Beleza

Como a moda e a beleza estão a ajudar no combate ao COVID-19

Em tempos difíceis, a reinvenção e a entreajuda podem tornar-se na alma do negócio. Entre a indústria têxtil e a da cosmética, diversas marcas estão a reorientar as suas fábricas para produzir o que as pessoas mais precisam neste momento. Destacamos algumas.

24 de março de 2020 | Carolina Silva

Com a rápida expansão do vírus Covid-19 para mais de 180 países, as restrições em todo o mundo continuam a aumentar de forma a travar a disseminação do vírus. De portas fechadas ao público, as pequenas e grandes marcas estão agora a direcionar os seus esforços na ajuda à Organização Mundial de Saúde, às autoridades públicas dos países e aos profissionais de saúde que se encontram na linha da frente, através da produção e distribuição de máscaras e de soluções desinfectantes, e de doações monetárias.

Com a escassez de desinfetante a aumentar a cada hora que passa, Bernard Arnaut direcionou as fábricas da divisão de perfumes e cosmética do grupo de luxo LVMH, que detém marcas como a Louis Vuitton ou a Guerlain, para a preparação de quantidades substanciais de álcool em gel, de forma a serem entregues às autoridades públicas em França, desde o dia 16 de Maço e com prioridade para o Hôpitaux de Paris. Também a espanhola Puig, detentora de marcas de perfumaria como Paco Rabanne, Carolina Herrera e Jean Paul Gaultier, alinhou esforços com o Governo espanhol na ajuda ao combate ao vírus Covid-19. Apesar de não fazer parte da sua produção habitual, a Puig iniciou a produção de soluções hidroalcóolicas para colmatar a falta de desinfetates para as mãos.

A L’Oréal já anunciou um plano europeu de solidariedade para o novo coronavírus, apoiando todos aqueles que estão na linha da frente deste combate: as fábricas do grupo iniciaram a produção de gel hidroalcóolico e, em Portugal, distribuíram-se 1500 produtos de higiene para os profissionais de saúde. A La Roche-Posay irá equipar todos os hospitais, lares de idosos e principais farmácias parceiras com o mesmo gel e, em conjunto com a CeraVe, ofereceu 900 máscaras, juntamente com um kit de cuidados de higiene e hidratação das mãos. Já a Divisão de Grande Consumo do grupo, a Garnier irá distribuir mais de 50000 unidades de gel desinfectante, em Portugal, a partir do fim de abril. Para apoiar os mais desfavorecidos, a Fundação L’Oréal fez ainda uma doação de um milhão de euros às suas associações parceiras envolvidas na luta contra a precaridade.

Na moda, os esforços para ajudar também são cada vez maiores. A portuguesa têxtil Sonix foi uma das empresas que decidiu reorientar a unidade industrial para a produção de máscaras e gel desinfectante, enquanto a Science4you, marca portuguesa de produção e desenvolvimento de brinquedos científicos, disponibilizou de forma gratuita qualquer área das suas instalações (10.000 m2) e dos meios ao seu dispor para a produção de materiais que auxiliem e aumentem as ferramentas de prevenção face ao Covid-19.

No país vizinho, a Mango encarregar-se-á, através da sua própria logística, de distribuir dois milhões de máscaras entre os diferentes hospitais de Espanha,. A distribuição será feita seguindo as instruções do Ministério da Saúde.

O grupo Kering, que detém as marcas Gucci, Saint Laurent, Alexander McQueen, Bottega Veneta e Balenciaga, doou cerca de 130000 à Hubei Red Cross Foundation. Em Itália, país onde as necessidades de apoio são cada vez maiores, os CEO’s da Prada doaram, pessoalmente, seis unidades de cuidado intensivo e três unidades de reanimação a três hospitais milaneses enquanto que a Giorgio Armani fez um donativo de 1,25 milhões de euros a hospitais e instituições da mesma cidade.

Da mesma forma, o Grupo H&M está a organizar a sua cadeia de fornecimento para a produção de equipamento protetor pessoal, dando inicio às entregas assim que possível, tendo também a H&M Foundation doado cerca de 460000 para o Covod-19 Solidarity Response Fund, apoiando os esforços globais imediatos da Organização Mundial de Saúde.

Numa iniciativa original que começou na China, o grupo Pronovias disponibilizou vestidos de noiva a todas as funcionárias de hospitais comprometidas. A diretora artística do Grupo Pronovias, Alessandra Rinaudo, fez a curadoria de "The Heroes Collection", uma coleção única desenhada a pensar nas mulheres que estão na linha da frente ao combate da epidemia, elegíveis para um vestido gratuito até ao final de agosto. Rinaudo descreveu estas trabalhadoras como "soldados, implacáveis na sua batalha para curar os doentes".

 

 

Foto: Guerlain
1 de 2
Foto: Guerlain
2 de 2
Saiba mais Covid-19, marcas, doação, moda, beleza, gel, máscaras, solidariedade, donativos
Relacionadas

Guia para ficar em casa (sem perder a sanidade mental)

Salvo as exceções ao abrigo da lei, e determinadas áreas profissionais, o estado de emergência implica impreterivelmente estar em casa, pelo menos nos próximos quinze dias. A psicóloga e coach Filipa Jardim da Silva explica o que podemos vir a sentir, em situação de isolamento prolongado, e como podemos lidar com crianças, parceiro/a, e família.

Mais Lidas