“Não podemos desanimar ou aquilo que fazemos perde sentido"

Se uns viram as suas vidas estagnadas com a chegada de um vírus que se tornou uma preocupação global, outros chegaram-se à frente com a nobre missão de cuidar. Uma bombeira, uma enfermeira, uma piloto, uma chef, uma comissária da PSP contam-nos as suas histórias da pandemia.

Diogo Faro, o pugilista digital: "Odiaria que a minha vida fosse igual à das mulheres que são apalpadas e assediadas."

O comediante lisboeta tornou-se nos últimos anos uma voz ativa na luta pela igualdade de género. As provocações humorísticas de Diogo Faro sucedem-se no mundo virtual, espicaçam a atualidade, incomodam alguns e originam reflexões sobre o machismo, homofobia e racismo. O seu humor serve-se de ironia para fazer crítica social. Um combate que Diogo Faro abraçou totalmente.

Viagens sem volta. As aventuras de duas famílias pelo mundo

É provável que as vidas de Sofia, 29, e Inês, 37 não se cruzem, mas há pelo menos um elemento que as une. O espírito nómada, livre, que privilegia o tempo passado em família e a descoberta do mundo. Contamos as suas histórias, de aventura e de emoção, em movimento constante.

“O cenário de crime é sempre um cenário de desconhecido”

Se uns viram as suas vidas estagnadas com a chegada de um vírus que se tornou uma preocupação global, outros chegaram-se à frente com a nobre missão de cuidar. Uma enfermeira, uma piloto, uma chef e uma comissária da PSP contam-nos as suas histórias da pandemia.

“O máximo que tinha estado sem voar eram três semanas”

Se uns viram as suas vidas estagnadas com a chegada de um vírus que se tornou uma preocupação global, outros chegaram-se à frente com a nobre missão de cuidar. Uma enfermeira, uma piloto, uma chef e uma comissária da PSP contam-nos as suas histórias da pandemia.

Ser mínima para ser máxima

"Há meses que (re)visitamos recantos emocionais, cada um à sua velocidade e, sem dar por ela, confinados à nossa própria existência, fomos obrigados a parar. O que é uma grande chatice ou pode ser uma grande ideia."

Como curar um coração partido

Na Alemanha, Liebeskummer – ter o coração partido – é considerado uma doença crónica. Descobrimos, em Berlim, as duas especialistas em desgostos amorosos.

+Carregar mais