Beleza / Wellness

Há boas razões para não correr com o telemóvel

Embora ainda não existam estudos científicos sobre o assunto, os especialistas alertam para os riscos de termos o telemóvel na mão durante a corrida.

Foto: StockSnap/Pixarbay
19 de janeiro de 2022 Ana Filipa Damião

Para muitos de nós, o telemóvel é um acessório indispensável para quando vamos correr. Há quem o guarde numa bolsa à cintura, há quem o leve no braço e - o que não deve fazer - há quem o leve simplesmente na mão. Ainda não sabe, mas este é um hábito que prejudica o desempenho da sua corrida de múltiplas formas – para segurar no telemóvel terá de contrair o braço e o ombro, o que irá contribuir para o aumento geral do cansaço.

Outro pormenor a ter em conta é a perturbação do equilíbrio. O dispositivo "irá criar um peso extra num dos lados do corpo, o que irá dar mais força a essa mão e, assim, causará um desequilíbrio entre os dois lados", explicou a médica Victoria Tchaikovski em entrevista ao site da revista Madame Figaro, embora ainda não existam estudos científicos que comprovem a previsão. 

Isto pode levar a dores nas articulações, principalmente dos ombros, e nas ancas, joelhos e costas. No pior caso, a tensão muscular pode conduzir a uma tendinite.  "Se correr duas ou três vezes por semana durante uma hora, o corpo pode inclinar-se alguns milímetros para o lado onde segura o telemóvel", avisou Cécile Bertin, especialista em jogging.

As consequências não ficam por aqui. Na verdade, até fazem um trio. A esta primeira juntam-se a perda de velocidade e a falta de concentração. As explicações são simples.

Para se correr bem, é necessário usar as mãos para dar impulso e, assim, ganhar velocidade. Porém, o telemóvel apenas irá atrapalhar o movimento e o ritmo do corpo. Além disso, será motivo de distração se receber uma mensagem ou uma chamada enquanto faz o seu jogging diário, o que pode conduzir a acidentes e entorses.

Saiba mais
beleza, saúde, correr, exercício
Leia também
As Mais Lidas