Beleza / Wellness

Como nos afeta a lua nas suas diferentes fases?

Uma especialista em astrologia evolutiva explica a ligação das várias fases da lua ao nosso estado emocional.

Foto: Getty Images
31 de maio de 2021 | Rita Silva Avelar e Andrea Pereira

Os nossos antepassados regiam-se pelo Sol e pela Lua. Se pensarmos bem, a geração dos nossos avós está entre as que acredita que realizar determinadas ações durante cada fase da lua tinha um impacto positivo (ou negativo): como o timing do parto, por exemplo.

Andrea Pereirapraticante de astrologia evolutiva, explica-nos como as fases da lua afetam o bem-estar e mesmo a vida normal. "A Lua exerce uma força centrífuga na vida na Terra e a observação da relação desta com os ciclos naturais levou à verificação da sua influência nas marés, na gravidez, mudanças climáticas, comportamentos dos animais, na agricultura e colheitas, entre outras coisas", começa por explicar.

"Por exemplo, em termos astrológicos, o ângulo exato entre o Sol e a Lua no mapa natal de cada um de nós, repete-se todos os meses. Acredita-se ser um tempo de fertilidade e criatividade. Conhecendo esse ângulo todos os meses, já sabemos que nessa data, dois dias antes e depois, será então um momento de grande fertilidade e criatividade."

Assim, "o ciclo da Lua define-se em relação ao Sol. Ela reflete a luz do Sol e a mudança de fases é essa variação do ângulo da relação entre o Sol e a Lua. Esse ciclo começa na Lua nova em conjunção exata ao Sol, não vemos a Lua porque o Sol não a está a iluminar, estão ambos do mesmo lado da Terra, mas vêmo-la cheia, quando em oposição, e o Sol ilumina uma das suas faces por inteiro", esclarece. "Este percurso diário da Lua, passo a passo, no correr dos dias, à volta da Terra, está intimamente ligado ao ciclo menstrual da mulher, de sensivelmente 28 dias. Quando falamos, em termos astrológicos, daquilo a que se chama a Revolução Lunar, sabemos também que o ciclo da Lua tem 29 dias e meio."

Leia também

Andrea afirma ainda que as emoções se interligam com as fases da Lua. "A Lua é a conversa interna que estabelecemos connosco, em ondas emocionais que vão e vêm como as marés. O Sol é esta expressão através da qual ganhamos propósito no correr dos dias", esclarece. "Este mapa celeste, com estes dois elementos principais, serviu de orientação à humanidade para muitos afazeres das diferentes áreas da vida individual e coletiva."

Lua nova

É a fase em que se inicia um novo ciclo emocional, altura para percebermos o que é que isso significa exatamente para nós e como queremos cuidar deste corpo emocional. Trata-se de uma fase instintiva, em que a energia está mais dirigida para a ação, para fora. Como se trata de uma energia nova, aprendemos mais com a experiência e erro, é importante estarmos atentas ao resultado e reações das nossas experiências e ações. Por isso é uma fase em que podemos seguir o instinto, experimentar coisas novas, usar de um sentido de liberdade. Nesta etapa a Lua passa dois a três dias no mesmo signo que o Sol. Diz-se que o poder de desintoxicação do organismo nesta fase está no auge.

Fase crescente

Trata-se de uma fase mais interna do que a anterior. Nesta altura precisamos de muita liberdade para assimilar as experiências externas e perceber o que é que faz sentido levarmos a cabo. É uma fase de liberdade interior e de não ter grandes expetativas quanto à manifestação externa dos nossos talentos e ações.

Quarto Crescente

Voltamos a vir para fora de uma forma completamente autêntica. Queremos mesmo ser criativos e trazer o mundo emocional para fora e com muito propósito. Aquilo que começou por ser instintivo começa a querer ganhar forma e começa a querer fazer parte da nossa identidade. Por isso, é uma altura de aperfeiçoar os nossos talentos, de assumirmos novas características e planos. Trata-se de uma fase de percebermos como é que aquilo que temos vindo a aprender vai fazer parte da nossa identidade e da nossa vida. É uma fase externa, de ação e de muita experiência e erro, precisamos de muita resiliência nesta fase para não desistirmos até encontrarmos a expressão correta daquilo que vai dentro de nós. Quando isso acontece há mesmo um sentimento de plena criatividade.

