Apoio
Outubro Rosa
Outubro Rosa

5 séries de televisão que retrataram o cancro da mama tal como ele é

As séries falam da vida e o cancro da mama pode fazer parte dela.

Kim Cattrall, Kristin Davis, e Cynthia Nixon em Sexo e a Cidade (1998)
Kim Cattrall, Kristin Davis, e Cynthia Nixon em Sexo e a Cidade (1998) Foto: IMDb
30 de outubro de 2020 | Joana Moreira

Quem não se lembra de Samantha a enfrentar o espelho e a rapar o cabelo na casa de banho? O Sexo e a Cidade deu palco ao cancro da mama, assim como outras séries que marcaram as últimas décadas da televisão. Alguns episódios terão ajudado a consciencializar a sociedade para a doença, outros, pelo menos, terão alertado mais mulheres para o assunto. Percorremos algumas das séries televisivas que abordaram este tema, com todas as suas particularidades.

Parenthood

Vai haver choro. É praticamente inevitável sendo-se fã da série dramática, que retrata uma família e todas as dinâmicas da animada-conflituosa-real vida familiar. Quando já se criaram laços com as personagens, na quarta temporada, Kristina Braverman (Monica Potter) recebe o temido diagnóstico. Durante vários episódios vemos como uma mulher batalha com a doença, perdendo o cabelo, submetendo-se a quimioterapia, lidando com tudo o que o cancro da mama pode implicar. As boas notícias chegam no final da temporada, quando Kristina está finalmente de perfeita saúde. Mas até lá o espetador sofre (e chora).

A carregar o vídeo ...
Leia também




O Sexo e a Cidade

Só Samantha Jones (Kim Cattrall) para descobrir que tem cancro da mama graças a uma consulta para uma mamoplastia para colocar silicone. Aquela que é uma das séries mais populares do mundo, escolheu abordar o tema precisamente através de uma das suas personagens mais carismáticas de sempre. O resultado é um uma cena épica, com um discurso icónico e empoderador em que se convidam as mulheres a libertarem-se das perucas e a assumirem-se sem cabelo. É possível descobrir ou redescobrir tudo na última temporada de SATC, disponível na HBO.

Leia também

Jane the Virgin

A série, que em Portugal está na Netflix, tratou do cancro da mama da personagem de Xiomara (Andrea Navedo) com delicadeza. Mantido em segredo durante algum tempo, o momento da revelação à família acontece na quarta temporada e é emotivo, pelo que mais vale ter os lenços por perto. Em Jane the Virgin aborda-se o diagnóstico, os diferentes passos da doença, as escolhas difíceis, a quimioterapia, até a fé. Fala-se de cirurgia preventiva à mesa de jantar. Mostra-se como uma família lida com tudo o que o cancro da mama implica. Claro, há uma dose de drama a que nenhuma telenovela (um registo do qual Jane the Virgin se aproxima) foge, mas há também um realismo na importância do apoio familiar impossível de negar.

Playing House

Leia também

A história de Playing House, sobre duas melhores amigas que se unem para criar o bebé de uma delas, é baseada numa amizade real. As protagonistas são altamente inspiradas nas criadoras da série de comédia, que são nada mais nada menos do que… as atrizes da série. É na terceira temporada que Emma (Jessica St. Clair) descobre que tem cancro da mama, algo inspirado na vida da própria St. Clair. Só que o que Playing House traz de diferente para o pequeno ecrã é uma abordagem leve, descomplicada, e acima de tudo, não estereotipada da doença. Não há música triste pronta para nos pôr a chorar. Atenção: continuamos a falar de cancro, mas não deixa de ser com um espírito bem-humorado de uma série que até neste tema vai ser capaz de nos sacar uma gargalhada. Se é a realidade nua e crua de quem sofre com cancro da mama? Não. Se vemos uma cabeça rapada e manifestações físicas que nos confrontam com a dureza da doença? Também não. Mas impele-nos a refletir sobre o poder da amizade nos momentos mais difíceis.

A carregar o vídeo ...




Beverly Hills, 90210

Leia também

Não passou de um susto, mas terá sido das primeiras menções ao cancro da mama numa série de televisão. Embora seja difícil mesurar o impacto de um detalhe destes num programa televisivo, a semente estava lançada para que mais mulheres, sobretudo jovens, se familiarizassem com o assunto. Logo na primeira temporada, Brenda descobre um caroço na mama depois de ver um artigo sobre autoexame. Apesar de a jovem sair do hospital aliviada, a mensagem da importância da vigilância e deteção precoce estava passada.

Leia também
Saiba mais Samantha Jones, Kristina Braverman, Sexo, Cidade, Playing House, Parenthood, Jane, Virgin, artes, cultura e entretenimento, cancro, outubro rosa
Relacionadas

Estas são as boas notícias para os doentes com cancro da mama

Fátima Cardoso, diretora da Unidade de Mama do Centro Clínico da Fundação Champalimaud, participou no webinar da Máxima sobre cancro da mama, onde falou dos últimos avanços da ciência, da urgência em contrariar a influência da pandemia e muito mais.

Mais Lidas