ModaLisboa Awake

15 novas marcas que vão dar que falar

O United Fashion reuniu na capital designers de vários países numa troca de ideias entre buyers, imprensa e criativos em plena ModaLisboa. A Máxima foi conhecê-las.
Por Aline Fernandez, 11.03.2020

Foram 15 marcas e 17 designers que aterraram nos Paços do Concelho, na Câmara Municipal de Lisboa para participar no United Fashion, uma iniciativa cofinanciada pelo programa Creative Europe, da União Europeia, que trouxe pela primeira vez à ModaLisboa, um conjunto de designers vindo de países como Alemanha, Bélgica, França, Letónia, Eslovénia e Macedónia.

O evento quis promover a partilha, exposição, networking e oportunidades de negócio na indústria da moda, mas fez algo mais: apresentou marcas de talentos emergentes, que estão a fazer um trabalho que merece ser conhecido e reconhecido pelo público. A Máxima apresenta-os:

Archie Dickens

Cada peça foi feita com materiais que já existiam no estúdio do designer britânico, em Lisboa, ou em sua casa. Nada foi comprado para garantir o desperdício zero.

A Máxima adorou: A camisa branca.

Béhen

A portuguesa Joana Duarte usa tecidos tanto do arquivo pessoal da avó como comprados em mercados por todo o mundo. As peças são confecionadas por um coletivo de mulheres da Fundação Aga Khan, o Madalena Toscany Atelier e da Cooperativa da Valorização de Resíduos de São Tomé e Príncipe.  

Para si, o que é a união na moda? Trabalhar com mulheres do mundo, a colaboração é o ADN da marca.

Qual a peça de roupa mais universal? Casaco.

A Máxima adorou: O blazer branco.

Dawid Tomaszewski

O designer polaco, que vive na Alemanha, fundou a sua marca homónima em 2009. Em Lisboa, apresentou a coleção Chromatic Constellation, que explora cores de alto contraste, como vermelhos, azuis e amarelos e a mistura de materiais, como a seda e o látex.

Para si, o que é a união na moda? Ser bonito – por dentro e por fora.

Qual a peça de roupa mais universal? Um casaco bem-feito. Na minha última coleção há um reversível para diferentes ânimos e ocasiões.

A Máxima adorou: O macacão com brilho.

Lina Maria

A designer belga apresentou Project LM09, feita de peças vintage cortadas e cosidas em combinação com as malhas jacquard. Lina também cria gravuras, que aplica nas sweatshirts, e usa organza combinada com o calor da malha feita a partir de fios desperdiçados.

Para si, o que é a união na moda? Iniciativas como esta. Estou sempre sozinha, portanto ter a oportunidade de estar cá é uma partilha incrível.

A Máxima adorou: A sweatshirt azul com franjas nos ombros.

Lucie Brochard.võ

Lucie criou uma coleção inspirada em peças icónicas de designers franceses dos anos 1950 e 1960, reinterpretando os volumes. Paris Emotion incluiu calças de fato drapeadas, saias justas combinadas com casacos de mangas curvas, túnicas e sobretudos oversized.

A Máxima adorou: O vestido preto em camadas.

One Wolf

Da Letónia para Portugal, Agnese Narnicka trouxe uma coleção unissexo The City Monk, inspirada nos monges tibetanos. Além do simbolismo da simplicidade, as peças têm uma abordagem divertida, com um kit de sobrevivência para o habitante urbano.

Para si, o que é a união na moda? As pessoas.

Qual a peça de roupa mais universal? Os jeans.

A Máxima adorou: A malha laranja.

Opiar

Inspirada na obra Ensaio sobre a Cegueira, de José Saramago, a coleção Janelas Fechadas são Olhos de Cego, de Artur Dias, é jovem, cool e criativa, um reflexo do próprio designer português.

Para si, o que une a moda? Dinheiro, ninguém quer saber de mais nada. Mas, para designers, como eu a paixão.

