Atual

Afinal, o tempo não cura um coração partido

Quem o diz é um novo estudo apresentado recentemente na Califórnia.

15 de novembro de 2017 | Ângela Mata
Um repentino e sério problema causado por stress emocional pode, a longo prazo, levar ao mesmo tipo de consequências de um ataque de coração. A conclusão é de um estudo levado a cabo pela British Heart Foundation, apresentado recentemente nas American Heart Association Scientific Sessions, em Anaheim, na Califórnia.

A ‘síndrome do coração partido’ tem o nome científico de Takotsubo syndrome e afeta cerca de 3 mil pessoas por ano no Reino Unido. Até há bem pouco tempo os médicos achavam que os pacientes recuperavam na totalidade rapidamente e até sem qualquer tipo de tratamento específico, mas essa ideia agora é refutada.

Os investigadores da Universidade de Aberdeen acompanharam 37 pessoas que sofrem desta síndrome ao longo de dois anos. Através de testes cardíacos, a equipa de investigação deu conta que as funções cardíacas dos pacientes eram frequentemente afetadas por um acontecimento. Os investigadores repararam também que, de vez em quando, os pacientes tinham sintomas de falhas cardíacas muito idênticas às de pacientes que já sofreram ataques cardíacos.

Dana Dawson, fundadora da British Heart Foundation e investigadora da Universidade de Aberdeen, revelou: "É cada vez mais real e percetível que a síndrome takotsubo é muito mais comum do que alguma vez pensámos. (…) A nossa investigação demonstra que o takotsubo precisa de ser tratado com a mesma urgência que qualquer outro problema de coração e que as pessoas que padecem da síndrome deverão necessitar de tratamentos contínuos por causa destes efeitos a longo prazo. O nosso próximo passo será identificar tratamentos que se adequem."

Jeremy Pearson, professor e diretor na British Heart Foundation, afirma também que o takotsubo "é uma doença devastadora que pode atacar qualquer pessoa saudável. Chegámos a pensar que os seus efeitos seriam temporários, mas agora apercebemo-nos de que continua a afetar as pessoas para o resto das suas vidas".

Julia Samuel, autora do livro Grief Works,referiu relativamente a este assunto: "Ao longo dos últimos 25 anos de trabalho com aqueles que enfrentam o luto de alguém que amam, cada uma dessas pessoas tem a sua versão de me dizer ‘o meu coração fisicamente dói’ ou ‘sinto-me de coração partido’. Isto é algo universal em todas as culturas, géneros e crenças religiosas."

Na fotogaleria em cima, recordamos alguns dos mais emblemáticos filmes que nos deixaram ligeiramente de coração partido pelas histórias das personagens que, de alguma forma, ficaram sem o seu grande amor.  

