Celebridades

Como era a relação da princesa Ana com a sua mãe, a rainha Isabel II?

Segunda e única filha de Isabel II, a princesa real partilhava diversos interesses com a mãe, começando com a paixão de ambas por cavalos.

A carregar o vídeo ...
14 de setembro de 2022 Ana Filipa Damião

Mais do que uma monarca, a família real perdeu um pilar insubstituível. Os príncipes William e Harry perderam a avó, mas Carlos, Ana, André e Edward perderam a mãe. Nascida a 15 de agosto de 1950, em Londres, Ana Isabel Alice Luísa (Anne Elizabeth Alice Louise em inglês) é a única filha de Isabel II e do príncipe Filipe, a segunda mais velha de quatro irmãos.

Com apenas três anos, ganhou o título de princesa aquando da coroação da mãe, em 1953, e viria a tornar-se conhecida como princesa real três décadas mais tarde, em 1987, uma antiga distinção atribuída à filha mais velha da família real, original do século XVII. O que, neste caso, era uma "escolha" óbvia. Para lá de tradição, esta era vista como um símbolo de trabalho árduo, de como o esforço do indivíduo era valorizado dentro da Coroa, uma honra que se mantém até hoje.

Princesa Ana com a mãe, rainha Isabel II, em 1954
Princesa Ana com a mãe, rainha Isabel II, em 1954 Foto: Getty Images

Aos 18 anos, quando atingiu a maioridade, contava com uma agenda preenchida – o seu primeiro compromisso oficial foi a abertura de um centro educativo e de formação em 1969. Com 21 anos, era nomeada Personalidade Desportiva do Ano pela BBC, e aos 26 fazia parte da equipa equestre da Grã-Bretanha para os Jogos Olímpicos de Verão de 1976, que tiveram lugar em Montreal, tendo senso ainda presidente da Federação Equestre Internacional de 1986 a 94.

Princesa Ana com a mãe, a rainha Isabel II, no Sandringham Estate, 1979
Princesa Ana com a mãe, a rainha Isabel II, no Sandringham Estate, 1979 Foto: Getty Images

É, assim, possível que tenham sido as férias em família, longe de olhares curiosos, os diversos eventos reais e a mútua paixão pela equitação e pelo desporto os elementos que fortaleceram a sua relação com a mãe, entre protocolos rigorosos e regras que não deixavam espaço para demonstrações de afeto em público. Ou talvez, quem sabe, Isabel fosse uma fonte de conforto e sabedoria para Ana, dado que cresceu rodeada de rapazes. Como grande parte do mundo, via na mãe uma figura destemida, confiante e intrinsecamente envolvida nos deveres que tinha para com os seus cidadãos. Tal como os irmãos, admirava a falecida soberana. "Ela era o epítome do que o país representava", disse.

Isabel II com a filha, a Princesa Ana no batizado do neto Peter Phillips a 12 de dezembro de 1977
Isabel II com a filha, a Princesa Ana no batizado do neto Peter Phillips a 12 de dezembro de 1977 Foto: Getty Images

No entanto, a rainha também adorava as suas "escapadelas", em parte porque incluíam tudo o que ela gostava, recordou a princesa no programa A Tribute To Her Majesty The Queen, da BBC. "O campo, os cães – alegadamente dois Corgis, um Dorgi e um Cocker Spaniel – os cavalos e o facto de estar fora e de estar apenas a passear e de poder afastar-se um pouco do olhar público".

Princesa Ana com a mãe, a rainha Isabel II, em Balmoral, 1983
Princesa Ana com a mãe, a rainha Isabel II, em Balmoral, 1983 Foto: Getty Images

Enquanto crianças, "podemos não ter sido muito exigentes no sentido de compreendermos quais foram as limitações no tempo e as responsabilidades que lhe foram dadas como monarca nas coisas e viagens que teve de fazer", afirmou em 2002, à BBC. "Mas não acredito nem por um segundo que ela não se preocupasse connosco exatamente da mesma forma que qualquer outra mãe".

Princesa Ana com a mãe, a rainha Isabel II, no primeiro dia do Royal Ascot, junho de 2018
Princesa Ana com a mãe, a rainha Isabel II, no primeiro dia do Royal Ascot, junho de 2018 Foto: Getty Images

Mantendo a sua promessa, Ana permaneceu ao lado da mãe desde a sua morte, que aconteceu na passada quinta-feira, 8 de setembro, em Balmoral, Escócia, acompanhando inclusive o caixão de Isabel II até Londres. Na segunda-feira, 12, fez história ao ser o primeiro membro real feminino a participar na cerimónia Vigília dos Príncipes, ao lado dos irmãos, na Catedral de Santo Giles, em Edimburgo.

Saiba mais
Celebridades, Diversão, Isabel II, Princesa Ana, Princesa Real
Leia também

Príncipe William, um retrato íntimo do futuro rei britânico

Numa altura em que o mundo ainda devora a entrevista de Harry e Meghan, o que se passa com o irmão que foi deixado para trás? Está a aceitar o seu destino, dizem os amigos mais chegados de William à correspondente do Sunday Times para os assuntos da realeza, Roya Nikkhah. Segunda parte de uma investigação ao lado mais privado do príncipe William.

Quem é quem na realeza britânica?

Além de Isabel II, os membros da família mais conhecidos são os seus netos, William e Harry, respetivas mulheres, Kate e Meghan, e os filhos Ana e Carlos III. Além destes, quem são os outros membros fundamentais da Firma?

Isabel II. Rainha, mulher, mãe, avó, ícone pop

Sabíamos que um dia aconteceria mas talvez não o esperássemos. Afinal, Isabel II, rainha da Grã-Bretanha durante 70 anos, não era imortal. No seu reinado, o mais longo da História do seu país, o mundo mudou de forma radical e só ela parecia um rochedo de constância. Mas também ela mudou e foi-se adaptando às circunstâncias. Em nome da sobrevivência da Monarquia.

Princesa Beatriz e príncipe Eduardo serão conselheiros de Estado?

Segundo o diário The Telegraph, o rei Carlos III quer alterar o Ato de Regência de 1937, mudança que faria com que apenas membros ativos da família real pudessem ocupar o cargo de Conselheiro de Estado - o que não é o caso da princesa Beatriz e dos príncipes Harry e André.

As Mais Lidas