Atual

Carolina Amaral, revelação de 'Glória', entregue à vertigem de ser atriz

A sua personagem evoca a dureza da condição feminina em Portugal nos anos da ditadura. Face à nossa câmera, sem artifícios, a atriz fala-nos de personagens, superstições e até do movimento #MeToo.

A carregar o vídeo ...
12 de novembro de 2021 Tiago Manaia

Há algo no olhar de Carolina Amaral. Ficamos presos à sua presença, no ecrã como na vida real. Ainda mal tínhamos esquecido o seu papel em Trouble, espetáculo encenado por Gus Van Sant, no Teatro D.Maria II em setembro, que surge agora em 'Glória', série portuguesa da Netflix pensada para o mundo. Timidamente, a narrativa da sua personagem ganha força e prende o espetador. Por causa do olhar de Carolina? Certamente. E também pela forma como se aborda os direitos das mulheres - que nasciam longe do privilégio e lutavam para poder sonhar - nas províncias de um país mergulhado na miséria da ditadura de Salazar. Portugal, nos anos 60 do século passado, não foi assim há tanto tempo.

Carolina começou a fazer teatro no Porto e após uma longa formação nas artes de palco veio estudar para Lisboa, tendo mais tarde passado pelo Conservatoire National d'Art Dramatique de Paris. 

Há anos que o seu nome é apontado como um dos mais promissores.

João Canijo, Miguel Loureiro, Marco Martins ou Angélica Liddell deram-lhe a possibilidade de explorar caminhos diferentes. A Televisão ou o Cinema não a afastaram do teatro clássico nem da performance mais física, quase dançada. O talento vinca-se, multiplica-se. Queremos seguir estes passos.

Direção: Tiago Manaia

Realização e edição: Mariana Margarido

Saiba mais
Carolina Amaral, Netflix, Gus Van Sant, Carolina, Teatro D.Maria II, Glória, Portugal, Salazar
Leia também

Crush #3. Telegrama de férias: corpos clamam liberdade

Como transformar a atualidade em expressão artística? Pode a vida nos arredores de Lisboa inspirar objetos feitos em cerâmica? O que faz uma canção tornar-se num slogan feminista? E será a joalharia capaz de nos contar histórias que vão além do luxo?

Entrevista Afonso Pimentel, o bom rebelde

Ator há mais de duas décadas, e com apenas 39 anos, Afonso Pimentel consegue reinventar a sua presença sempre que aparece no ecrã. Por causa de 'Glória', série de Netflix, quisemos ouvir o que sente relativamente ao mundo em 2021. Heróis, pandemia e negacionismo. Está tudo em vídeo.

Diogo Fernandes, na pista do Lux com o Andy Warhol de Gus Van Sant

Depois de ter esgotado o Teatro Nacional D. Maria II, o espetáculo ‘Andy’ ou 'Trouble' parte em digressão pela Europa. Em Roma, Faro, Paris ou Atenas, o jovem Diogo vai continuar a contar em palco, a ascensão e queda de um dos maiores artistas do século XX. Conversámos com o ator revelação.

As Mais Lidas