Moda

Curvy Bloggers

 Têm sucesso, estilo, muitas curvas... e uma autoconfiança a toda a prova. Nove bloggers foram desafiadas por Marina Rinaldi a criar looks para a marca. O resultado, mais do que uma declaração de estilo, é a prova de que, com a atitude certa, todas as roupas assentam como uma luva.

03 de janeiro de 2014

Georgina Horne

As escolhas de outfit que fiz com a Marina Rinaldi refletem muito bem o meu próprio guarda-roupa! Peças justas ao corpo que realçam as minhas formas, mas que não mostrem demasiada pele.

Quando decidiu tornar-se blogger?

Comecei o meu blogue depois de participar em vários concursos como modelo plus size e de lingerie, onde fiquei sempre em terceiro lugar! Percebi que a minha motivação por detrás dessas participações não era com o objetivo de vir a ser modelo, mas sim para representar as mulheres com grandes seios como eu. Fiz um blogue para mostrar como as roupas e os soutiens me ficam, para indicar às mulheres onde os podem comprar e também para lhes dizer como e porque funcionam comigo.

Sempre se sentiu confortável com o seu corpo?

Nunca estive tão grande como agora, mas também nunca me senti tão feliz com a minha aparência. Não “preciso” de perder peso pois a minha vida e a minha saúde não são afetadas por isso, mas gostava de ser um pouco menos instável (no peso).

E como imagina que os outros a veem? Isso é importante?

Tenho consciência que nem toda a gente gosta da minha aparência. Algumas pessoas pensam que sou muito gorda, que mostro demasiado o decote, que me visto de forma estranha. Mas, e clichés à parte, as pessoas que mais amo veem-me para além da minha aparência e não me julgam.

Vê-se como uma trendsetter ou como uma inspiração para as mulheres de todo o mundo?

Não me vejo como uma pessoa trendy ou com muito estilo, mas sinto que inspiro as pessoas – e elas inspiram-me de volta! Estou ali para mostrar que as mulheres podem usar vestidos justos que realcem as formas do seu corpo, podem usar lingerie sexy e sensual!

Pode partilhar alguns truques que use para valorizar o seu corpo?

Tirar muitas fotografias de nós próprios é ótimo! Vistam-se, maquilhem-se e divirtam-se tirando fotografias dos vossos outfits! Vão olhar para vocês de uma forma diferente, mais bonita. Outro conselho: oiçam os elogios e ignorem os insultos. Os elogios são dádivas, aceitem-nos. Os insultos são tentativas de nos derrubar, ignorem-nos.

Tem uma rotina específica de beleza/fitness? Quais são os rituais e gestos que não dispensa?

Bebo muita água para ajudar a manter a minha pele lisa e hidratada. Não como muitos hidratos de carbono e faço exercício esporadicamente – neste momento estou a fazer um programa de 30 dias que é fabuloso!

Shopping: é uma necessidade ou uma emoção? Quais foram as últimas compras que fez?

Para mim, são ambas as coisas! As minhas últimas compras foram umas saias brilhantes em jersey com motivos florais.

Falando neste outono/inverno… Quais são as peças que quer ter no seu armário?

Botas com largura ajustável, sobreposições, chapéus e t-shirts justas de manga comprida!

Qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

Foi preciso coragem para deixar que tirassem fotografias minhas em lingerie nos concursos de modelos em que participei! A participação em si já foi um ato de coragem! Mas foi muito libertador e fez de mim aquilo que sou hoje!

 

 Katya Zharkova

“Queria criar um look que fosse versátil e pudesse ser usado tanto de dia como de noite. A saia ajudou a sentir-me sexy e a blusa que acabei por escolher complementou muito bem o look final que me fez sentir absolutamente fenomenal.”

Sempre se sentiu confortável com o seu corpo?

Sempre! Nasci na Rússia e quase faz parte de nós crescermos confiantes com o nosso corpo. Apesar de muitas vezes ser alvo de críticas negativas que tentam deitar-me abaixo e deixar-me insegura em relação ao meu corpo, simplesmente recuso-me a dar-lhes ouvidos.

