Atual

Mariana Patrocínio: "Na minha geração há muitos pais que reprovam uma palmada"

Nesta rubrica, as mães desafiadas pela Máxima falam sem filtros sobre a maternidade. Mariana Patrocínio, mãe de três, é uma das primeiras convidadas.

Foto: @marianapatrocinio_
25 de agosto de 2020 | Rita Silva Avelar

Quem foram as primeiras pessoas a quem contou que estava grávida, e quais foram as reações mais épicas/inesperadas?

O primeiro a saber foi sempre o Alexandre, depois irmãs e pais. Não houve reações épicas, um bebe é sempre uma coisa muito boa e natural.

Como correu a experiência da gravidez? Houve diferenças entre umas e outras? Prós e contras, vale tudo…

As três gravidezes foram tranquilas, sem percalços, só que a primeira é novidade e por isso mais emocionante. O melhor de tudo são os dias dos partos, são dias muito bons, vividos em família.

Quando o/a primeiro filho/a nasceu, quais foram os seus primeiros pensamentos?

Primeira sensação foi de alívio por ter tido um bom parto e o bebé ter nascido saudável.

Lembra-se de quais foram as recomendações mais "enervantes" dos amigos e da família?

Truques e teorias sobre os rituais do sono do bebé. Não há verdades absolutas, cada bebé é diferente, o melhor é relaxar…

View this post on Instagram

Wild spirit

A post shared by Mariana Patrocínio (@marianapatrocinio_) on

Quando é que os seus filhos a tiram do sério?

Quando tenho que repetir 100 vezes a mesma coisa até obedecerem, é desgastante. 

O que faz quando os seus filhos não estão a ver, mas que lhes diz para não fazer?

Pegar no telemóvel quando estou à mesa, abrir porta do frigorifico e ficar a pensar no que vou tirar…

Qual foi a maior asneira do pai? Aquele dia em que estava despistado e…

Esquecer-se do boneco de dormir para umas férias…

Quais são os maiores desafios da maternidade, a par de ser mulher e da profissão?

Estar muito presente na vida dos meus filhos em idades diferentes (todas exigentes!), trabalhar, fazer desporto e ter vida social.

É importante ter momentos só para si? De que forma é que consegue fazê-lo?

Muito importante para ser melhor mãe e só se consegue com muita organização. Planeio com antecedência as semanas e fins de semana. É essencial ter programas nossos e não andar "a toque de caixa" dos filhos.

O que é que continua a ser tabu na maternidade, no ser-se mãe?

Acho que na minha geração há muitos pais que reprovam uma palmada ou um raspanete…

Saiba mais Mariana Patrocínio, Maternidade, Confessionário, Mães, Intimidade, Mãe, Confessionário das mães
Relacionadas

As praias de infância das celebridades

Pedimos a várias personalidades portuguesas que fossem ao baú descobrir as fotografias de infância mais emblemáticas do verão na praia. Reconheceria alguma?

Os maiores sacrifícios feitos por atores no cinema

Robert de Niro foi taxista por um mês, Natalie Portman praticou ballet 8 horas por dia durante meses, Jude Law foi ao limite - mas há outras histórias. Ser ator pode ser uma tarefa desafiante e exaustiva, e há quem leve as personagens ao limite.

E quando não se gosta de ser mãe?

A maternidade é o papel mais importante da vida: eles dão muito trabalho mas compensa, o sorriso da criança alivia todos os cansaços. Ou não. Durante décadas não querer filhos foi o grande tabu da maternidade. Hoje, há outro: ter filhos, mas não gostar de ser mãe e sentir arrependimento por ter tomado essa decisão. Um olhar sobre a vida de mulheres que, como as outras, gostam dos filhos, mas confessam que não foram talhadas para o papel.

Mais Lidas
Celebridades Diana e Carlos em Lisboa: o princípio do fim do casamento real

Bela e espirituosa, Diana acompanhou o marido a Portugal em fevereiro de 1987, mas consigo trazia o segredo de um casamento arruinado. Sabendo dos quartos separados no Palácio de Queluz, os tablóides britânicos falaram, pela primeira vez, na crise conjugal dos príncipes de Gales e não mais pararam de os perseguir em busca de sinais comprometedores. A propósito da estreia da quarta temporada da série “The Crown”, recordamos esses quatro dias cruciais para a vida do casal