Moda / Tendências

Schiaparelli Haute Couture primavera/verão 2018

Inspirada no Norte de África e na mistura entre as culturas europeias e africanas, a Schiaparelli criou uma coleção em que silhuetas fortes jogam com texturas infinitas e padrões étnicos e vibrantes. O resultado é leveza e transparência e transporta-nos para as margens do Nilo e para terras longínquas.

23 de janeiro de 2018 | Andreia Rodrigues
1 de 43
2 de 43
3 de 43
4 de 43
5 de 43
6 de 43
7 de 43
8 de 43
9 de 43
10 de 43
11 de 43
12 de 43
13 de 43
14 de 43
15 de 43
16 de 43
17 de 43
18 de 43
19 de 43
20 de 43
21 de 43
22 de 43
23 de 43
24 de 43
25 de 43
26 de 43
27 de 43
28 de 43
29 de 43
30 de 43
31 de 43
32 de 43
33 de 43
34 de 43
35 de 43
36 de 43
37 de 43
38 de 43
39 de 43
40 de 43
41 de 43
42 de 43
43 de 43
Saiba mais Schiaparelli, haute couture, desfile, primavera /verão 2018
Relacionadas

Chanel Métiers d’Art 2018

Hamburgo, terra natal de Karl Lagerfeld, recebeu uma coleção monocromática inspirada na cultura jovem da Alemanha nos anos 60. Bonés de marinheiro, calças palazzo em ganga riscada e casacos estruturados com influências militares vestiram mulheres andróginas e com atitude.

Primavera/verão 2018: Saint Laurent

Esta estação Anthony Vaccarello devolve power e sex appeal Saint Laurent. Casacos em pele, preto e encarnado, microvestidos coleantes e brilhantes, adornados joias, penas e todo um imaginário que nos fala sobre noite, festas, rock'n'roll e glamour. Empoleirada nuns stilettos altíssimos, a mulher de Vaccarello pisa a passerelle e o mundo - é a mulher que queremos ser.

Christian Dior Couture primavera 2018

A tenda gigante montada nos jardins do Museu Rodin, em Paris, foi decorada com referências a Alice no País das Maravilhas, a primeira pista de que esta seria uma coleção que nos levaria para outros mundos. Maria Grazia Chiuri quis explorar a beleza do subconsciente, recuperando as ideias de Freud e a estética do surrealismo, numa coleção dramática e dominada pelo preto.

Primavera/verão 2018: Dior

Já sabíamos que Maria Grazia Chiuri, diretora criativa da maison, gosta de mulheres fortes, e este desfile voltou a mostrar-nos porquê. A designer recuperou algumas das artistas mais marcantes dos anos 60 e deu-nos uma série de looks carregados de cor e brilho.

Giambattista Valli Couture primavera 2018

O criador italiano trouxe um conto de fadas para Paris, entre a couture mais extravagante e os seus habituais vestidos de princesa, incluindo algumas versões mais curtas, com detalhes em pele e renda e outras curtas à frente e compridas atrás. As estrelas do desfile foram os três vestidos finais, em chiffon e tule, cada um mais opulento do que o anterior, em cor de pêssego, lima e rosa algodão doce.

Alberta Ferretti Limited Edition 2018

A nova coleção da designer italiana é hiperfeminina e repleta de peças sofisticadas e fluidas, bem como algumas mais estruturadas, que captam o lado romântico de Alberta Ferretti. “A minha mulher é poética, adora leveza”, disse a designer ao site da Vogue norte-americana. Não diríamos melhor.

Primavera/verão 2018: Bottega Veneta

Em tons pastel e tecidos sofisticados, Tomas Maier brincou com as cores e texturas para criar uma coleção que eleva a tendência sporty a um patamar de luxo.

Diogo Miranda apresenta Pre-Fall 2018

A nova coleção do designer é feita de combinações improváveis, como um vestido comprido em chiffon de seda aliado a um bomber jacket ou uma T-shirt desportiva usada com uma camisa às riscas. As propostas de meia-estação apostam ainda em padrões e cores fáceis de usar no dia a dia que resultam num glamour espontâneo, clássico e confiante.