Como é que descreve o seu papel como blogger? 

Sei que estou a mudar a perceção que as pessoas geralmente têm de figuras plus size. Tento sempre ser muito clara e objetiva na minha mensagem: uma vida feliz tem de ter harmonia. Seja confiante, comece a mexer o seu corpo agora e verá que também tudo à sua volta começará a mexer-se. A harmonia da vida só é alcançada através do movimento, da confiança e da felicidade e espalhar essa mensagem é o meu papel.

Quais são os seus modelos, referências e inspirações?

A minha inspiração é qualquer pessoa que seja forte, confiante e bonita por dentro e por fora. Apesar de reparar sempre no meu dia a dia nessas pessoas, a minha principal aspiração sempre foi ser o melhor que eu posso ser e não ser outra pessoa qualquer.

Pode partilhar alguns truques que use para valorizar o seu corpo?

É muito simples, na verdade. O meu segredo é fazer yoga, comer de forma saudável, ter sempre um sorriso na cara e estar sempre apaixonada pela vida.

Tem uma rotina específica de fitness ou beleza?

Tenho muitas! Eu faço hulha hoop, kitesurf, yoga, ando de bicicleta e subo 5 andares de escadas várias vezes ao dia! E adoro dançar!  

Shopping: é uma necessidade ou uma emoção? Quais foram as últimas compras que fez?

Para mim, é como ir ao teatro! Tento sempre encontrar algo único e diferente que possa ser especial para mim. Quase se pode dizer que sou como uma personagem que vai experimentando novas roupas e coordenados que me possam entusiasmar e inspirar. Comprei umas calças jogging e estou muito animada em usá-las.

Falando neste outono/inverno… Quais são as peças que quer ter no seu armário?

Gostava de ter um vestido e um casaco da mesma cor que se possam complementar num coordenado muito bonito.

Pode dar-nos a sua definição pessoal de coragem?

Sou corajosa porque, ao contrário de outras pessoas nesta indústria, não tenho medo que me vejam sem os efeitos do photoshop. Não há nenhuma razão para uma pessoa não se sentir confortável com o seu corpo porque todos merecemos ser felizes na nossa vida. 

 

Edith Dohmen

“Escolhi uma saia maxi de seda preta dois tamanhos acima do meu para que ela caia mais abaixo na minha cintura, perto das ancas, porque assim fica mais comprida e toca no chão. As saias compridas ficam bem a roçar mesmo o chão e como tenho 1.81m é muitas vezes difícil encontrar uma saia maxi que caia como é suposto. Para a parte de cima, escolhi uma túnica de seda com brilho cor de café que pus por dentro da saia. Como acessórios, usei uma pregadeira na gola da camisa e terminei o look com o blazer também cor de café e dois tamanhos acima do meu para usar sobre os ombros.

Sempre se sentiu confortável com o seu corpo?

Claro que sim! Sempre me senti à vontade no meu próprio corpo. Nunca, mas nunca, me senti gorda. Eu sempre fui um pouco maior e bastante alta, mas nunca ninguém me disse que eu era gorda. Por isso é que eu não me sinto uma mulher plus size, mas sim apenas uma mulher de tamanho normal. Sou uma verdadeira mediana no sentido em que sou grande para os tamanhos considerados normais e pequena para os tamanhos plus size (42-48 EU).

E como imagina que os outros a veem? Isso é importante?

O que eu oiço sempre sobre mim é: “És tão alta! Mas não és plus size.” As pessoas conseguem ver o pacote completo e isso é muito importante para mim. Não apenas a minha cara ou o meu peito ou o meu rabo mas sim o meu todo… Veem Edith Dohmen como uma mulher que é segura de si, que é exatamente como eu me sinto.

Quais são os seus modelos, referências e inspirações?

