Beleza

Garnier é oficialmente cruelty-free: a notícia que todos precisávamos

A marca global de beleza confirmou, finalmente, o fim de testes em animais. Este é só o último passo, numa jornada que se quer cada vez mais verde e consciente.

Foto: Pexels
29 de março de 2021 | Marta Vieira

A luta por um planeta mais equlibrado e saudável deve ser uma missão de todos, dos comuns cidadãos, mas também das grandes empresas, nomeadamente no sector da cosmética, um dos mais impactantes ambientalmente falando.

Por isso, ver uma marca global de beleza, comercializada em 64 países e com vendas na ordem de 1,8 biliões de produtos anuais, ter a ambição de se tornar um símbolo de sustentabilidade no mercado, é sem dúvida uma atitude de louvar. E a Garnier não se ficou pela teoria, consumando na prática esta sua intenção.

"A Garnier é uma marca global reconhecida por todos nós. Trabalhar em conjunto com a marca para ajudar a pôr fim aos testes em animais em cosméticos e declará-los oficialmente aprovados pela Cruelty Free International através do Programa Leaping Bunny é um verdadeiro marco", diz a CEO da Cruelty Free International, Michelle Thew.

Garnier pode agora exibir o logótipo da Cruelty Free International Leaping Bunny
Garnier pode agora exibir o logótipo da Cruelty Free International Leaping Bunny
Leia também

A Cruelty Free Internacional é uma organização que visa a abolição total das experiências em animais, através da educação e legislação, responsabilizando e certificando as entidades corporativas em seu redor. 

Já o programa Leaping Bunny tem por exigência que as marcas revejam toda a sua cadeia de abastecimento, das matérias-primas aos ingredientes, uma vez que que os produtos não podem fazer parte do programa de uma forma isolada. Ou seja, para ter este selo, a Garnier teve de assegurar que os seus mais de 500 fornecedores cumprem os critérios de exigência.

Esta não é a primeira ação em direção a um mundo mais ecológico e equilibrado, já que em 2020 a Garnier deu a conhecer ao público a iniciativa Green Beauty, pautada pelo objetivo de criar um impacto positivo para um indústria de beleza mais sustentável. Como? Apoiando a economia local e os agricultores; advogando por fórmulas mais ecológicas nos seus produtos, desenvolvendo embalagens recicláveis; promovendo as energias renováveis nas suas fábricas e juntando-se na luta contra a poluição pelo plástico.

O presidente global da marca, Adrien Koskas não quis deixar passar em branco este marco para a empresa e acrescentou em comunicado que "a Garnier dá mais um passo "verde" para se tornar uma marca totalmente comprometida, verdadeiramente sustentável e transparente que promove uma 'Green Beauty' para todos nós."

Leia também
Saiba mais beleza, marca, Garnier, sustentabilidade, cruelty-free, animais, 2020, 2021, Cruelty Free Internacional, programa Leaping Bunny
Mais Lidas