Prazeres

Está escrito nos números? Esta consulta mística responde

Testámos uma consulta que alia a numerologia ao tarot e à mesa radiónica quântica na Living by Numbers. Quem nunca se perguntou se realmente “está escrito” nas estrelas ou nos números?

Foto: Coco Tafoya / Unsplash
07 de setembro de 2020 | Rita Silva Avelar

Enfermeira durante mais de 20 anos, Paula Góis dedicou uma boa parte da sua vida a cuidar dos outros. A missão de cuidar, para ela, perpetua-se naquilo que faz hoje: ajudar a que as pessoas estejam em harmonia com elas mesmas e com os outros, despertando, muitas vezes, autênticas viagens de autoconhecimento. Ou seja, Paula define-se como uma "cuidadora", apesar de já não estar inscrita na Ordem dos Enfermeiros nem exercer a profissão. Como? Através da numerologia. "Para mim, é uma ciência não exata, mas isso é discutível. O que eu faço é tratar do ser humano na sua área espiritual e mental." Há quem a qualifique como pseudociência, ou como ferramenta de autoconhecimento. O certo é que a numerologia é uma prática milenar, que tem sido usada da Antiguidade à atualidade.

"Tudo começou quando fiz uma consulta de tarot, ainda era enfermeira. Queria investir em mim" explica Paula Góis, sobre quando em 2011 decidiu mudar o rumo da sua vida, depois de tirar um curso de tarot e mais tarde o curso "Números com Tarot" onde aprendeu como aliar estes dois métodos de previsão do "antes, do presente e do futuro", descreve. "Estive durante muito tempo sozinha, a estudar e a treinar, todos os dias. Fiz mais dois cursos, um deles brasileiro, online, e mais tarde fiz um curso sobre a mesa radiónica com um amigo." Assim nasce o Living by Numbers, onde começou por dar consultas personalizadas. "Sempre fui a ovelha negra, a Maria que não vai com as outras" conta, pelo facto de aliar três métodos que não costumam ser cruzados.

Entretanto abriu um primeiro espaço, para começar a dar as consultas, e mais tarde mudou-se para um escritório mais amplo, em Setúbal, decorado à sua medida, luminoso e harmonioso. "Quis que a pessoa se sentisse aqui como se estivesse em casa. Toda a gente entra aqui com exclamações de espanto. Mesmo que não seja o estilo da pessoa, a sensação é a de que está a entrar na minha casa…" 

Incluo-me nessa vaga de reações, ao entrar no número 52 da rua Capitão Tenente Carvalho Araújo, e descobrir o convidativo escritório, muito diferente do lugar místico que vemos no imaginário do cinema. Naturalmente céptica, entro com curiosidade e sento-me perante uma ampla mesa de madeira com curiosos elementos pousados sobre a mesma. A consulta de Paula Góis é tripartida e global: começa com a numerologia, parte para o tarot e depois para a mesa radiónica. "Inicio pela numerologia, que é a parte do "eu sou", ou seja, como se define a pessoa, com as suas qualidades, da força à fertilidade, e onde estão implícitos todos os seus ciclos de vida, todo o seu caminho de vida, todas as suas fraquezas" explica, acrescentando que a data de nascimento lhe dá "a porta de entrada para a vida da pessoa quer para trás, quer para a frente, quer no presente", quer no seu interior como no seu exterior.

Paula Góis era enfermeira, até descobrir a numerologia.
Paula Góis era enfermeira, até descobrir a numerologia.

Todas as pessoas têm um número de vida. Descubro que o meu é o onze, um número mestre na numerologia, e que a minha mediunidade (que pode definir-se como uma predisposição para a abertura espiritual) é elevada, com um caminho de vida "47", uma combinação aparentemente espantosa, como me explica Paula Góis. Depois, é hora de "deitar as cartas na mesa", como revela Paula. "A segunda parte da consulta é sobre o "eu estou", é uma altura da consulta em que consigo perceber melhor a energia que paira sobre a pessoa naquela altura da sua vida." Por fim, Paula harmoniza todas essas energias para algo positivo. "Ao identificar todas as energias intrusas, tudo aquilo que não pertence à pessoa, ou tudo aquilo que a pessoa carrega relativamente às vidas anteriores e ao karma. Eu corto, limpo e harmonizo as energias da pessoa para que leve uma vida mais feliz e descontraída", conclui.

Entre outras situações, Paula conta casos de pessoas que melhoraram drasticamente graças à sua intervenção. "Há muitos casos de pessoas com dores, que se julgam doentes, e que se passaram a sentir melhor. Basta estarmos mais deprimidas ou angustiadas, para que em termos imunitários estejamos também mais em baixo. Com as energias, passa-se a mesma coisa" e acrescenta que há bloqueios de todos os géneros, do emocional, ao físico, passando pelo mental.

"Tudo é energia nas nossas vidas, e as pessoas têm que tomar consciência que as energias se cruzam" acrescenta, à medida que vai revelando novos dados com base na minha data de nascimento, e enquanto comenta o impacto das "energias" no mundo. "Como o mundo está neste momento, se as pessoas conseguissem ver, a energia que paira é tensa, as pessoas andam tensas, a beleza mundana não é agradável. Apesar de todos nós ouvirmos falar muito neste campo holístico, do lado espiritual, a crise mundial mostra-nos que estamos ainda muito materializados. As pessoas levam o dia a dizer que estão gratas, mas a gratidão, hoje em dia, é algo raro."

Estando ou não escrito nos números, é um facto que me sinto mais leve ao sair do escritório de Paula Góis, com curiosidade, no mínimo, para saber mais sobre a numerologia e os simbolismos dos "meus" algarismos. Sim, pode ser divertido pensar que aos 34 anos os meus bolsos se encherão de dinheiro ou que os 53 anos estarei perante uma crise existencial. Mas uma coisa é certa, penso no regresso a casa: se muitos de nós adorariam saber precisamente onde estarão daqui a dez anos, sempre preferirei a incerteza do virar da esquina, a iminência da descoberta e o medo da incógnita que é o futuro.

*Uma das solicitações que fazem a Paula, parte de pais que querem traçar o perfil numerológico dos seus filhos para os conhecerem melhor. Além disso, também dá cursos de tarot para os mais curiosos. Para contactos: livingbynumbers09@gmail.com.

Saiba mais Paula Góis, Ordem dos Enfermeiros, Numerologia, Mesa Radiónica, Tarot, Números, Escrito nos Números, Living by Numbers
Relacionadas

Está escrito nas estrelas?

Falar da Astrologia como tendência poderá provocar alguns revirares de olhos ou até sonoras gargalhadas. Sim, não há muito de novo no tema, exceto talvez o interesse crescente e porventura mais desassombrado. Rita Lúcio Martins foi averiguar (e, pelo caminho, fez o mapa astral).

Divórcio. Devem as crianças ir a tribunal?

A lei é clara: a partir dos 12 anos uma criança deve ser ouvida em tribunal quando os assuntos em causa lhe dizem respeito, nomeadamente acerca da sua vida após a separação dos pais. Mesmo quando estão de acordo entre si, mais ainda quando o não estão. Com cerca de doze mil divórcios com filhos por ano, esta é uma nova realidade, por vezes muito controversa, que a 'Máxima' foi descobrir.

Mais Lidas
Celebridades O outro lado de Joana Aguiar

Atriz, estudante de gestão e modelo, Joana Aguiar dá cartas na televisão e no cinema portugueses. Por aqui, mostra um lado mais camaleónico que tanto aprecia na profissão, e uma atitude edgy que não se disfarça: ou se tem, ou não se tem.