Herdei a minha confiança da minha querida mãe que infelizmente já faleceu. Ela foi sempre uma mulher de tamanho médio, alta, que vestia entre o 44-46 e nunca a vi como uma mulher gorda, mas sim apenas uma mulher de tamanho um pouco maior. Era designer de moda e vestia-se como uma verdadeira fashionista. Tenho um grande orgulho em ser sua filha. Ela, Sophie Dahl, foi a primeira modelo plus size naquela altura… Lembro-me que, quando tinha 16 anos, ela posava para revistas e, às vezes, as pessoas comparam-me a ela e fico muito contente com isso.

Pode partilhar alguns truques que use para valorizar o seu corpo?

Primeiro, é preciso conhecer bem o nosso corpo, assim fica mais fácil saber como vesti-lo. Depois, é saber qual é a parte do nosso corpo com a qual nos sentimos mais à vontade e aquela que nos deixa mais inseguras e através da roupa destacar uma e disfarçar a outra!

Tem uma rotina específica de beleza? Quais são os rituais que não dispensa?

Sou vegetariana há 15 anos e esse é talvez o meu maior segredo de beleza. Nunca fumei e não bebo álcool. Pode parecer que tenho uma vida aborrecida, mas não é verdade porque sinto-me muito bem assim. Não passo sem os meus longos sonos de beleza: dormir é muito importante para mim, preciso de períodos de descanso na minha vida. Tento ir ao ginásio duas vezes por semana não para perder peso mas para dar forma e tonificar o meu corpo. Adoro mostrar as pernas e os braços que estão no seu melhor quando estão em forma.

Pode dar-nos a sua definição pessoal de coragem?

Coragem é sermos nós próprios! Vestir o que nos apetece. É preciso ter coragem para não termos medo que reparem em nós tanto no trabalho como na moda e na vida em geral. Coragem é não ter medo de dizermos o que pensamos verdadeiramente e dar a nossa opinião sem temer o que as pessoas vão pensar de nós.

MAIS >


 

Stephanie Zwicky

Mal posso esperar para usar o sublime casaco em azul-noite: é a peça perfeita para uma noite na ópera! Por baixo vou usar um vestido preto bordado, com meias pretas e saltos superaltos!

Quando decidiu tornar-se blogger?

Comecei a blogar em 2005 e, na altura, o meu blogue era mais um fórum para mulheres curvilíneas. A ideia subjacente era partilhar dicas de moda e de estilo já que, desde que cheguei a Paris há oito anos (sou da Suíça), depressa percebi que Paris era a capital da moda, depois do 42 francês.

Sempre se sentiu confortável com o seu corpo?

Passei um mau bocado quando era adolescente mas, ao crescer e passando por diferentes experiências na minha vida, aprendi a não viver através dos olhos das outras pessoas. Depois disso, o meu corpo tornou-se o meu “melhor inimigo”.

Como se vê a si própria?

Eu sou uma garrafa de vinho Chianti que comeu demasiado tiramisu!

Como descreveria o seu papel como blogger?

Em França, abro caminho em direção a um tipo de beleza diferente. Uma oportunidade livre para as mulheres francesas que não usam o tamanho 36.

Vê-se como uma trendsetter (ou talvez como uma inspiração para as mulheres de todo o mundo)?

Na verdade, não acho isso e não é certamente essa a razão pela qual blogo da maneira que o faço. Do que eu me apercebo é do elevado número de mensagens que recebo dos meus seguidores. Acho que abri caminho para aquelas que não se atrevem: a moda que eu proponho é diferente e livre. Se eu tenho sucesso a inspirar nem que seja apenas uma pessoa, já é perfeito.

Quais são os seus modelos, referências e inspirações?

Coco Chanel, Karl Lagerfeld, Phoebe Philo. Também sou muito inspirada por arte, arquitetura e simplesmente tudo à minha volta. Adoro sentar-me do lado de fora de um café e ver o que se passa à minha volta. Também sou apaixonada por filmes antigos italianos e por Federico Fellini e a sua visão das mulheres.

E quais são as peças especiais do seu armário?

Tenho roupas que aprecio como uma coleção de arte. As minhas favoritas são um blusão biker em pele, um colete em pele de marta, todas as minhas saias rodadas e os meus 300 pares de sapatos

Shopping: é uma necessidade ou uma emoção? Quais foram as últimas compras que fez?

