Atual

O Cineteatro Capitólio foi remodelado e já tem programação

Uma das salas mais emblemáticas de Lisboa reabre ao público e revela a programação de 2018, que começa já no dia 23 de fevereiro.

22 de fevereiro de 2018 | Andreia Rodrigues
O Cineteatro Capitólio, um dos edifícios lisboetas mais emblemáticos e situado no Parque Mayer, desempenhou, dos anos 30 aos anos 80 do século XX, um papel crucial na produção artística nacional e nas práticas culturais da cidade e da região de Lisboa e acolheu uma geração de artistas que marcou a história da nação.

Agora, 30 anos após o seu encerramento, as portas do Cineteatro Capitólio reabrem ao público. O renovado Cineteatro Capitólio – Teatro Raul Solnado (nome com o qual foi rebatizado em homenagem a uma das figuras mais icónicas deste cineteatro) estará sob a direção da Sons em Trânsito nos próximos cinco anos e a promotora já apresentou as suas primeiras propostas programáticas para 2018.

Para o diretor-geral da promotora, Vasco Sacramento, esta é "uma enorme alegria e responsabilidade tomar conta de uma sala emblemática, com tanta história", explica, em comunicado à imprensa. "O Capitólio quer assinalar os grandes acontecimentos da cidade de Lisboa, como a Eurovisão, os Santos Populares ou a Web Summit", reforça.
A programação que a Sons de Trânsito idealiza para o Capitólio centra-se em três vetores: música, cinema e humor. Os espetáculos começam já no dia 23 de fevereiro, com um concerto de Sérgio Godinho (que se repetirá nos dias 24 e 25 de fevereiro). A 6 de abril é a vez de Marco Rodrigues, seguido de Liniker e os Caramelows a 7 de abril, PAUS a 13 de abril, Rhys Lewis a 14 de abril e Héber Marques a 28 de abril. A 24 de maio conte com a atuação de Elisa Rodrigues e em junho é a vez de Beth Ditto, a 7, e Cícero Rosa Lins, a 20.

O Capitólio será também palco de alguns eventos, como Style Out Loud, a 8 de março, o St. Patrick’s Day Jameson, a 16 de março (com atuações de Capicua, Mirror People, Moullinex, Sonja e Kid Franciscolli), ou o Clazz Jazz Festival, a 13 e 14 de julho. Continuará ainda a receber o festival Vodafone Mexefest, a 23 e 24 de novembro.

O Cineteatro Capitólio localiza-se no Parque Mayer, junto à Avenida da Liberdade, em Lisboa.

 

O Cineteatro Capitólio remodelado
Foto: Nelson Garrido
1 de 10 / O Cineteatro Capitólio remodelado O Cineteatro Capitólio remodelado
Capitólio, Exterior Geral
2 de 10 / Capitólio, Exterior Geral Capitólio, Exterior Geral
Capitólio, Plateia em pé
3 de 10 / Capitólio, Plateia em pé Capitólio, Plateia em pé
Capitólio, Plateia Sentada
4 de 10 / Capitólio, Plateia Sentada Capitólio, Plateia Sentada
Capitólio, Terraço
5 de 10 / Capitólio, Terraço Capitólio, Terraço
Capitólio, Terraço
6 de 10 / Capitólio, Terraço Capitólio, Terraço
Capitólio, Arquivo Municipal
7 de 10 / Capitólio, Arquivo Municipal Capitólio, Arquivo Municipal
Capitólio, Arquivo Municipal
8 de 10 / Capitólio, Arquivo Municipal Capitólio, Arquivo Municipal
Capitólio, Arquivo Municipal
9 de 10 / Capitólio, Arquivo Municipal Capitólio, Arquivo Municipal
Capitólio, Arquivo Municipal
10 de 10 / Capitólio, Arquivo Municipal Capitólio, Arquivo Municipal
Saiba mais Parque Mayer, Cineteatro, Raul Solnado, Capitólio, Sons em Trânsito, Vodafone Mexefest, Clazz Jazz Festival, artes, cultura e entretenimento, Style Out Loud
Relacionadas

Os melhores programas de fim de semana

Ir ao teatro ver uma comédia-dramática, provar gelado de cerveja ou petiscar na rua. Os melhores programas para os próximos dias, seja em família ou em modo romântico.

Passageiro Frequente: Afonso Cruz

Filosofia e viagem são coordenadas essenciais para navegar em Jalan Jalan - Uma Leitura do Mundo (Companhia das Letras), o mais recente livro de Afonso Cruz. Pedimos ao autor, que também é ilustrador, cineasta e músico, que nos falasse das suas deambulações literárias.

"Sempre quis ter uma vida normal. Entrar às 9h e sair às 5h"

Discreta e de pés assentes na terra tornou-se um dos maiores exemplos do universo da representação nacional. Está-lhe no sangue, mas não só: é matéria de que é feita. A Máxima manteve uma conversa com Joana Solnado, a atriz que diz só ser atriz porque não lhe é possível ser outra coisa.

Mais Lidas