Elie Saab Haute Couture primavera/verão 2018

O criador transportou-nos para a Paris dos eufóricos anos 20 - jazz, felicidade e a esperança do pós-guerra a borbulhar. Tão sofisticadas como sedutoras, as mulheres de Elie Saab usam vestidos longos e elegantes, em materiais como renda, tule, cetim e seda, sobressaindo os tons pastel.

Primavera/verão 2018: Fendi

Um jogo de opostos entre padrões gráficos, que estamparam os vestidos, casacos e saias, e a elegância da transparência, numa celebração do sexy que as mulheres querem mesmo vestir.

Chanel Haute Couture primavera/verão 2018

A primavera chegou mais cedo a Paris. Rosas, heras, jasmins e flores de todas as cores adornavam um cenário inspirado nos jardins franceses, ponto de partida para uma coleção que quis captar o momento de recomeço que se vive no país. Na passerelle, silhuetas hiperfemininas, vestidos florais, em tule ou cetim, e o icónico tweed da maison mais uma vez reinventado, agora em tons pastel.

Primavera/verão 2018: Moschino

Bikers, bailarinas e inspirações na série 'My Little Pony'. A nova coleção do sempre criativo Jeremy Scott parte de um imaginário,onde tudo é possível, até Gigi Hadid a desfilar vestida com um boquet de flores.

Primavera/verão 2018: Etro

Para celebrar o 50º aniversário da marca, desfilaram, pela primeira vez juntas na passerelle, as coleções feminina e masculina desenhadas pelos irmãos Veronica e Kean Etro.

Jean Paul Gaultier Couture primavera 2018

Jean Paul Gaultier quis homenagear o seu mentor, Pierre Cardin, e criou uma coleção de looks gráficos, inspirados nos swinging sixties e com peças a que chamou Twiggy, Pop, Yellow Submarine ou Cardinella. O desfile foi dominado pelo preto e branco, embora tenham surgido coordenados monocromáticos em vermelho, rosa, verde, azul e amarelo.

Primavera/verão 2018: Alberta Ferretti

A nova coleção Alberta Ferretti é um regresso às origens da marca à qual foi adicionado um novo toque de sensualidade. A sofisticação volta a estar no centro das atenções, em peças com silhuetas minimalistas mas que, por vezes, são interrompidas por volumes inesperados.

Primavera/verão 2018: Emilio Pucci

Inspirada nas raízes da marca, a nova coleção inclui tudo o que precisamos numa mala de férias - peças em seda, kaftans e túnicas perfeitas para destinos paradisíacos.

Primavera/verão 2018: Nº21

Alessandro Dell'Acqua não nos poupou a detalhes com uma passerelle ultrafeminina e alguns apontamentos desportivos.

Primavera/verão 2018: Max Mara

As linhas clássicas características da marca são a base da nova coleção da Max Mara., dominada pela elegância dos tons neutros.

Primavera/verão 2018: Attico

Giorgia Tordini e Gilda Ambrosio voltam a criar uma coleção que faz todas as mulheres sonhar, desta vez com propostas carregadas de brilho e cores fortes.

Primavera/verão 2018: Prada

A nova coleção da marca italiana mistura os padrões mais improváveis, de banda desenhada aos animais, em combinações que, como sempre, resultam na perfeição.

Primavera/verão 2018: Gucci

Com Alessandro Michele no comando, a Gucci regressa em grande, com uma coleção que mistura a inspiração vintage e os detalhes luxuosos que se tornaram numa das suas assinaturas.

Primavera/verão 2018: Lacoste

Lacoste desfila em casa e traz de volta o look retro desportivo dos heróis do ténis. O português Felipe Oliveira Batista apresentou jeans de cintura alta, camisolas largas, fechos expostos e o regresso em força do color blocking.

Primavera/verão 2018: Balmain

Pele, verniz, franjas, brilhos, metalizados, jogos de formas e volumes: o verão de Oliver Rousteing para a Balmain é puro glamour e excentricidade.

