Moda / Tendências

Os segredos e os bastidores de alta relojoaria da Vacheron Constantin

Christian Selmoni, diretor de estilo e património da marca de luxo revela segredos sobre sobre alguns dos modelos mais excêntricos da Vacheron Constantin, relata um dia na sua vida e conta histórias sobre colecionadores.

Foto: Vacheron Constantin
02 de maio de 2021 | Rita Silva Avelar

Entrevistámos Christian Selmoni via e-mail, como os tempos pedem, mas nem por isso deixamos de lhe denotar simpatia e carisma em cada palavra, tal como a paixão por aquilo que o move: o savoir-faire na alta relojoaria, e o amor pelos pequenos detalhes que fazem desta uma indústria de perícia, visão e perfecionismo.

Não tivesse Selmoni nascido numa família de relojoeiros, no Vallée de Joux, precisamente um dos locais históricos de nascimento da relojoaria suíça. Nos anos 90 chegou à Vacheron Constantin como diretor de administração de vendas (antes de se tornar diretor de compras dois anos mais tarde e depois diretor de produção e compras em 1996). Desde 2017 que assume a direção da Heritage & Style (Estilo e Património) tendo sido o diretor artístico da maison entre 2010 e 2017. Sabe, melhor que ninguém, uma boa parte da história da Vacheron Constantin e faz parte da sua evolução histórica e técnica.

Nasceu no epicentro da relojoaria suíça. Como foi crescer neste meio? Aprendeu esta arte desde tenra idade?

Como deve saber, tenho estado rodeado de relógios desde a minha infância. Nasci numa família de relojoeiros, e o meu avô tinha uma oficina no seu apartamento. Costumava passar horas, em criança, a ouvir as suas explicações e a observar as ferramentas que ele usava para montar e acertar o tempo...

Leia também

Como diretor de estilo e património da Vacheron Constantin, como é um dia na sua vida?

Estou [sempre] a partilhar o meu tempo entre "estilo" e "património", obviamente! Uma parte importante do meu trabalho é aproveitar o impressionante património e legado da maison, que é conservado numa quantidade excecional de documentos, cartas, esboços, fotografias e informações técnicas - sem esquecer todos os registos de produção desde os primeiros anos da Vacheron Constantin. Toda esta informação inestimável tem lugar nos nossos arquivos, o que representa nada menos do que 420 metros lineares! São uma fonte inesgotável de histórias, mas também o lugar que alimenta a criatividade dos nossos designers. Estou, portanto, a extrair dos nossos arquivos inspiração para os produtos de amanhã. Além disso, estou a gastar bastante tempo com o desenvolvimento de Les Collectionneurs, a nossa oferta de relógios de coleção. Através deste programa, propomos uma seleção dos melhores guarda-relógios de coleção da maison, cuidadosamente restaurados. Todos eles demonstram o valor a longo prazo de Vacheron Constantin, entre criatividade, design, tecnicidade... Finalmente, dedico também tempo para promover o espírito de Vacheron Constantin com a imprensa, clientes e colecionadores.

Overseas tourbillon em ouro rosa
Overseas tourbillon em ouro rosa

Como é que a Vacheron Constantin se estabeleceu equanto marca de luxo e como evoluiu ao longo dos anos?

Leia também

A Vacheron Constantin construiu o seu sucesso em dois eixos muito importantes. Em primeiro lugar, os seus valores universais. Ao mesmo tempo que criamos novos relógios, fazemos brainstorming, trabalhamos, quem quer que sejamos, relojoeiros ou marketing, vendas ou artesãos, temos incessantemente em mente as noções de excelência, requinte, exclusividade, ancoragem cultural e abertura ao mundo. Estas bases, herdadas diretamente dos nossos fundadores, guiaram a maison e as suas criações durante mais de 265 anos. Em segundo lugar, o seu compromisso com o design e a estética. A Vacheron Constantin tem um sentido único de beleza e originalidade, aquilo a que chamamos uma "reviravolta", que faz toda a diferença quando se trata de partilhar paixão e emoções.

Aos seus olhos, o que considera ser mais fascinante no mundo da alta relojoaria?

Para Vacheron Constantin, a alta relojoaria é uma combinação subtil de savoir-faire e inovação, artesanato e tecnicismo sob o teto da excelência. A indústria relojoeira representa mais de mil milhões de relógios por ano, dos quais apenas 25 milhões são produzidos na Suíça e apenas 500 mil podem reivindicar o estatuto de alta relojoaria. Dentro de um segmento já altamente exclusivo, a nossa maison está empenhada em oferecer o mais alto nível de qualidade, estética e perícia, assim como em manter um carácter único e sofisticado. E, de facto, desde há mais de 265 anos, a Vacheron Constantin tem procurado perpetuar estas competências e talentos transmitidos de geração em geração de relojoeiros e artesãos, e herdados dos tempos antigos.

Está na Vacheron Constantin há 30 anos, e passou por vários departamentos e títulos. O que mudou mais nesta indústria em três décadas?

Leia também

Muitas coisas mudaram em 30 anos! Em resumo, gostaria de mencionar no início o espantoso desenvolvimento de Vacheron Constantin e da alta relojoaria em geral. Há cerca de 30 anos, a relojoaria fina era considerada como uma atividade de especialistas, com uma clientela de - na sua maioria - pessoas apaixonadas. Contudo, desde o início dos anos 2000, a consideração do público pelos relógios de alta qualidade aumentou dramaticamente e hoje em dia o nosso público é muito maior do que era há cerca de 30 anos. O segundo aspeto tem sido a chegada de ferramentas 3D e software. Graças a tais tecnologias, fomos capazes de quebrar as barreiras e de alargar as fronteiras, quando se trata de concepção e fabrico de movimentos, e, claro, de aspetos de design. Foi um grande passo em frente, que nos permitiu criar e conceber relógios muito mais sofisticados - tanto do ponto de vista da conceção como do ponto de vista técnico - do que há 30 anos. Tornou possível a realização de incríveis relógios como o Tour de l'Ile de 2005, um relógio de 16 aplicações lançado para celebrar o 250º aniversário da maison... e, claro, mencionarei o Reference 57260, apresentado em 2015, que é hoje o relógio mais complicado alguma vez feito na história.

Christian Selmoni
Christian Selmoni

Hoje tem a missão de fundir o melhor do passado na relojoaria com a inovação do presente. É verdade? Como é que o faz?

Está a apontar algo verdadeiramente importante: este é o desafio diário dos nossos designers. Sendo uma maison relojeira com uma atividade ininterrupta desde 1755, a nossa missão é equilibrar as nossas tradições, algumas delas enraizadas no século XVIII, com as expetativas dos nossos clientes de hoje. Por outras palavras, Vacheron Constantin oferece relógios clássicos, elegantes e sofisticados, mas incorporando o melhor da técnica dos nossos dias. Não consigo encontrar um exemplo melhor do que o calendário perpétuo Traditionnelle Twin Beat: oferece uma reserva de energia sem precedentes de mais de 65 dias, graças a um sistema de escape duplo, num pacote muito compacto. O seu carácter inovador é combinado com uma estética clássica, inspirada nas belas criações da maison das décadas de 1930, 1940 e 1950.

Tem contacto com pessoas de várias áreas, por exemplo colecionadores de relógios. Tem alguma história interessante que possa partilhar?

Considero um privilégio estar em contacto com tantas pessoas, e as nossas discussões são sempre muito enriquecedoras. Ao pensar em histórias lembro-me que uma vez tivemos um pedido de um colecionador para uma peça única baseada no desenho do famoso cronógrafo Cornes de vache de 1955, um modelo icónico complicado, com poucos exemplares e feito na década de 1950. Disse aos meus colegas do departamento Les Cabinotiers, que trabalham por medida, que este desenho era demasiado importante para que a maison fosse redesenhada para um relógio único feito por encomenda. Por isso, não aceitámos o pedido do cliente. Alguns anos mais tarde, durante um evento em Genebra, um convidado veio ter comigo e disse "...portanto, você é a pessoa que recusou criar o meu cronógrafo único Cornes de vache!"

Les Cabinotiers: Tourbillon armilar calendário perpétuo – Planetaria.
Les Cabinotiers: Tourbillon armilar calendário perpétuo – Planetaria.

Égérie é a linha dedicada às mulheres. O que é que tenta condensar nestas coleções?

Lançámos Égérie como uma nova coleção dedicada às mulheres no ano passado. Contudo, gostaria de recordar que a maison sempre criou relógios para clientes femininas exigente: desde os primeiros relógios de bolso femininos introduzidos por volta da viragem do século XVIII até aos relógios de pulso contemporâneos, quer sejam objetos funcionais ou cerimoniais, joias ou relógios desportivos, as nossas criações femininas encarnam a evolução das sensibilidades artísticas, tendências de vestuário, bem como códigos e costumes sociais. Hoje, a maison já se dirige às clientes femininas através das suas coleções tais como Patrimony, Traditionnelle, Malte e Overseas.

E o que distingue essas coleções? Como as tornaram mais femininas?

Queríamos responder a uma procura crescente de um estilo feminino puro, versátil e delicado. A nossa resposta a isto foi a coleção Égérie, que teve imediatamente um grande sucesso. As indicações nos mostradores e nos círculos integrados são assinaturas de design provenientes das criações da maison do século XIX. A coroa, localizada às 1:30 do relógio, faz lembrar o famoso relógio americano de 1921. Reinterpretámos estas assinaturas imaginando uma exposição fora do comum ao brincar com uma linha diagonal começando às 1:30 com a coroa, continuando no mostrador com círculos entrelaçados (com a data ou fases da lua, dependendo do modelo), e terminando com o logótipo de Vacheron Constantin. Esta assimetria é o famoso clássico com uma reviravolta, assinatura da maison.

Égérie automático com pavé de diamantes.
Égérie automático com pavé de diamantes.

Que novidades há nas coleções da maison, para esta temporada?

A Vacheron Constantin revelou vários belos relógios das nossas linhas regulares, tais como Overseas e Egérie, mas também entre as ofertas mais exclusivas de Les Cabinotiers e dos Métiers d'Art. Não é fácil para mim escolher apenas alguns, mas vou cumprir com o exercício. Em primeiro lugar, gostaria de salientar o icónico Historiques American 1921, que celebra este ano o seu 100º aniversário com três novas versões. Este é um dos marcos mais marcantes do património da manufatura. A origem do relógio pode mesmo ser traçada desde 1919, pois foi produzido para o mercado americano entre 1919 e 1921 num número muito limitado de modelos (um total de 36 peças). Este relógio é uma mistura inteligente de sobriedade e irreverência num clássico.

Historiques American 1921
Historiques American 1921

O segundo relógio que eu gostaria de destacar é o Les Cabinotiers Armillary tourbillon calendário perpétuo Planetaria. Esta nova edição de peça única, altamente técnica, destaca a energia criativa de Vacheron Constantin orientada por uma identidade que celebra uma herança e se atreve com a apostar no inesperado. Incorpora o ADN e o savoir-faire de Vacheron Constantin como uma mistura de tradição e inovação: extraordinariamente complexo com os seus 745 componentes, o novo calibre mecânico de corda manual de 1991 é o resultado de um processo de desenvolvimento de quatro anos, vindo do próprio calibre 1990 inspirado pela tecnologia do relógio mais complicado de sempre, o Reference 57260. O calibre 1991 alimenta dois globos rotativos que representam os hemisférios da Terra, regulados por um turbilhão armilar de duplo eixo. É uma interpretação inovadora do calendário perpétuo, considerado como a complicação astronómica por excelência que "lê" as especificidades do calendário sem necessitar de quaisquer ajustamentos antes de 2100. Outra característica distintiva reside na tripla apresentação retrógrada dos dias, datas e meses do calendário perpétuo.

Saiba mais Vacheron Constantin, Christian Selmoni, Compras, Património, Estilo, Égérie, Traditionnelle Twin Beat, Egérie, Cornes, Les Cabinotiers, Overseas
Mais Lidas