Moda

100 modelos assinaram uma petição para a Victoria's Secret a propósito do assédio sexual

Várias modelos assinaram uma carta aberta à empresa para que esta tome uma posição que as proteja do assédio e abuso sexual na indústria da moda.
Por Marta Vieira, 07.08.2019

Foi da organização norte-americana sem fins lucrativos The Model Aliance que surgiu o programa RESPECT. Propõe-se que a Victoria's Secret "tome medidas para proteger o talento daqueles que aspiram a trabalhar na empresa" e ainda que faça uso do seu "poder e influência para trazer as mudanças que são urgentemente necessárias ao setor". Entre as modelos que assinaram esta petição estão nomes bem conhecidos do público e notáveis da área como Chisty Turlington, Edie Campbell, Milla Jovovich, Doutzen Kroes e Gemma Ward. Da lista apresentada, sabe-se que a modelo portuguesa Sara Sampaio não faz parte da mesma (pelo menos por enquanto).

Na carta, é apontada a ligação entre a Victoria's Secret e o financeiro Jeffrey Epstein, criminoso sexual envolvido em escândalos sexuais nos Estados Unidos da América – entre eles tráfico sexual e envolvimento sexual com menores. Este seria amigo próximo de Leslie Wexner, CEO da empresa L Brands, ligada à Victória's Secret, e ter-se-ia apresentado como recrutador da marca, atacando sexualmente manequins, entre elas, adolescentes. Existem ainda acusações de alegada conduta sexual inapropriada por parte de fotógrafos como Timur Emek, David Bellemere e Greg Kadel conhecidos por trabalharem de perto com a marca de lingerie e produtos de beleza norte-americana e por terem um contacto próximo com as modelos, o que terá levado às alegadas agressões sexuais.

"É profundamente perturbador que esses homens pareçam ter alavancado as suas relações de trabalho com a Victoria's Secret para atrair e abusar de raparigas vulneráveis", pode ler-se, na carta. Esta foi enviada na terça-feira, 6 de agosto, a John Mehas, diretor executivo da Victoria’s Secret. Representantes da L Brands já afirmaram estar em contacto com The Model Alliance.

Este acontecimento ocorre depois de o diretor de marketing da Victória’s Secret, Ed Razed, ter-se demitido do seu cargo. Recorde-se que no ano passado o mesmo foi muito criticado pelos comentários que fez a propósito da possibilidade de a marca não dar oportunidade de trabalho a modelos plus size ou transgénero, dando a entender que pertencer ao clã da Victória's Secret não seria para todos.

Por sua vez, a petição veio à público dias depois da marca contratar a sua primeiro modelo transgénero, Valentina Sampaio, para integrar o catálogo da linha Pink.

Com esta manifestação de descontentamento, uma centena de modelos pretende que a Victoria's Secret promova, no âmbito do RESPECT, a erradicação definitiva dos abusos, dos mais variados teores, mas principalmente sexuais, existentes na indústria.

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
1 Comentários
jose Marco Essa moças são puras e ingénuas ... uma carteira bem recheada pode ser um isco demasiado perigoso para elas...
Há 3 semanas
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!