Atual

Coletivo: um novo berço para a música portuguesa

O clube lisboeta Musicbox desafiou seis editoras independentes a criar projetos que celebram os músicos portugueses no meio da crise artística (e global) que hoje atravessamos.

06 de agosto de 2020 | Vitória Amaral

A situação epidemiológica que o mundo atravessa refletiu-se nos setores ditos essenciais da economia portuguesa, devastando especialmente a área da Cultura e das Artes e colocando a esmagadora maioria dos seus trabalhadores em dificuldades. Assim surge, mais do que nunca, a necessidade de estreitar laços e de apoiar e preservar a indústria musical, uma missão que o clube Musicbox quer apoiar através deste novo Coletivo. A iniciativa tem como ponto de partida as editoras de música independentes e ponto de chegada o próprio clube lisboeta (quando tal for possível).

Inaugurado em 2006, o Musicbox assume-se como um híbrido entre sala de espetáculos e lugar de dança, fruto do trabalho da CTL- Cultural Trend Lisbon, dedicado à gestão e produção de conteúdos culturais autossustentáveis, independentes e multidisciplinares. Neste ambiente eclético característico do Musicbox surge o Coletivo como um meio de incentivar a criação artística e o trabalho em conjunto, no enquadramento dos apoios extraordinários criados pelo Município de Lisboa com o objetivo de apoiar os profissionais do setor das artes e a programação cultural da cidade. Com o apoio do Fundo de Emergência Social- Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, este irá viabilizar projetos originais das editoras portuguesas Cuca Monga, CelesteMariposa, Discotexas, Loves & Lolllypop, Monster Jinx e Omnichord Records e seus respetivos artistas. Até à apresentação do espetáculo ao vivo, todo o processo de criação vai ser acompanhado e documentado, gerando diferentes conteúdos audiovisuais que serão divulgados nas redes sociais. Eis o que sabemos até agora sobre os projetos de cada editora:

A CelesteMariposa, criada pelo produtor e DJ Wilson Vilares, irá apresentar Lisboa Crioula, uma compilação de edições suas de temas de música dos PALOP que ganha vida em palco com banda.

A Cuca Monga, por sua vez, reuniu os seus 20 músicos para criar um disco à distância, que deu origem a Cuca Vida, um espetáculo original que eventualmente levará ao palco a partilha de experiências entre os músicos da editora durante a quarentena.

A editora de Barcelos Lovers & Lollypops convidou seis músicos de seis localidades diferentes para formarem a Banda Clube L&L composta por artistas como Ariana Casellas (Sereias), Rafael Ferreira (Glockenwise), Rodrigo Carvalho (Solar Corona), entre outros, cuja colaboração virtual com o artista multimédia Serafim Mendes resultará num disco e concerto.

Os artistas da Discotexas, editora de música de dança criada por Moullinex e Xinobi, vão apresentar a criação Instituto Superior Techno, projeto que nasceu durante a quarentena como mesa redonda de artistas com afinidades estéticas e humanas que ganhará vida num espetáculo "a várias mãos".

A editora e crew de hip hop Monster Jinx vai formar um quinteto de produtores e instrumentais (Monster Jinx Type Beat, composta por Maria, MAF, DarkSunn, SlimCutz e Vasco Completo) para recriar algumas das faixas mais icónicas da editora e apresentar temas originais que sirvam de banda sonora a futuras festas organizadas pela editora.

Por último, a editora leiriense Omnichord Records vai homenagear Reinaldo Ferreira (Repórter X) ao criar e tocar ao vivo uma banda sonora do filme mudo "Rita ou Rito?" (1927) o primeiro a abordar a temática do travesti.

Pode acompanhar de perto estes projetos nas redes sociais do Musicbox ou saiber mais em musicboxlisboa.com

Foto: Musicbox
1 de 1
Saiba mais Musicbox, música, Coletivo, projeto, criação artística, música portuguesa, artistas, clube, disco, concerto
Relacionadas

Novas sonoridades. Quem é Ela Minus?

Quem assiste a um concerto de Ela Minus reconhece que os seus futurísticos sons eletrónicos provocam uma sensação de que se está num (imersivo) universo paralelo. "They told us it was hard, but they were wrong" é o seu primeiro single.

Mais Lidas
Celebridades O outro lado de Joana Aguiar

Atriz, estudante de gestão e modelo, Joana Aguiar dá cartas na televisão e no cinema portugueses. Por aqui, mostra um lado mais camaleónico que tanto aprecia na profissão, e uma atitude edgy que não se disfarça: ou se tem, ou não se tem.