do Zodíaco e que a pessoa nasce sobre a influência não de um, mas de dois.

Mas alguns astrólogos negam esta teoria, como é o caso de Roya Backlund, correspondente da revista StyleCaster. "Embora sejamos encorajados a ser criativos com a nossa compreensão do Zodíaco e a aprofundar a linguagem do cosmos, existem certas normas que devem ser mantidas no âmbito do estudo da astrologia", afirma, e acrescenta: "O mapa natal está dividido em 12 secções separadas, cada uma representada por uma das 12 casas astrológicas. Estas representam um aspeto diferente da vida e cada casa é governada por um signo específico. A linha que separa uma casa da outra é aquilo a que se chama de cúspide", esclarece.

A explicação é, afinal, simples. Quando falamos em signo, falamos no signo solar - e porque o sol está numa posição muito específica no momento do nosso nascimento, só pode estar num signo solar de cada vez, defende a astróloga, que garante ainda que para sabermos ao certo o nosso signo verdadeiro, nestes casos dúbios, é preciso traçar o mapa astral. "Afinal de contas, se o sol entrasse em Virgem à tarde e a pessoa nascesse de manhã, isso significaria que ela seria um Leão! Mas se nascesse à noite, isso significa que seria Virgem."
Saiba mais
Mundo, Atualidade, Astrologia, Horóscopo, Astros, Signos, Previsões, 2022, Signos
Leia também
As Mais Lidas