La La Land (2016) | Ryan Gosling e Emma Stone
1 de 30 La La Land (2016) | Ryan Gosling e Emma Stone
Viver Depois de Ti (2016) | Emilia Clarke e Sam Claflin
2 de 30 Viver Depois de Ti (2016) | Emilia Clarke e Sam Claflin
A Culpa é das Estrelas (2014) | Shailene Woodley e Ansel Elgort
3 de 30 A Culpa é das Estrelas (2014) | Shailene Woodley e Ansel Elgort
Like Crazy (2011) | Anton Yelchin e Felicity Jones
4 de 30 Like Crazy (2011) | Anton Yelchin e Felicity Jones
Blue Valentine (2010) | Ryan Gosling e Michelle Williams
5 de 30 Blue Valentine (2010) | Ryan Gosling e Michelle Williams
O Sorriso das Estrelas (2008) | Diane lane e Richard Gere
6 de 30 O Sorriso das Estrelas (2008) | Diane lane e Richard Gere
Expiação (2007) | Keira Knightley e James McAvoy
7 de 30 Expiação (2007) | Keira Knightley e James McAvoy
P.S. I Love You (2007) | Gerard Butler e Hilary Swank
8 de 30 P.S. I Love You (2007) | Gerard Butler e Hilary Swank
Blood Diamond (2006) | Leonardo DiCaprio e Jennifer Connely
9 de 30 Blood Diamond (2006) | Leonardo DiCaprio e Jennifer Connely
The Holiday (2006) | Kate Winslet e Rufus Sewell
10 de 30 The Holiday (2006) | Kate Winslet e Rufus Sewell
Brokeback Mountain (2005) | Jake Gyllenhaal e Heath Ledger
11 de 30 Brokeback Mountain (2005) | Jake Gyllenhaal e Heath Ledger
Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2004) | Jim Carey e Kate Winslet
12 de 30 Eternal Sunshine of the Spotless Mind (2004) | Jim Carey e Kate Winslet
Amor Sem Fronteiras (2003) | Angelina Jolie e Clive Owen
13 de 30 Amor Sem Fronteiras (2003) | Angelina Jolie e Clive Owen
All The Real Girls (2003) | Zooey Deschanel e Paul Schneider
14 de 30 All The Real Girls (2003) | Zooey Deschanel e Paul Schneider
Lost in Translation (2003) | Bill Murray e Scarlett Johansson
15 de 30 Lost in Translation (2003) | Bill Murray e Scarlett Johansson
O Diário de Bridget Jones (2001) | Hugh Grant e René Zellwegger
16 de 30 O Diário de Bridget Jones (2001) | Hugh Grant e René Zellwegger
Doce Novembro (2001) | Keanu Reeves e Charlize Theron
17 de 30 Doce Novembro (2001) | Keanu Reeves e Charlize Theron
All The Real Girls (2003) | Zooey Deschanel e Paul Schneider
18 de 30 All The Real Girls (2003) | Zooey Deschanel e Paul Schneider
Notting Hill (1999) | Julia Roberts e Hugh Grant
19 de 30 Notting Hill (1999) | Julia Roberts e Hugh Grant
A Cidade dos Anjos (1998) | Nicolas Cage e Meg Ryan
20 de 30 A Cidade dos Anjos (1998) | Nicolas Cage e Meg Ryan
Titanic (1997) | Leonardo DiCaprio e Kate Winslet
21 de 30 Titanic (1997) | Leonardo DiCaprio e Kate Winslet
Romeo e Julieta (1996) | Leonardo DiCaprio e Claire Danes
22 de 30 Romeo e Julieta (1996) | Leonardo DiCaprio e Claire Danes
O Paciente Inglês (1996) | Ralph Fiennes e Kristin Scott Thomas
23 de 30 O Paciente Inglês (1996) | Ralph Fiennes e Kristin Scott Thomas
Ghost (1990) | Demi Moore e Patrick Swayze
24 de 30 Ghost (1990) | Demi Moore e Patrick Swayze
Eduardo Mãos de Tesoura (1990)|Johnny Depp e Winona Ryder
25 de 30 Eduardo Mãos de Tesoura (1990)|Johnny Depp e Winona Ryder
África Minha (1985) | Meryl Streep e Robert Redford
26 de 30 África Minha (1985) | Meryl Streep e Robert Redford
Kramer contra Kramar (1979) | Meryl Streep e Dustin Hoffman
27 de 30 Kramer contra Kramar (1979) | Meryl Streep e Dustin Hoffman
Annie Hall (1977) | Woody Allen e Diane Keaton
28 de 30 Annie Hall (1977) | Woody Allen e Diane Keaton
O Nosso Amor de Ontem (1973) | Robert Redford e Barbra Streisand
29 de 30 O Nosso Amor de Ontem (1973) | Robert Redford e Barbra Streisand
Brief Encounter (1945) |Celia Johnson e Trevor Howard
30 de 30 Brief Encounter (1945) |Celia Johnson e Trevor Howard
Saiba mais Reino Unido, British Heart Foundation, Takotsubo syndrome, American Heart Association Scientific Sessions, Dana Dawson, Universidade de Aberdeen, California, Jeremy Pearson, Saúde, Ciência, Tecnologia, Estudo, Investigação, Cinema, Filmes, Coração, Comportamento
Relacionadas

ON/OFF: quando desligar o botão da TV das crianças

O regresso à escola e à rotina traz dilemas antigos: a televisão é uma boa companhia para os nossos filhos? As opiniões dividem-se mas, numa coisa, os especialistas concordam: até aos dois anos, o aparelho deve estar desligado. Depois, é o bom senso parental que deve comandar as escolhas.

O que é que nos está a impedir de dormir?

Conversámos com um neurologista para conhecer as consequências para a saúde da privação do sono e saber como podemos melhorar uma parte tão fundamental da vida – afinal, passamos parte dela a dormir.

Amor, essa linguagem universal

“Não se ama alguém que não ouve a mesma canção” cantava Rui Veloso em plena viragem para os anos 90. Não é ao acaso que continuamos a cantarolar esta metáfora. Terá o amor frequências sonoras diferentes, perdão, linguagens de expressão tão distintas que podem suceder em desencontros fatais? E será essa frequência assim tão difícil de sintonizar?

Mais Lidas