Em termos físicos, o corpo assimila tudo com maior facilidade. A água também fica mais acumulada assim como os nutrientes dos alimentos.

Lua crescente convexa

Antes da Lua cheia e depois do quarto crescente, ficamos com a lua como que "barriguda". Em inglês o termo usado é Gibbous, em português podemos traduzir como convexa ou gibosa. Esta é uma fase interna, de autoanálise. Por vezes podemos sentir que há algo que nos falta, que precisamos de melhorar e nessa fase é bom percebermos como é que nos podemos ajustar ao que é necessário. É uma fase de autoaperfeiçoamento e de entendimento do mundo emocional para melhor nos conseguirmos expressar.

Lua Cheia

Há uma necessidade de nos libertarmos de algo emocional para nos conseguirmos verdadeiramente expressar. Depois da autoanálise percebemos o que é que queremos largar.

A Lua cheia está no lado oposto ao do Sol e por isso é um momento para se ganhar objetividade sobre a nossa relação com o mundo externo. É uma fase muito emocional porque tomamos consciência de como a ação do outro nos afeta emocionalmente e vice-versa. É uma altura de para aprender a escutar o outro e a nós mesmos, ou seja, é uma altura para trabalhar a escuta interna e externa e para ganhar objetividade e perceber que temos todos a mesma importância: o que eu tenho para expressar é tão importante como o que o outro tem para expressar. As minhas emoções são tão importantes quanto as emoções dos outros.

Diz-se que na Lua cheia as feridas sangram mais, há mais suscetibilidade para acidentes e é a altura onde há mais partos. Não é uma boa altura para vacinas. Não são aconselhados grandes esforços.

Lua minguante convexa

Nesta fase há a necessidade de expressar os nossos talentos de forma a cumprir um papel na sociedade. Vamos descobrir que precisamos de adaptar a nossa individualidade ao mundo, o que nos levará a uma metamorfose que nos faz sentir limitados na nossa capacidade de servir o mundo. Há também uma necessidade grande de escuta das necessidades dos outros e de transformarmos as nossas intenções criativas para aquilo que o mundo precisa.

Disseminada

É A fase da Lua em que levamos toda a nossa criatividade e beleza ao mundo, os frutos do nosso trabalho, e em que exteriorizamos tudo o que precisamos. É uma fase de pico de criatividade e o momento de colhermos os frutos da árvore e de receber os méritos da sociedade pelo que demos na primeira fase do ciclo. De acordo com alguns autores é uma fase excelente para desintoxicação do organismo.

Quarto minguante

Trata-se de uma altura em que refletimos sobre os nossos valores e confrontamos as nossas necessidades. Libertamo-nos das emoções velhas que já não servem ao nosso processo criativo. O que é que faz sentido perpetuar e o que é que já não faz sentido? Um pouco como deitar fora as roupas que já não gostamos ou precisamos. É uma altura de reflexão interna. As cirurgias e processos curativos têm mais sucesso nesta Lua.

Balsâmica ou Minguante

Ao completarmos o ciclo estamos prontos a começar de novo, já há faíscas do que queremos cumprir a seguir, mas primeiro perceber que padrões precisam de ser resolvidos e curados? Às vezes podemos sentir menos energia para completar o que falta e isso pode criar letargia e confusão. É uma fase para terminar assuntos pendentes e trazer clareza ao que queremos começar no novo ciclo que aí vem.

Rituais de Lua Balsâmica (minguante) e de Lua Nova

Um exemplo de um bom ritual é a Mandala das necessidades: perceber a que necessidades respondemos durante o ciclo que passou e que novas necessidades temos. Depois, desenhar uma mandala com essas novas necessidades e estratégias para as alcançarmos. Outro ritual implica fazer um desenho daquilo que queremos libertar e depois, de forma segura, podemos queimar esse desenho. Meditar antes dos rituais, para trazer clareza e integração, ajuda ao processo de resolução de ideias e intenções. Outra sugestão é fazer um diário de sonhos em cada ciclo lunar e integrá-los com as informações da Lua em cada signo.

Saiba mais Lua Balsâmica, Sol, Terra, Andrea Pereira, Astrologia, Ciclo Feminino, Lua, Influência da lua
Mais Lidas