Moda

O que vestir neste inverno, segundo a influencer Lucy Williams

A stylist e designer de moda com quase meio milhão de seguidores no Instagram é um dos rostos da Mango e guiou-nos pelas suas peças e tendências favoritas.
Por Aline Fernandez, 03.12.2019

Costumava trabalhar com previsão de tendências. Aproveita para aplicar esse radar ao comprar as suas próprias roupas?

De modo nenhum! Hoje em dia apenas vou pelo meu instinto e tento não pensar em termos de tendências. Eu apenas compro e visto o que adoro e o que diz algo sobre o que eu quero expressar no momento.

Quais as peças nas quais todas as mulheres deveriam investir e ter no guarda-roupa?

Um bom casaco de cabedal preto.

Quais as suas principais apostas quando vai às compras?

Carteiras, botas e calças de ganga são o meu ponto fraco.

O que lhe apetece mesmo vestir neste inverno?

Eu adoro qualquer coisa de cor lavanda, especialmente malhas. Eu também sou apaixonada por qualquer coisa em lurex ou com glitter nesta época do ano. A Mango tem alguns dos melhores vestidos longos, pretos e dourados em lurex e camisolas em malha que são a minha escolha para vestir à noite nesta época do ano.

Ficou conhecida por incorporar a estética da praia mesmo nos dias mais cinzentos e tristonhos de Londres. De onde vem essa paixão pelo mar?

Passei os meus verões à beira-mar no País de Gales, a correr pelas dunas de areia e a andar a cavalo na praia. Definitivamente não é o sítio mais ensolarado, mas acho que estar junto às ondas sempre me fez sentir em casa. Eu acho que talvez a falta de sol quando cresci possa explicar a minha obsessão por lugares mais quentes agora. Eu não viajei muito quando estava na escola, e assim que comecei a viajar aos 18 anos, fiquei viciada em praias tropicais e por explorar sítios sítios novos.

O que mais gosta no estilo britânico?

O quão eclético é. Do grunge ao glamour, cada pessoa pode ser quem quiser.

O seu estilo mudou com o tempo?

Definitivamente. Sinto que se deve cometer erros ao longo do caminho para encontrar o seu verdadeiro estilo. Agora visto-me de forma mais jovem do que nos meus vinte e poucos anos; Eu acho que na altura tentei demais ser chique e adulta. Também trabalhava em revistas e experimentava toda e qualquer tendência de uma maneira muito literal. Hoje em dia, sinto que o meu estilo é muito mais divertido, casual e eclético e estou muito mais em sintonia com o que funciona para mim e o que não funciona.

Qual é a peça favorita no seu guarda-roupa? E a mais significativa?

Neste momento, adoro usar um casaco tartan da marca sueca sustentável Rave Review. É enorme e parece que estou a usar uma capa mágica. Posso ficar bastante sentimental em relação às peças de roupa e tenho uma grande coleção de robes japoneses bordados, t-shirts com slogans e blusas que comprei ao longo dos anos e que significam alguma coisa para mim. Tal como uma pulseira antiga de cobra que pertenceu à minha avó, de que realmente gosto.

A Lucy disse uma vez que deve todo o seu trabalho ao apoio das comunidades femininas. Porquê?

Eu acredito que plataformas como o blogspot, o Instagram e o YouTube tenham democratizado a moda. Qualquer pessoa pode ser designer, escritor ou fotógrafo e não precisa de uma revista para mostrar o seu trabalho e as suas paixões. Nos trabalhos digitais de hoje, se as pessoas que nos seguem gostam do que tu fazes, tu tens um emprego e acho isso incrível. Assustador, às vezes, com certeza, mas incrível e sou eternamente grata a todas as pessoas que acompanharam o meu blogue e meu conteúdo desde seu início, há 10 anos.

Acha que as mulheres devem se apoiar mais?

Alguém me disse uma vez: quando admiramos o que alguém está a fazer ou queremos o que determinada pessoa tem, devemos dizê-lo. Dissipa-se qualquer ciúme ou competição e cria-se instantaneamente um vínculo de apoio. É algo em que realmente acredito. Mulheres a apoiar mulheres é uma frase tão falada no momento, mas eu ainda testemunho muito julgamento online, por isso acho que ainda temos um longo caminho a percorrer. Penso que não devemos apenas apoiar os sucessos de outras pessoas, mas também as suas falhas e o facto de que às vezes podemos errar ou errar o alvo. Estamos a viver num dos períodos mais abertos, diversos e liberais da história, mas também somos atormentados por uma cultura de 'cancelamento'. Acho que apoiar os altos, baixos e diferenças de outras mulheres é importante para ajudar todas as partes da sociedade a florescer.

Com um número tão grande de seguidores no Instagram, como lida com os comentários menos positivos?

Estou sempre recetiva a feedback construtivo e a aceitar ideias e opiniões do meu público. É como eu descubro o que funciona e o que não funciona. Quanto ao feedback menos construtivo, é difícil, mas é sempre de pessoas que não me conhecem, apesar de pensarem que sim, e isso realmente não me abala. A maioria das críticas online diz mais sobre a pessoa que deixa a mensagem do que sobre a pessoa que a recebe.

Qual é o seu conselho para as mulheres que estão a começar a ser mais experimentais em moda?

Viva o lema "se tu gostas, usa-o" por uma semana e veja onde este a leva. Às vezes, acho que todos pensamos muito sobre o que os outros pensam ou sobre o que 'gostaríamos', em vez de apenas seguir o nosso próprio gosto.

Tags: lucy williams mango moda estilo
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!