Junte-se ao nosso canal de WhatsApp e aceda diretamente aos temas Máxima do momento. Seguir
Moda / Tendências

Como será o futuro da fast-fashion? A Bershka abre caminho e está mais tecnológica que nunca

De caixas self-service a um provador fora deste mundo, fomos espreitar a renovada loja da marca espanhola, situada no centro comercial Colombo, em Lisboa.

A carregar o vídeo ...
11 de abril de 2023 Ana Filipa Damião

Podemos comparar a renovada Bershka do Colombo a um episódio de uma série de ficção científica? Talvez ainda não, mas para lá caminhamos. Além de uma nova imagem, mais alinhada com o público-alvo da marca – com peso nos elementos street, cores neutras e disposição cuidada - a loja conta também com características que a distinguem de todas as outras.

Um dos grandes protagonistas é, sem dúvida, a estreia mundial da Wearable Art, uma "coleção phygital" fruto da colaboração entre a espanhola e o estúdio digital FFFace.me, que permite associar efeitos virtuais a peças físicas específicas, como t-shirts, através de um código QR. O resultado? Uma experiência de realidade aumentada muito interessante e definindo as próximas tendências.

A colaboração Bershka x FFFace.me estará à venda em maio.
A colaboração Bershka x FFFace.me estará à venda em maio. Foto: Bershka

Outra novidade é o provador exclusivo também na mesma realidade, pintado com QR codes na sua totalidade. Lendo o código presente na porta com a câmara do telemóvel, acedemos rapidamente à aplicação Snapchat da marca espanhola, no qual encontramos um mundo novo. Por outras palavras, trata-se de uma zona privada onde os clientes podem brincar com filtros e experimentar as novas peças digitais da Bershka (que vão sendo atualizadas ao longo do tempo) para depois partilharem as fotografias nas redes sociais.

A grande novidade é o provador exclusivo para experimentar peças digitais e outros efeitos.
A grande novidade é o provador exclusivo para experimentar peças digitais e outros efeitos. Foto: Bershka

Há ainda um sistema melhorado de entradas e saídas dos provadores – com um toque no ecrã, somos rapidamente direcionados para uma cabine vazia, que quando fechada dá sinal disso, com base num sensor que deteta quando alguém encerra a cortina no seu interior - e caixas self-service, contribuindo para uma experiência de compra sem filas desnecessárias.
As caixas self-service é uma das características novas da loja.
As caixas self-service é uma das características novas da loja. Foto: Bershka

A colaboração Bershka x FFFace.me estará à venda em maio.

Saiba mais
Moda, Tendências, FFFACE.ME, Bershka, Colombo, Realidade Virtual, Digital, Tecnologia
Leia também

A Burel Factory é uma história de amor dedicada ao património

Esta história dava um belo filme, mas dos que têm final feliz. Começa na serra, continua num sanatório em ruínas transformado em hotel, e culmina numa fábrica têxtil falida que renasce, com o saber fazer português e a sustentabilidade como bandeiras. Agora acaba de chegar ao Chiado, a Woolclopedia, a primeira coleção de Moda da Burel Factory, que é com saltitar numa montanha de lã colorida.

As Mais Lidas