Celebridades

A razão pela qual Angelina Jolie criou inesperadamente uma conta no Instagram

A atriz criou uma conta oficial na passada sexta, 20 de agosto, com o intuito de dar voz aos cidadãos do Afeganistão que temem pela sua vida depois da tomada de poder dos Talibãs.

Angelina Jolie, atriz, ceneasta e ativista humanitária.
Angelina Jolie, atriz, ceneasta e ativista humanitária. Foto: Getty Images
23 de agosto de 2021 | Ana Damião

A 15 de agosto, os talibãs conquistaram Cabul, a capital de Afeganistão, instalando o terror entre os afegãos. Nesse dia, os direitos de todas as mulheres afegãs ficaram em perigo.

A primeira publicação de Angelina Jolie no Instagram, mostra precisamente o relato do dia a dia de uma rapariga afegã. Nunca antes se havia conhecido a estreia da atriz nesta rede social, mas agora sabe-se que a ativista humanitária o fez para dar voz à situação que se vive no Afeganistão.

"Esta é uma carta que me foi enviada por uma adolescente no Afeganistão. Neste momento, os cidadãos do Afeganistão estão a perder a habilidade de comunicar nas redes sociais e de se expressarem livremente. E por isso estou no Instagram para partilhar as suas histórias e as vozes de quem está no outro lado do mundo a lutar pelos seus direitos fundamentais", explica a triz na descrição.  

Na carta em causa, a jovem afegã conta como podia frequentar a escola e trabalhar; como tinha direitos antes dos talibãs tomarem conta do país. "Eu acho que os nossos direitos foram violados, não podemos sair à rua, estudar e trabalhar é uma coisa longínqua", relata.

Leia também

Explica ainda que há quem acredite que os talibãs mudaram, mas que não é o caso dela. A rapariga argumenta que se [os talibãs] tivessem mesmo mudado ela não teria de pensar a que horas podia sair de casa em segurança para continuar a ir à escola. Na carta, expressa a sua preocupação sobre o recuo que o país enfrenta, onde os cidadãos "não têm direitos, a vida de todos é negra, todos perdemos a liberdade e estamos presos novamente".

Leia também

Na publicação, a Angelina Jolie recorda a vez em que esteve na fronteira do Afeganistão há 20 anos e como conheceu refugiados que fugiam dos Talibãs, exatamente na mesma situação de agora.

"Gastar tanto tempo e dinheiro, ter sangue derramado e vidas perdidas apenas para chegar a isso, é uma falha quase impossível de entender. Ver durantes décadas como refugiados afegãos – algumas das pessoas mais capazes do mundo – são tratados como um fardo também é repugnante. Sabendo que, se tivessem as ferramentas e o respeito, o quanto fariam por si mesmos. E conhecer tantas mulheres e meninas que não só queriam uma educação, mas lutavam por ela", diz.

No fim, lança um apelo. "Como outros que estão comprometidos, não me vou afastar. Vou continuar à procura de formas para ajudar. E espero que se juntem a mim".

Na primeira hora da publicação a ativista tinha arrecadado 1,7 milhões de seguidores, ultrapassando o recorde de Jennifer Aniston de um milhão de seguidores em pouco mais de cinco horas.

Leia também

Atualmente, a defensora dos direitos humanos conta 7,6 milhões de seguidores e dois posts no Instagram, seguindo apenas três contas – a Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP), os Médicos Sem Fronteiras e o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, do qual é Enviado Especial.  

Angelina Jolie é conhecida por prestar ajuda humanitária em zonas de guerra como a fronteira síria-iraquiana durante a segunda Guerra do Golfo ou na capital afegã de Cabul, durante a Guerra do Afeganistão. Começou a sua jornada em 2001, depois de terminar as filmagens do filme Lara Croft: Tom Raider, ano no qual teve o primeiro encontro com refugiados afegãos no Paquistão.

Saiba mais Angelina Jolie, Afeganistão, Instagram, Cabul, distúrbios, guerras e conflitos, política, refugiados, Instagram, celebridades, ajuda humanitária, redes sociais
Mais Lidas