Celebridades

A história não contada sobre a overdose de Demi Lovato

Em 2018, a cantora pop foi encontrada inconsciente na sua casa em Hollywood. A emergência foi uma overdose, supostamente provocada por uma mistura de opióides com fentanil, mas há mais por detrás da situação.

A carregar o vídeo ...
18 de fevereiro de 2021 | Rita Silva Avelar
Não é a primeira vez que Demi Lovato fala abertamente sobre os seus problemas de saúde e de adição a drogas e álcool (começou por exemplo a consumir cocaína aos 17 anos). A cantora está mais uma vez a chocar o mundo com a revelação de que sofreu três AVC e um ataque cardíaco na sequência de uma overdose, que na altura foi publicamente conhecida, em julho de 2018, e que a levou a ser internada de urgência num hospital em Los Angeles.

"Os médicos disseram que eu tinha mais cinco a dez minutos [de vida]". A declaração surge num novo documentário, Dancing With the Devil, que estreia a 23 de março e que a cantora começou a promover agora. Dividido em quatro partes, o documentário abordará, entre outros temas, os detalhes do consumo de drogas que quase levaram Lovato à morte. "Nos últimos dois anos, ouvi muitas histórias sobre a minha vida e o que as pessoas pensam que aconteceu. Eu quero esclarecer o que se passou e revelar tudo aos meus fãs", revelou, na conferência de imprensa de apresentação do filme.

A cantora, que tem apenas 28 anos, acrescenta ainda que ficou com danos cerebrais graves, e que além de não poder conduzir não consegue ler, pois fica com a vista embaciada. Além da dependência e da adição, Demi Lovato fala sobre as pressões e os perigos da indústria, nomeadamente para se adaptar às expectativas deste segmento (o do entretenimento) e também sobre traumas passados, temas que já tinha explorado, em certa medida, no livro autobiográfico que lançou em 2013: Staying Strong: 365 Days a Year.


Do momento em que revelou ter sofrido de bullying no programa de Ellen DeGeneres, em 2008, à decisão autónoma de se internar numa clínica de reabilitação para jovens e adolescentes, em 2010, e a meio de uma tour, para tratar compulsão alimentar e tendência para automutilação, Demi Lovato sempre falou sem preconceitos dos seus traumas. Aos 18 anos foi-lhe diagnosticado transtorno bipolar. Filha de pais divorciados, teve uma relação difícil com o pai, Patrick, que morreu com 53 anos vítima de um cancro.

Leia também
Demi Lovato, que nasceu em Albuquerque, no Novo México, começou por chamar a atenção ao integrar o elenco da série de televisão infantil Barney e seus Amigos, tornando-se internacionalmente conhecida a partir de 2008, quando atuou como a protagonista Mitchie Torres no filme do Disney Channel Camp Rock. Nesse ano lançou o disco Don't Forget, uma estreia que revelou os seus dotes vocais e a levou ao número 2 do top 200 da Billboard. 
Leia também
Saiba mais Demi Lovato, Dancing With the Devil, Documentário, Cantora, Música, Atuação, Overdose, Drogas, Álcool, Disney
Mais Lidas