Atual

‘Introducing Selma Blair’, o documentário sobre a vida da atriz com esclerose múltipla

Diagnosticada em 2018, a atriz de 46 anos é o centro de um documentário sobre a doença incurável que quase a matou.

A carregar o vídeo ...
19 de agosto de 2021 | Ana Damião

"Estamos a filmar os últimos dias da minha vida", diz Selma Blair a certa altura do novo documentário.

Depois de lutar durante anos contra a doença autoimune, a atriz submeteu-se a um transplante de células estaminais em 2019, acreditando que seria a sua única hipótese de sobrevivência, avança a Vanity Fair.

Viajou para Chicago, EUA, onde começou o tratamento. Deixou de tomar a sua medicação habitual e fez quimioterapia para baixar ainda mais as defesas do sistema imunitário. Depois da cirurgia, foi obrigada a isolar-se no recobro durante semanas, de modo a não apanhar nenhuma infecção.

Segundo a revista norte-americana, a atriz concordou filmar a sua jornada após conhecer Rachel Fleit, realizadora que também sofre de uma doença autoimune. No trailer, vemos Blair a despedir-se do filho antes de entrar no bloco operatório, bem como outros momentos passados no hospital, entre lágrimas.

Leia também

"Acreditei que tinha alguma coisa para partilhar", disse em entrevista à Vanity Fair. "Espero que a minha vida pequenina dê a alguém que precise alguma esperança ou risos ou mais consciência de nós mesmos", acrescentou. Através do documentário, Selma Blair quer também mostras as várias facetas que a esclerose múltipla pode ter e as formas como pode afetar cada pessoa.

View this post on Instagram

A post shared by Selma Blair (@selmablair)

Leia também

A atriz de filmes como Hellboy tem sido uma presença assídua no Instagram desde o dia em que que partilhou o seu diagnóstico. Porém, é em Introducing Selma Blair que vemos verdadeiramente a sua condição debilitante - a dificuldade que tem em falar ou em subir escadas.

"Honestamente, este é o meu primeiro papel como protagonista", brinca na entrevista à Vanity Fair. Durante as filmagens, terá dito a Fleit que não conseguia controlar o corpo, o que era extremamente assustador.

"O meu objectivo era mostrar uma forma diferente de estar no mundo, mas também mostrar uma mulher que se aceita a si própria", explicou Fleit à mesma publicação. "Isso, para mim, é a coisa mais inspiradora - porque parece que é tudo o que temos", continuou.

"Ela inspira milhões de pessoas. Tem uma enorme plataforma nas redes sociais… Nós vemos isso claramente no documentário – ela é uma estrela", disse Fleit.

Leia também

Nem tudo está perdido. A atriz revelou na última segunda-feira, 16 de agosto, que a esclerose múltipla da qual sofre está em remissão, fruto do transplante que fez. "O meu prognóstico é ótimo. Estou em remissão. As células estaminais colocaram-me em remissão. Demorou cerca de um ano de tratamento com células estaminais até as inflamações e lesões abrandarem", partilhou com a revista People.

Introducing Selma Blair estreia no Discovery+ a 21 de outubro.

Leia também
Saiba mais Introducing Selma Blair, Vanity Fair, Rachel Fleit, selma balir, celebridades, Hollywood, esclerose múltipla, doença autoímune, cinema, documentário
Mais Lidas
Atual Os 5 signos que adoram criar drama

Sabe aquela amiga que faz um escândalo por uma coisa mínima? E a outra que atrai sempre olhares indiscretos com o seu tom de voz? Descubra se alguma delas está entre estes signos.