Qual a peça de roupa mais universal? O vestido.

A Máxima adorou: O blusão de ganga em patchwork.

Sarah de Saint Hubert

A designer belga inspira-se no movimento slow fashion para criar uma colisão de moda desportiva e com twist rock’n’roll e muita feminilidade.

Para si, o que é a união na moda? Paixão.

Qual a peça de roupa mais universal? Blazer. Basta uma blazer para se estar bem vestida e sexy.

A Máxima adorou: O fato em veludo e as botas.

Schmidttakahashi

A coleção explora a ideia de upcycling. A designer Eugenie Schmidt veio da Alemanha (mas nasceu no Tajiquistão) com peças de silhuetas esculpidas com toques geométricos.

A Máxima adorou: O vestido castanho em patchwork.

Snobe

O duo criativo Melissa Deffense e Paris Malungu, da Bélgica, criou uma coleção com uma atenção especial às texturas e materiais. As propostas da marca são sempre muito coloridas e com apelo pelo streetwear.

A Máxima adorou: O blusão azul em pele.

Sofija Urumovic

Da Eslovénia, Sofija transforma as sobras de tecidos em coleção, mas o que gosta mesmo é do processo que envolve a modelagem.

Para si, o que é a união na moda? A ideia de criar um sonho, uma história. Todo o designer está a criar o seu mundo paralelo.

Qual a peça de roupa mais universal? O vestido. Está sempre presente no guarda-roupa dos homens ou das mulheres, mesmo que que não esteja hoje na cultura, em algum momento já esteve.

A Máxima adorou: O vestido-camisola cinzento.

T*Mitrovska

A designer Teodora Mitrovska veio da Macedónia com uma coleção dedicada aos avós, que se foca em dois elementos-chave: a pesca e os uniformes militares jugoslavos. Pode acompanhar o seu trabalho através do Instagram ou Facebook.

Para si, o que é a união na moda? A necessidade de criar histórias.

Qual a peça de roupa mais universal? Eu acho que num mundo onde a pobreza ainda é um grande problema e algumas pessoas não podem dar-se ao luxo de vestir, não pode ainda haver uma peça de roupa universal.

A Máxima adorou: As calças de ganga em tie-dye.

Talented

Quando leu a notícia deque a primeira missão espacial totalmente feminina foi cancelada devido à falta de fatos espaciais apropriados, Indra Komarova transformou seus sentimentos em motivação para esta coleção de roupas funcionais.

Para si, o que é a união na moda? As pessoas.

Qual a peça de roupa mais universal? Não existe essa peça, as pessoas são muito diferentes. O que é universal, porém, é a confiança. Se a pessoa a tiver, cada peça de roupa ficará perfeita.

A Máxima adorou: O casaco florido.

Toos Franken

Inspirada na vida urbana do pós-guerra dos anos 1950, a designer belga Ilke Christiaens criou uma coleção feminina de peças largas como vimos nos fatos, mas manteve camiseiros e saias de cintura marcada.

Para si, o que é a união na moda? A experiência e o conhecimento dos órgãos da United Fashion são incomuns, mas altamente motivadores.

Qual a peça de roupa mais universal? O vestido Rosie é uma peça universal porque permite criar vários looks e combiná-lo com outros itens, como calças e saias e usá-lo também como cardigan.

A Máxima adorou: O sobretudo rosa.

Voir(e)

O Japão foi o fio condutor da coleção Histoire 5, criada pelos franceses Thomas Vasseur e Caroline Descamps. Contou com gabardines, casacos, quimonos curtos, camisas longas uma série de t-shirts largas e hoodies.

A Máxima adorou: A blusa cinzenta metalizada.

Tags: modalisboa awake united fashion moda marca archie dickens béhen dawid tomaszewski lina maria lucie brochard.võ one wolf opiar sarah de saint hubert schmidttakahashi snobe sofija urumović t*mitrovska talented toos franken voir(e)
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!