Celebridades

A filha da princesa Margarida que trocou a realeza pela arte

Casou-se com um ator, dedicou-se à pintura e afastou-se dos holofotes e das imposições da realeza. Conheça a história de Sarah Armstrong-Jones, hoje Sarah Chatto.

Foto: Getty Images
04 de dezembro de 2020 | Rita Silva Avelar
Quando nasceu, a 1 de maio de 1964, Sarah Armstrong-Jones ocupava a mesma posição na linha de sucessão ao trono que o pequeno Archie, filho de Henry e Meghan, ocupa hoje, ou seja, a sétima. Hoje, está no 24º lugar da famosa lista. Mas apesar de ter nascido num berço real, a filha mais nova da Princesa Margaret de Inglaterra e Antony Armstrong-Jones Snowdon, os Condes de Snowden, não teve uma pré-adolescência fácil. Com apenas 12 anos já era confrontada com as notícias dos tablóides britânicos sobre o caso amoroso que a sua mãe teve com Roddy Llewellyn na ilha de Mustique. Estes tumultos duraram até à sepração dos pais em 1978, naquele que foi o mais escandaloso divórcio da história da realeza desde Henry VIII. Três anos mais tarde, era dama de honra no casamento do século: o da Princesa Diana com o seu primo Charles de Inglaterra, com quem manteve uma amizade próxima até à data da morte de Lady Di.
Sarah Armstrong-Jones com a Princesa Diana e o Príncipe Edward em 1983.
Sarah Armstrong-Jones com a Princesa Diana e o Príncipe Edward em 1983. Foto: Getty Images


Nessa altura, já era evidente que tinha herdado o talento artístico dos seus pais. Durante a sua infância, tanto ela como o seu irmão David foram educados entre as rigorosas convenções da família real (com uma ama pessoal que tinham em Kensington) ao mesmo tempo que aprendiam com os seus pais tudo sobre a arte, a cultura e a vida boémia fora do palácio. A vocação de Lady Sarah para a pintura evidenciou-se numas longas férias em família nas residências da sua tia materna, a rainha Isabel II, segundo relata a Vanity Fair espanhola. Foi em Sandringham e Balmoral que a filha da princesa Margarida se dedicou a pintar as paisagens tranquilas onde a família se refugiava.
Rainha Elizabeth, a Rainha Mãe, com a Princesa Margarida e a Lady Sarah Armstrong-Jones em 1975.
Rainha Elizabeth, a Rainha Mãe, com a Princesa Margarida e a Lady Sarah Armstrong-Jones em 1975. Foto: Getty Images


Após ter adquirido o equivalente a um diploma de liceu em Artes, com 19 anos de idade, embarcou com o seu pai numa viagem pela Índia, naquilo que viria a ser um duplo ano sabático intermitente. Foi lá que os dois se envolveram na rodagem do filme A Passage to India - o seu pai foi o responsável pela fotografia do filme, entre 1983 e 1984, e Sarah a sua assistente. Antes disso, durante a rodagem de Heat and Dust, em 1983, onde também assistiu o seu pai, conheceu o seu futuro marido, o ator Daniel Chatto. Casaram-se em 1994 numa cerimónia onde Sarah usou uma tiara que o pai havia oferecido à princesa Margarida. Tiveram dois filhos, Samuel, de 24 anos, e Arthur, de 21.
Sarah Armstrong-Jones com a Rainha Mãe, em 1970.
Sarah Armstrong-Jones com a Rainha Mãe, em 1970. Foto: Getty Images


Além de ser a madrinha do príncipe Harry e aparecer em cerimónias como casamentos ou funerais, a vida de Lady Sarah é bastante privada, tendo vindo a distanciar-se gradualmente das obrigações da realeza e dedicando-se integralmente à pintura. A relação com a rainha, sua tia, é muito próxima: após a morte da Princesa Margarida em 2002, Elizabeth reforçou os laços com a sua única sobrinha, e sabe-se que vão muitas vezes juntas para um dos retiros escoceses favoritos de Isabel II, Craigowan Lodge. Da mãe, herdou o espírito livre e irreverente que em muito se distancia das imposições mais severas de Windsor, e dos "espartilhos" da realeza em geral.
Leia também
Saiba mais Realeza, Histórias Reais, Realeza Britânica, Antony Armstrong-Jones Snowdon, Margarida, Archie, Sarah Armstrong-Jones, Meghan, Henry VIII, Rainha Elizabeth II, Inglaterra, Roddy Llewellyn, Charles de Inglaterra, Mustique, Lady Di, Lady Sarah
Mais Lidas