Atual

Terá Kim Kardashian destruído o vestido de Marilyn Monroe?

Depois da controvérsia em volta da socialite e o vestido de Jean Louis, novas fotos mostram o estado do icónico vestido depois da Met Gala deste ano.

Foto: D.R
14 de junho de 2022 Ana Francisca Oliveira

Sessenta anos após Marilyn Monroe cantar os parabéns ao presidente John F. Kennedy, num vestido feito exclusivamente para a ocasião, novas fotos mostram os danos causados por Kim Kardashian, que vestiu a icónica peça na Met Gala de 2022.

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por The Marilyn Monroe Collection (@marilynmonroecollection)

Parece que as polémicas não deixam a socialite de 40 anos, que não só foi criticada por vestir a peça, como foi condenada por perder peso para caber na mesma. O designer Bob Mackie expressou o seu desagrado ao ver o vestido que desenhou na passadeira vermelha. "Ninguém devia ser visto naquele vestido", confessou à Entertainment Weekly, depois do evento.

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por @kimkardashian

As fotografias foram partilhadas pelo colecionador Scott Fortner, detentor da maior coleção de peças e artigos da atriz. É possível ver os rasgões na parte de trás do vestido, e até a perda de cristais e lantejoulas, em comparação a fotos de 2016. Fãs de Marilyn Monroe estão a demonstrar o seu descontentamento perante a situação, depois do museu Ripley's, onde o vestido se encontra em exposição, ter garantido a preservação do mesmo.

Saiba mais
Mundo, Discussão, Kim Kardashian, Marilyn Monroe, Met Gala, Bob Mackie, Jean Louis
Leia também

De Marraquexe com amor, a paixão mediterrânica de YSL chega a Évora

Ao chegar a Marraquexe nos anos 60, Yves Saint Laurent deslumbrou-se pela exuberância das cores e a elegância das formas. É do impacto dessa paixão na Moda e nas Artes Plásticas que se ocupa a exposição Love - Marrakech opened my eyes to color, que pode ser vista no Palácio Cadaval.

Do nu ao gráfico: a reinvenção do naked dress

De Marilyn Monroe em 1962 a Vivienne Westwood em 1977 e Cher em 1986, o que têm os naked dresses em comum? É a reivindicação do corpo feminino, sem vergonhas nem censuras, agora repensada por uma nova geração de designers.

As Mais Lidas