Prazeres

The Lodge, o hotel de Gaia que se ergue sobre caves centenárias

Um refúgio nas margens do Douro, do lado de Vila Nova de Gaia, para relaxar, comer bem, e dormir.

Foto: Francisco Almeida Dias
03 de setembro de 2021 | Rita Silva Avelar
Longe vão os tempos em que Vila Nova de Gaia era apenas a outra margem do rio Douro, para quem estava alojado no Porto. Hoje em dia, junto ao rio, do lado da cidade, os veraneantes misturam-se com os locais, há copos de vinho do Porto pousados nas mesas de todas as esplanadas, pequenas bancas a vender produtos regionais, música que soa dos rooftops, risos que vêm de todos os lados. É um prazer, passear por Gaia, à beira rio, e simplesmente respirar o ar puro do Norte, a qualquer hora do dia. É precisamente nesta margem que fica o The Lodge Wine & Business Hotel, o mais recente investimento do empresário Mário Ferreira, que abriu portas há quase um ano e que está agora a mostrar os seus encantos a quem se atrever a reservar aqui a estadia (prepare-se para querer regressar rápido, caso aqui fique).
The Lodge Wine & Business Hotel
The Lodge Wine & Business Hotel Foto: Francisco Almeida Dias


Edificado nas antigas caves de vinho do Porto da Real Companhia Velha, e numa zona que é considerada Património Mundial da Humanidade pela UNESCO, o The Lodge Wine & Business Hotel é uma proposta elegante e disruptiva no segmento de hotéis de Gaia. Decorado por Nini Andrade Silva e com o projeto de arquitetura entregue ao atelier ARQ2525, exibe a elegância da designer de interiores do hall de entrada ao restaurante, incluindo a traça que nos remete para o Douro vinhateiro e as suas histórias. Os tons térreos e marítimos dos espaços comuns fazem-nos sentir em casa, no conforto, o que está em perfeita harmonia com a simpatia geral do staff.
The Lodge Wine & Business Hotel
The Lodge Wine & Business Hotel Foto: Francisco Almeida Dias


Ao todo, são sete pisos, 119 quartos (um quarto duplo a partir de €190) e suites (superior, deluxe, terrace deluxe), onde prima o bom gosto e a portugalidade, evidenciada nos pequenos e nos grandes pormenores (como os colchões, onde se dorme como se estivessemos a pairar sobre as nuvens). Há um espaço comum que se destina a conferências, mas que também pode ser usado para quem quiser usá-lo como work space, no piso acima da ampla recepção.
The Lodge Wine & Business Hotel: um quarto.
The Lodge Wine & Business Hotel: um quarto. Foto: Francisco Almeida Dias


Uma das pérolas do The Lodge Wine & Business Hotel é o restaurante D. Maria. Chefiado pelo talentoso Ricardo Simões, empresta o nome à infanta D.Maria e é um elogio à gastronomia portuguesa e ao que de melhor o país nos dá. As surpresas começam cedo, quando nos chega à mesa um carrinho cheio de pães de vários sabores e tipos de confeção, para ir apreciando ao longo da refeição. Entre as propostas do chef, destacamos algumas das melhores receitas tradicionais do Porto, como as tripas à moda do Porto, a deliciosa vitela estufada com arroz de enchidos de Trás-os-Montes (€30), ou o bacalhau confitado com puré de grão de bico, pezinhos e coentrada e molho salsa (€22).
The Lodge Wine & Business Hotel: restaurante D.Maria.
The Lodge Wine & Business Hotel: restaurante D.Maria. Foto: Francisco Almeida Dias


O importante é não deixar de provar os petiscos, como croquetes de leitão com salada asiática e maionese de lima (€17), os peixinhos da horta com maionese de caril (€16), os camarões ao alho (€19) ou os ovos verdes com guacamole (€7). Nas sobremesas, é saborear o tártaro de manga e abacaxi com sopa de maracujá, yuzu e sorvete de coco (€7) ou a pannacota de iogurte grego aromatizada com citronela, sopa de pêssego, especiarias e hortelã (€6), que são apenas bons exemplos entre mais. Para acompanhar, prometemos que lhe serão apresentadas as melhores propostas de pairings de vinhos, já que a garrafeira tem pelo menos 300 referência (50 delas, de vinho a copo, algo altamente improvável mas muitíssimo simpático).
The Lodge Wine & Business Hotel: suite Signature.
The Lodge Wine & Business Hotel: suite Signature. Foto: Francisco Almeida Dias


No topo do hotel encontramos a piscina, onde a água está a temperatura sempre amena, perfeita para nos refugiarmos da azáfama da cidade, e relaxar. Ali mesmo ao lado há um pequeno espaço dedicado ao ginásio, para quem se sentir com mais energia. Uma estadia para desacelerar da azáfama das grandes cidades, este destino une modernidade à tradição. Afinal, avistamos o Porto da janela da nossa suite, um autêntico quadro vivo pintado com as cores da vida portuense.
Leia também
Saiba mais Mário Ferreira, Business Hotel, The Lodge Wine, Porto da Real Companhia Velha, Vila Nova de Gaia, Douro, Norte, Património Mundial da Humanidade, economia, negócios e finanças, estilo de vida e lazer, turismo, gastronomia
Mais Lidas