É uma excitação permanente! A minha última compra foi um fantástico par de sapatos em pele com franjas douradas Marni.

Falando neste outono/inverno… Quais são as peças que quer ter no seu armário?

Casacos coloridos para iluminar os dias cinzentos, peças em pelo e pele e meias em cores fortes.

Qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

A coisa mais corajosa que eu já fiz foi mudar a minha vida completamente há oito anos quando deixei a Suíça para ir para Itália. E, quando estava em Turim, decidi mudar-me para Paris para perseguir o meu sonho de ser atriz.

 

Roberta Scagnolari

O look de dia representa o lado roqueiro da minha personalidade! Biker boots, t-shirt preta com aplicações em tule e umas leggings pretas brilhantes. O look de noite é algo com que eu sempre sonhei, reminiscente do estilo dos anos 20 com decoração em penas de avestruz.

Quando decidiu tornar-se blogger?

Comecei pelo YouTube, onde tinha um canal para mostrar vídeos tutoriais de beleza e maquilhagem. O meu desejo e necessidade de partilhar fizeram-me regressar ao meu primeiro amor que é a escrita, por isso há quatro anos decidi começar o meu blogue, além do canal no YouTube.

Como se vê a si própria?

Sou suave! Acho que é o melhor adjetivo para me descrever e não apenas fisicamente!

Como é que faz passar a sua mensagem para ultrapassar tantas ideias feitas e preconceitos relacionados com a imagem?

O meu campo é a beleza, em especial a maquilhagem. Muitas vezes lido com mulheres lindas, reais e com alguns “quilos extra”. Brincar com a maquilhagem ajuda-nos a descobrir coisas sobre nós próprias que poderiam permanecer em segredo, é quase um tipo de terapia para apoiar todas aquelas mulheres que se sentem soterradas pela imagem atual do estereótipo de beleza perfeita. Somos todas bonitas, basta um sorriso para o mostrar.

Como descreveria o seu papel como blogger?

Irónica sobre mim própria, espontânea, suave e roqueira!

Quais são os seus modelos, referências e inspirações?

Adoro a cantora Adele, ela sabe como estar elegante em qualquer ocasião. As minhas inspirações vêm de muitos dos blogues de moda que eu sigo, do streetstyle e do meu mood quando acordo de manhã.

Tem uma rotina específica de beleza/fitness? Quais são os rituais e gestos que não dispensa?

Neste momento, estou a ter aulas de zumba e adoro, é a atividade perfeita para recarregar baterias ou abanar as energias extra ao mesmo tempo. A minha rotina de beleza é bastante longa porque a beleza é o meu negócio e por vezes muda.

E quais são as peças especiais do seu armário?

As leggings são um must. Eu normalmente conjugo-as com peças em tule e sapatos com tachas. Eu também tenho uma paixão por padrões inspirados em beleza, especialmente padrões com bocas.

Falando neste outono/inverno… Quais são as peças que quer ter no seu armário?

Eu não vou, definitivamente, perder pelo menos um par de slippers. Adorava atrever-me com uma peça metálica, mas ainda não estou decidida em relação a isso.

Pode dar-nos a sua definição pessoal de coragem? Qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

Coragem, para mim, significa seguir os sonhos, independentemente do que possa acontecer. A coisa mais corajosa que já fiz até agora foi escrever um livro sobre maquilhagem (Make-up. Vi racconto I suoi segreti e la sua storia, Alberti Publishing House) e não é apenas o facto de o ter escrito sozinha, mas também ir à procura de uma editora que o tornasse realidade. Acreditar nele desde a primeira página foi o meu maior e arriscado desafio.

 

Gabi Gregg

Este look resulta de uma bonita combinação de cores! Um vestido lápis em verde-ervilha combinado com um rico casaco brocado em roxo.

Quando decidiu tornar-se blogger?

Estava muito interessada em jornalismo de moda e como não conseguia encontrar um emprego, pensei que um blogue seria um ótimo ponto de partida. Também sabia que não havia muita oferta nessa área para jovens mulheres plus size e quis preencher esse vazio.

