Prazeres

Picamiolos, o novo restaurante de petiscos para os mais destemidos

Miudezas, como costeletas de coelho fritas ou cérebro de borrego, são as iguarias do novo espaço do Cais Sodré. Aventure-se, porque a ousadia vale – muito - a pena.

22 de março de 2019 | Rita Silva Avelar

Chama-se Picamiolos e ocupa os números 2, 4 e 6 da rua do Corpo Santo, no Cais Sodré (ou o seguimento da rua cor de rosa) em Lisboa. Este novo restaurante é tudo menos convencional, mas tudo o que nele se pode provar é do mais tradicional que existe. Com influência na cozinha alentejana (mas não só) o Picamiolos surgiu de um desafio lançado por Ricardo Santos e Leonor Brito – proprietários do By The Wine (na rua das Flores) – ao chef José Júlio Vintém (do reputado Tomba Lobos, em Portalegre). Um convite à prova de miudezas e extremidades (orelha, focinho, miolos, e por aí fora), aproveitando todas as partes da carne que é servida, o Picamiolos tem dois pisos e lugar para mais de 100 pessoas, tendo o espaço, luminoso, sido pensado pelo arquiteto Tiago Silva Dias para ser minimal, caloroso, mas com um toque vintage. Nas paredes, ao alto e tanto no piso térreo como no superior, figuram cabeças de animais, obras da artista plástica Catarina Catalão.


É com Leonor que nos sentamos à mesa, para provar alguns dos petiscos mais tradicionais, saborosos e controversos da carta do Picamiolos (há quem adore, há quem fuja, mas há opções na carta para todos). Com algumas adaptações dos pratos do habilidoso chef José Júlio Vintém e pratos feitos de raiz para o restaurante, nas entradas destacam-se as "pétalas de toucinho (€6), finas fatias de toucinho de porco ligeiramente aquecidas já no prato e servidas com alho e tomilho-limão ou as costeletas de coelho fritas com mel e limão (€12) ou focinho de porco grelhado (€9) ou miolos de borrego panados (€10).

Seguindo para os pratos principais, há sugestões mais ousadas como touro bravo grelhado (€25) ou barriga de atum com puré de grão (€28) às menos arriscadas, mas igualmente deliciosas, como rabo de boi com puré de cherovia (€16) ou arroz de bochechas de bacalhau (€21). Nas sobremesas, surpreenda-se com a mousse de chocolate com crumble de bacon (€5) ou o pudim de queijo fresco com abóbora (€4,50).

Além da carta, há sempre pratos do dia tradicionais:  segunda é dia de cabidela de galo do campo; terças é a vez de peixe frito com arroz malandrinho; às quartas-feiras há cozido de grão; quinta-feira serve-se bacalhau com grão e couve portuguesa. Por fim, sexta-feira há favas com chouriço e entrecosto (os preços variam entre os €11 e os €14).

Onde? Rua do Corpo Santo, 2, 4 e 6, Lisboa Quando? De segunda-feira a sábado, das 12h30 à meia-noite. Como reservar? 215890487

1 de 15
2 de 15
3 de 15
4 de 15
5 de 15
6 de 15
7 de 15
8 de 15
9 de 15
10 de 15
11 de 15
12 de 15
13 de 15
14 de 15
15 de 15
Saiba mais Picamiolos, Cais Sodré, Lisboa, José Júlio Vintém, Ricardo Santos, Leonor Brito, By The Wine, rua das Flores, Tomba Lobos, Portalegre, Tiago Silva Dias, Catarina Catalão, Viagens&Gourmet
Relacionadas

O melhor da cozinha de Telavive em Lisboa

O novo Hummusbar, no Mercado de Campo de Ourique, serve pão pita feito de forma artesanal em Israel, de onde também vêm as especiarias secretas que provámos nos pratos.

O que fazer este fim de semana?

Fazer uma prova de vinho, sair à noite ou ver um filme acompanhado de uma orquestra – 4 ideias programas que aproveitar o fim de semana de sol.

Mais Lidas