Prazeres

Bar Salla, um dos bares preferidos das personalidades em Lisboa

Cocktails de autor em alusão ao cinema, ostras e taquitos de lagosta na carta e house music com DJ’s residentes e convidados. Todas as quintas, sextas e sábados este é o cenário no mais recente hotspot da capital.

A carta de bebidas foi pensada a preceito pelo chef Manuel Bóia
A carta de bebidas foi pensada a preceito pelo chef Manuel Bóia Foto: D.R.
31 de agosto de 2021 | Marta Vieira

A história do Palácio Chiado é longa e cheia de peripécias. O edifício mais emblemático da rua do Alecrim, que liga o Cais do Sodré à Praça de Camões, sobreviveu a incêndios e terramotos, assistiu ao nascimento de condes e barões, foi um quartel-general durante as invasões francesas e mais tarde um museu, e depois disso, ainda uma sede para as artes-plásticas.

Anos volvidos, este espaço centenário transformou-se num bonito e acolhedor recanto para restauração e convívios. Na epítome da silly season, onde nos encontramos agora, os fins de tarde longos dão lugar a noites animadas e as preocupações mundanas querem-se longe da vista, especialmente para nos fazer esquecer a condição sanitária que se vive desde o ano passado.

Diogo el Sousa e Alexandra Moura não perderam a inauguração do espaço a 20 de maio, mas não foram os únicos
Diogo el Sousa e Alexandra Moura não perderam a inauguração do espaço a 20 de maio, mas não foram os únicos Foto: D.R.

Foi com esta premissa que o renovado Palácio Chiado reabriu portas em maio, inaugurando a sua mais recente aposta, o Bar Salla. Desde que abriu, estiveram ali presentes personalidades ligadas à moda como a apresentadora e influencer Raquel Strada, a designer Alexandra Moura ou a modelo Luísa Beirão mas também as atrizes Daniela Melchior, Mariana Monteiro e Inês Castelo-Branco, entre outras celebridades.

Leia também
Boa conversa e boa música invadem o Bar SALLA num ambiente cosmopolitan e simultaneamente intimista
Boa conversa e boa música invadem o Bar SALLA num ambiente cosmopolitan e simultaneamente intimista Foto: D.R.

O bar está logo à vista, assim que se entra no palacete, ocupando todo o hall do piso térreo. A imponência dos tetos altos salta à vista, num lugar que se quis luminoso e bastante amplo. Com o avançar da noite, o vermelho torna-se cor de eleição, seja pelas luzes, nos suaves cadeirões e sofá corrido ou mesmo através néon do balcão. Todo o design e decoração foram pensados no sentido de criar um refúgio contemporâneo sem que se perdesse a sua história, numa fusão suave entre modernidade, arte e memória.

Aqui não há cerimónias. Todos são bem-vindos e dress code é algo que pura e simplesmente não existe. Como os próprios referem "basta aparecer e deixar-se ficar…". E, de facto, há muito boas razões para que permaneça. Vejamos.

Começando pelos cocktails de assinatura, aos bestsellers Green Lantern (€11,5) ou Palácio Chiado (€8,5) juntam-se opções cuja designação nos remete para o universo do cinema e da televisão como o sexy Stifler’s Mom (€9) composto por vodka Smirnof, xarope de morango, licor de chocolate, clara de ovo e sumo de limão; o enigmático Pulp Fiction (€11,5) com pisco, licor Passoa, sumo de toranja, sumo de lima e xarope de baunilha ou mesmo o disruptivo Narcos (€10) de tequila Jose Cuervo, sumo de ananás, sumo de lima, xarope de malagueta e mel. A carta continua com mocktails (cocktails sem álcool), gins tónicos, cervejas ou whisky, isto sem contar com a cafetaria e os seus básicos.

Os taquitos de lagosta são um dos bestsellers da casa
Os taquitos de lagosta são um dos bestsellers da casa Foto: D.R.

E uma vez que a ideia é prolongar a conversa até mais não, seja antes ou depois do jantar, o chef Manuel Bóia responsabiliza-se igualmente pelas tapas. As ostras ao natural (1 unidade €2,9 e 6 unidades €15,5), os taquitos de lagosta (€17) e o camarão salteado com sweet chili e guacamole (€17) têm sido os petiscos mais pedidos até agora. Com a estação quente em vigor, juntam-se ainda ao menu opções frescas como o ceviche de garoupa e peixe branco (€15), o tártaro de novilho (€13) ou os taquitos de salmão (€12).

A acompanhar toda esta panóplia de comes e bebes, está o ambiente cosmopolitano evocado pelo palacete e o seu novo bar com a presença marcada de DJ’s residentes – como Luísa, BillOnair e Leote – e outros convidados, às quintas até às 00h00 e sextas e sábados até às 2h00. Em pleno centro lisboeta, todos os caminhos vão dar ao SALLA, o novo lugar cool do momento, onde amigos, conversas e batidas sonoras convergem numa simbiose perfeita.

A exposição Moonwalk de Mariana Horgan pode ser vista na sala Quintela do piso 1
A exposição Moonwalk de Mariana Horgan pode ser vista na sala Quintela do piso 1 Foto: D.R.

Ainda pelo Palácio Chiado, e se a fome e a curiosidade apertarem, não perca a oportunidade de conhecer o restaurante do piso 1, após a escadaria principal de vitrais vistosos com frescos a acompanhar. A Sala de Baile foi reinterpretada e projetada pela arquiteta Inês Moura e é um deleite à vista; já a Sala Quintela, convertida em galeria de arte e espaço privado para eventos ou refeições, apresenta até 31 de agosto a exposição Moonwalk de Mariana Horgan. Em tributo à cozinha portuguesa e internacional, o chef Manuel Bóia apresenta propostas clássicas ou contemporâneas de peixe, marisco e carnes com decadentes sobremesas a finalizar a refeição. A música, mais uma vez, marca o ritmo de toda a experiência. 

Onde? Rua do Alecrim 70, Lisboa. Quando? De domingo a quinta das 12h30 às 16h e das 19h às 00h00 e de sexta a sábado das 12h30 às 16h e das 19h às 02h. Tel: 21 010 11 84
Saiba mais Palácio Chiado, Bar SALLA, restauração, Lisboa, Manuel Bóia, cocktails, tapas, música, noite, verão
Mais Lidas