Sempre se sentiu confortável com o seu corpo?

Eu adoro o meu corpo! Envolvi-me num movimento de positivismo relativamente ao meu corpo há quase uma década e não me arrependo.

Como se descreveria a alguém que não a conhece?

Eu diria que sou a miúda gorda com o cabelo encaracolado. Mas não acho que ser gordo seja uma coisa má. Vejo-me a mim mesma como uma rapariga bonita e curvilínea.

E como imagina que os outros a veem? Isso é importante?

Acho que os outros também me veem como uma rapariga bonita porque é assim que eu me vejo, é isso que eu projeto para fora. Mas aquilo que os outros pensam de mim não é importante.

Como é que faz passar a sua mensagem para ultrapassar tantas ideias feitas e preconceitos relacionados com a imagem?

Na maior parte das vezes, ignoro essas ideias preconcebidas. E quando elas surgem, tento que isso se transforme numa motivação extra para trabalhar ainda mais pela igualdade na moda.

Vê-se como uma trendsetter ou como uma inspiração para as mulheres de todo o mundo?

Sim, o que é estranho para mim, mas excelente ao mesmo tempo. Recebo imensos e-mails de mulheres de todo o mundo a dizerem-me que mudei as suas vidas.

Quais são os seus modelos, referências e inspirações?

Inspiro-me no street style e noutras bloggers. Recebo inspiração de mulheres de todos os tamanhos e uma das minhas favoritas é a Karla, do Karla’s Closet. Também gosto muito da Solange Knowles e da Alexa Chung. Quanto às inspirações plus size, adoro a Beth Ditto e a Adele.

Shopping: é uma necessidade ou uma emoção? Quais foram as últimas compras que fez?

Eu adoro fazer compras! As minhas últimas aquisições foram um par de botas em pele com estampado leopardo e muitos óculos de sol XXL.

Falando neste outono/inverno… Quais são as peças que quer ter no seu armário?

Adoro crop tops durante o verão e quero continuar a usá-los no outono. Também gosto de grandes casacos estruturados e calças skinny.

Qual a sua definição de coragem e qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

Coragem é saber que as outras pessoas não irão concordar com as tuas ações e fazê-las mesmo assim. A coisa mais corajosa que já fiz foi rejeitar os padrões de beleza tradicionais e começar um blogue onde encorajo as mulheres a gostarem de si mesmas independentemente do tamanho.

MAIS >


Melike Çarpatan

O coordenado que fiz para a Marina Rinaldi é um vestido atrevido que assenta perfeitamente na cintura. É um vestido pelo joelho que chama a atenção para a linha da cintura. Apostei num look elegante, com estilo, trendy e sexy, combinando o vestido com umas sandálias de saltos altos que apertam no tornozelo.

Quando decidiu tornar-se blogger?

Quando era criança, a minha mãe, a minha tia e eu costumávamos ir às compras. Naquela altura, as lojas de plus size eram tão limitadas como hoje. Elas nunca regressavam a casa felizes. Eu tinha cerca de seis anos e esta situação começou a ocupar espaço no meu coração. Eu não as queria ver infelizes e, quando me perguntavam o que eu queria ser no futuro, respondia sempre: “Quero vestir mulheres plus size.”

No fim de 2011 dei o primeiro passo para concretizar a minha missão – “garantir que as mulheres plus size são felizes em roupas bonitas” – com a minha experiência de estudos e trabalho. Comecei a escrever um blogue para mulheres plus size: Dolabimi seviyorum (I love my closet). O que começou como um blogue tornou-se um site de vendas a 1 de maio de 2012, devido aos intensos pedidos dos seguidores.

Como se descreveria a alguém que não a conhece?

É importante ser bem-humorado, compreensivo e amigável. Isto esconde muitos dos defeitos físicos. Fisicamente, posso descrever-me como feminina, trendy, minimal e sexy.

Qual o seu papel como blogger?

Estou a tentar mostrar que as mulheres plus size podem usar o que quiserem. Dou informação sobre como reconhecer os seus corpos e como vestir de acordo com as suas silhuetas. