Junte-se ao nosso canal de WhatsApp e aceda diretamente aos temas Máxima do momento. Seguir
Beleza / Wellness

Lábios sempre gretados? As explicações mais prováveis e as melhores soluções

Marta Ribeiro Teixeira, dermatologista, nomeia algumas das razões que levam ao problema e nove métodos para o evitar durante a estação fria.

Foto: Getty Images
11 de janeiro de 2024 Rita Silva Avelar

No inverno, a pele fica mais sensível ao frio, e como consequência assistimos a fenómenos como escamação, irritação, e até o indesejado efeito gretado. Acontece com os lábios, também. E se há realmente sensação de desconforto, é a de estar constantemente a procurar soluções para acabar com o problema sem resultados à vista, por mais batons que se apliquem, ou muitos litros de água que se beba. Marta Ribeiro Teixeira, dermatologista na Clínica Espregueira, no Porto, explica à Máxima que o fenómeno acontece realmente mais no inverno. "As baixas temperaturas e o tempo seco, característicos do inverno, deixam os lábios mais secos. Em casos mais extremos isto pode levar ao desenvolvimento de eczema, caracterizado por vermelhidão, descamação intensa, erosões (lábios gretados) e grande desconforto, afetando o bem-estar e a autoestima", nomeia.

Mas há mais factores que contribuem para esta situação? "A anatomia especial da pele dos lábios, que é mais fina e sensível, aumenta o risco de desidratação desta região. Além disso, a pele desta região apresenta uma menor quantidade de células como os melanócidos e queratinócitos, importantes na proteção contra a radiação ultravioleta, deixando assim os lábios mais expostos aos efeitos nocivos do sol durante todo o ano", esclarece a dermatologista. "Por outro lado, o contacto permanente com a saliva, alimentos ou pasta dentífrica; a toma de determinados medicamentos; o consumo insuficiente de água e, em casos raros, o défice de determinados nutrientes agravam a desidratação e irritação dos lábios" identifica.

Posto isto, como tratar e evitar os lábios gretados, de vez? Estes são os nove mandamentos de Marta Ribeiro Teixeira:

  1. Beber água suficiente para repor a quantidade de líquidos;
  2. Evitar o contacto repetido com a saliva. Tendo os lábios secos, deve evitar-se lubrificá-los com saliva, o que vai deixá-los ainda mais secos, tornando-se uma bola de neve;
  3. Não arrancar as peles mortas, visto que isto leva ao traumatismo sistemático desta região tão delicada, tornando-a ainda mais sensível;
  4. Usar um esfoliante labial ou um peeling - os tratamentos esfoliantes ajudam a eliminar a acumulação de células mortas, a diminuir e prevenir a descamação e a aumentar a eficácia dos bálsamos hidratantes. Devem ser usados esfoliantes suaves, próprios para lábios e evitar produtos agressivos não adequados para esta região. Estes devem já conter substâncias hidratantes e devem ser feitos uma a duas vezes por semana;
  5. Aplicar um sérum com ácido hialurónico, que vai hidratar os lábios e deixá-los mais suaves.
  6. Aplicar regularmente um bálsamo hidratante nos lábios, dando preferência a produtos à base de manteiga de karité, ceramidas, ácido hialurónico, vitamina E, e pantenol. Em casos de lábios extremamente secos podem ser usados produtos à base de vaselina.
  7. Usar protetor solar durante todo o ano – a radiação ultravioleta aumenta o também risco de desenvolvimento de cancro da pele do lábio, sobretudo do lábio inferior, mesmo no inverno. Além disso, o fotoenvelhecimento causado exposição solar, torna a pele mais seca e menos capaz de se proteger das agressões externas.
  8. Usar uma máscara labial uma vez por semana, para uma hidratação mais intensa.
  9. Hidratação labial com recurso à injeção de ácido hialurónico. O preenchimento labial é um dos procedimentos mais populares na área da medicina estética. Além de aumentar o volume dos lábios, o ácido hialurónico atrai moléculas de água, levando à sua hidratação de forma muito eficaz e deixando-os com uma aparência mais saudável. Na verdade, muitos pacientes recorrem à minha consulta para o preenchimento labial apenas com o objetivo de uma hidratação profunda.
Saiba mais
Beleza, Educação, Skincare, Inverno, Lábios, Seco, Dicas, Dermatologista
Leia também

O que acontece à pele quando deixamos de beber álcool?

A propósito do Dry January, iniciativa que promove um início do ano sem bebidas alcoólicas, perguntámos a uma dermatologista e a uma nutricionista que efeitos positivos tem a pausa neste consumo para o organismo. E que consequências tem a continuidade.

Debate. O que é que o nosso cabelo diz sobre nós?

Símbolo de poder, beleza e crenças religiosas, eco da nossa identidade pública e privada, desde sempre que o cabelo é tanto uma forma de expressão quanto de julgamento. Duas mulheres refletem sobre a sua relação com o seu.

As Mais Lidas