Celebridades

Meryl Streep condena Harvey Weinstein depois de acusações de assédio sexual

A atriz acusa Weinstein de abuso de poder e diz estar chocada com as notícias.

09 de outubro de 2017 | Marta Carvalho
Harvey Weinstein, produtor de Hollywood, foi recentemente acusado de assediar sexualmente várias mulheres com quem trabalhou, o que levou o conselho da Westein Company a despedi-lo no domingo passado. Weinstein tem estado ausente do trabalho desde que o New York Times publicou um relatório dos vários atos de assédio de que é acusado; o produtor assumiu e expressou arrependimento por alguns e negou outros.

Meryl Streep, que trabalhou em vários filmes com Harvey – incluindo a cinebiografia de Margaret Thatcher, The Iron Lady –, condenou publicamente o "abuso de poder" exercido pelo produtor e garante que nunca soube de nenhum dos casos de assédio. Assegura que nunca foram ultrapassados os limites profissionais entre ela e o produtor, mas lamenta que oito mulheres tenham passado pela mesma situação lamentável. "As tristes notícias sobre Harvey Weinstein chocaram todos aqueles que apreciavam o seu trabalho. As mulheres corajosas que se fizeram ouvir são verdadeiras heroínas." Streep acrescentou ainda que este tipo de abuso de poder é, infelizmente, bastante comum em Hollywood.

Além de Streep, muitos outros atores condenaram o comportamento de Harvey Weinstein. Entre eles encontram-se personalidades como Lena Dunham, Patricia Arquette e Mark Ruffalo.
Relacionadas

Os melhores momentos de Meryl Streep no cinema

A atriz, que completa 70 anos hoje, já foi nomeada 21 vezes para os Óscares e 31 vezes para os Globos de Ouro. Faz parte do elenco da segunda temporada da série da HBO 'Big Little Lies' e do drama 'Little Women', que deve estrear em Portugal no início do próximo ano.

Mais Lidas