Moda

Buzina, a marca sem tamanhos nem rótulos

A marca da criadora Vera Fernandes desfila pela primeira vez na plataforma LAB, dedicada a novos talentos. A ‘Máxima’ sentou-se com ela dias antes da apresentação.

07 de março de 2020 | Aline Fernandez

Vera Fernandes é uma apaixonada por moda, de tal forma que a formação em psicologia parece uma realidade muito distante na sua trajetória. Foi criada com a avó materna, que era "uma modelista de mão cheia" e é a ela que confere os créditos desta relação. "Eu acho que o gosto também se educa e isso devo-lhe a ela", contou à Máxima, acrescentando que foi a única neta a crescer entre trapos e até hoje perde-se facilmente numa fábrica de tecidos.

Em 2013, meses após o nascimento da sua filha deu os primeiros passos na área e lançou a meninamanel, uma loja de moda infantil em Joane, em Vila Nova de Famalicão. Daí até começar a criar as suas próprias peças foi uma questão de tempo. "Sempre me vesti de forma um bocadinho à frente, mas quando fui mãe engordei 25 quilos e as minhas calças não passavam do joelho", lembra-se Vera. "Já vestia tamanhos grandes, mas depois disto percebi que muitas pessoas poderiam de facto tinham dificuldade em vestir-se – e eu nunca me tinha deparado com esta situação."

Foi por aí que as coisas começaram. Uma das melhores amigas de Vera ia  casar e, sem encontrar nada que gostasse, viu-se obrigada a recorrer a uma costureira. Os quilos a mais desapareceram, mas os valores da marca Buzina ficaram. "Eu acho que nós, com a nossa postura, com a nossa personalidade, conseguimos ficar incríveis. Não é a roupa que nos faz, nós é que fazemos a roupa", diz Vera.

A criadora vendeu a meninamanel e dedicou-se por completo à nova marca Buzina. O objetivo era desenhar peças que se adaptam a diferentes estilos e corpos, com tamanhos únicos e silhuetas oversized. "Não existem defeitos", afirma Vera, que prefere chamar-lhes feitios. Além de estar a maior parte do tempo com a sua modelista e as três costureiras que trabalham para a Buzina, adora ajudar as clientes na loja, dando conselhos e demonstrando técnicas de styling que explicam como usar a mesma peça de diferentes formas. "Uma mulher insegura destrói qualquer coisa e uma mulher segura faz brilhar até um trapo", reforça.

Leia também

O ADN da marca consiste na força dos tecidos, como as sedas naturais e os tafetás. Todos (para já) são stocks de tecidos parados da Riopele, uma das mais antigas empresas têxteis portuguesas, e de outras fábricas nacionais. "Quando dei conta tinha uma marca sustentável", diz Vera Fernandes.

No ano passado, a criadora esteve no Wonder Room da ModaLisboa Collective. "Fui convidada novamente mas eu achei que a Buzina precisava de mais", diz muita segura e justifica-se com a procura da marca no estrangeiro. "Não fazia sentido, para mim, levar a marca para fora quando o meu país não me reconhecia. Se existe uma Semana da Moda em Portugal faz todo o sentido eu fazer parte dela", explica.

Dias antes do desfile, a 7 de março, a marca lançou ainda a coleção cápsula Simone & Eva com 20 novas peças.

A carregar o vídeo ...
Foto: Associação ModaLisboa
1 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
2 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
3 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
4 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
5 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
6 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
7 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
8 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
9 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
10 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
11 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
12 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
13 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
14 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
15 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
16 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
17 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
18 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
19 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
20 de 21
Foto: Associação ModaLisboa
21 de 21
Leia também
Saiba mais Buzina, ModaLisboa, Awake, outono, inverno, 2020, moda, Lisboa, Semana de Moda
Mais Lidas