Beleza / Wellness

7 mitos sobre a alimentação saudável para esquecer já

O mundo das dietas alimentares é vasto e muitos são os mitos que nele "habitam", por vezes levando os seus seguidores a experimentar rotinas perigosas para a saúde ou, no mínimo, ineficazes. Conversámos com duas nutricionistas para decifrar algumas das crenças mais comuns.

'Comer, orar, amar' (2010)
'Comer, orar, amar' (2010) Foto: IMDB/François Duhamel
25 de julho de 2022 Ana Filipa Damião

"Produtos detox e água com limão em jejum desintoxicam o organismo"

Ao contrário do que o próprio nome indica, estes produtos não desintoxicam. "Na realidade, o nosso corpo tem essa função garantida", explica Joana Jacinto, nutricionista. "O corpo humano tem mecanismos altamente eficazes encarregues de eliminar as toxinas através do fígado, rins, sistema digestivo e pulmões, que só deixam de funcionar se existir algum problema de saúde", completa Cátia Gouveia Miguel, nutricionista da Auchan. "A única coisa que se pode fazer para ajudar é ter uma alimentação saudável regularmente, sem esquecer de beber 1,5 litros de água por dia e fazer exercício."

Como tal, a ideia de que alguns alimentos têm prioridades que ajudam a desintoxicar o organismo acaba por não ser verdade, ou pelo menos não existem provas que o comprovem cientificamente. Os poucos estudos que existem foram, na sua maioria, realizados em animais, e as poucas investigações feitas em seres humanos relacionam doses muito altas de um alimento rico num certo componente que elimina determinada toxina, mas isto acaba por não acontecer pois a pessoa não ingere a quantidade necessária do dito alimento. 





"Açúcares não refinados são mais saudáveis do que os refinados"

Este é uma das conceções erradas mais comuns referentes à alimentação saudável, ainda que tenha o seu quê de verdade, diz-nos Joana Jacinto.

"O açúcar branco ou refinado tem um bocadinho menos minerais porque é "limpo", ou seja, depois de refinado, é só aquilo que sobra, enquanto que o de coco, o amarelo, o de beterraba, entre outros, tem vitaminas e mineirais na composição, embora em quantidades mínimas. Até porque, se estivermos à procura de minerais, podemos encotrá-los na fruta, nos legumes ou nos cereais integrais. O açúcar não refinado tem também uma absorção mais lenta no organismo, mas isto torna-se irrelevante comparando com a velocidade de absorção de outros nutrientes.

"Existe aqui um escape, porque as pessoas pensam que estão a comer um açúcar mais saudável e, se formos ver ao pormenor, é mesmo. Contudo, isto faz com que elas acabem por consumi-lo em maior quantidade ou mais frequentemente, pois estão livres do sentimento de culpa associado ao açúcar branco", o que deita por terra a sua vantagem. "O não refinado pode e deve ser sempre privilegiado, desde que se perceba que não é infinitamente positivo em relação ao branco."

"A água evita a celulite"

Não existe uma solução milagrosa para a celulite, uma preocupação que afeta cerca de 90% da população feminina, explica Gouveia Miguel."As suas causas ainda não foram totalmente esclarecidas, mas há indícios de que estejam ligadas a fatores genéticos, hormonais e ao sedentarismo. Por mais que queiramos, nem que bebamos litros de água por dia, vamos conseguir evitá-la. Aliás, existe ainda a hipótese da celulite estar ligada à retenção de líquidos, por isso, água em excesso pode também prejudicar o objetivo final."

"Posso comer muita fruta pois é um alimento saudável"

Embora seja saudável, não deve ser ingerido em excesso. A fruta está repleta de vitaminas, minerais e fibra, mas também de nutrientes como frutose, um açúcar simples que pode ser consumido diariamente, mas em porções cuidadas. Em última instância, a glicose de um bolo e a frutose de uma fruta terá o mesmo resultado final no corpo. O essencial é seguir-se uma dieta alimentar variada.

"O óleo de coco é mais saudável do que o azeite"

O óleo de coco tem ganho a sua quota parte de popularidade nos últimos tempos, embora o seu concorrente, o azeite, seja um ingrediente fulcral na gastronomia mediterrânica. O que distingue estes óleos vegetais não é o seu valor calórico - 1 caloria de diferença por colher de sopa – mas sim o tipo de gordura. O óleo de coco é maioritariamente constituído por gordura saturada, associada ao colesterol "mau", enquanto o azeite contém essencialmente gordura monoinsaturada, ligada à diminuição do colesterol "mau", além de ser uma boa fonte de vitamina E, que tem uma ação antioxidante.

"O estômago encolhe quando comemos menos"

O mito seguinte está relacionado com o tamanho do estômago - quando comemos muito, é possível que este aumente de tamanho, mas nunca o contrário. "O que geralmente acontece quando se adota uma dieta de emagrecimento e se ingere menor quantidade de alimentos é que o estômago acaba por adaptar-se e saciar-se mais rapidamente, reduzindo a produção de grelina, uma hormona que liberta quando está vazio e que leva à sensação de fome", explica Gouveia Miguel.

"Alimentos integrais, como pão e arroz, têm menos calorias"

O que nos leva a escolher alimentos integrais em detrimento da sua versão "normal"? O pão, a massa, o arroz e os cereais, integrais são mais saudáveis porque são ricos em fibra e não porque têm menos calorias. Inclusive, até podem conter um valor calórico superior - uma fatia de pão de forma branco possui 74 calorias, enquanto que o integral possui 100 - embora a presença de fibra faça com que algumas calorias não sejam absorvidas pelo organismo. 

Saiba mais
Saúde, Educação, Alimentação, Mitos, Açúcar, Nutricionista
Leia também
As Mais Lidas