Primavera/verão 2018: Chloé

O primeiro desfile de Natacha Ramsay-Levi revisita os detalhes equestres e os vestidos vitorianos que fazem parte do ADN da marca, mas acrescenta-lhes a confiança descontraída da rapariga boémia francesa. As botas em pele de cobra com atacadores e as carteiras com várias alças em cores sólidas antecedem-se como os objetos de desejo da próxima estação.

Primavera/verão 2018: Marni

A Marni celebra a história da moda com a reconstrução de silhuetas e elementos que fizeram parte do vestuário nas décadas de 20 e 60. As cores, inspiradas num jardim de um qualquer País das Maravilhas (com referências a Tim Burton, pura fantasia e uma loja de doces) pintam as cinturas descidas de vestidos românticos.

Primavera/verão 2018: Loewe

Jonathan Anderson desenhou silhuetas simples, inspiradas por técnicas artesanais do passado. Os tons, quase sempre neutros, dão origem a coordenados fluídos que fazem desta umas das coleções mais descontraídas da estação.

Primavera/verão 2018: Balenciaga

Elementos de streetwear combinados com cores e materiais extravagantes - foi essa a abordagem de Demna Gvasalia para a Balenciaga, numa tentativa (bem conseguida) de explorar a beleza caótica na sobreposição de padrões e silhuetas improváveis.

Primavera/verão 2018: Givenchy

Este foi o primeiro desfile de Claire Waight Keller para a casa e mostrou a vontade de seguir um novo rumo criativo. Elegância, sex appeal, peças coleantes em vermelho, azul escuro e bordeaux deram forma a uma coleção de peças estruturadas e padrões gráficos.

Primavera/verão 2018: Céline

Inspirada na joie de vivre dos anos 70, Céline reinventa a mulher minimalista que inspira a marca desde o primeiro dia. Blazers de ombros largos, fatos caqui com cortes masculinos e as variações em pele do clássica trench coat compõem uma coleção leve e depurada.

Primavera/verão 2018: Stella McCartney

Vestidos com padrões africanos, blusões em ganga oversized e saias de baile combinadas com t-shirts largas fazem parte do universo de Stella McCartney para a primavera/verão de 2018. As linhas simplificadas já caraterísticas da estética da marca são agora pintadas em vermelho e magenta, cores que se destacam entre os tradicionais tons terra e o azul escuro neutro de alguns looks mais sóbrios da coleção.

Primavera/verão 2018: Valentino

Uma coleção futurista, onde se destacou o plástico transparente, os tops em lantejoulas coloridas e os casacos oversized repletos de bolsos, que fizeram lembrar uma versão feminina e glamourosa dos fatos de astronautas.

Primavera/verão 2018: Giambattista Valli

Os opostos atraem-se na nova coleção de Giambattista Valli. Vestidos fluídos, padrões florais e os bralettes inspirados na lingerie do início do século XX são agora conjugados com camisas às riscas e coletes de malha saídos dos anos 70.

Primavera/verão 2018: Nina Ricci

A legião francesa foi a grande inspiração de Guillaume Henry, que apostou sobretudo na tendência militar para a sua nova coleção.

Primavera/verão 2018: Louis Vuitton

Nicolas Ghesquière trouxe à passerelle referências históricas do século XVIII, mas reinterpretou-as, cruzando-as com influências do sportswear. O resultado? Casacos estruturados com brocados metalizados conjugados com calções desportivos em seda e ténis. A coleção da Louis Vuitton recria a harmonia perfeita entre dois conceitos opostos.

Primavera/verão 2018: Chanel

A água, como fonte de vida (e também de inspiração) levou Karl Lagerfeld a desenhar uma coleção à prova de chuva, com botas, bolsas e outras peças em plástico. Seis quedas de água e árvores circundantes transformaram o desfile da Chanel numa verdadeira maravilha natural.

Primavera/verão 2018: Miu Miu

Os padrões, sejam florais ou geométricos, marcaram a nova coleção da Miu Miu, mais um elogio da feminilidade, cortesia de Miuccia Prada.

Mais Lidas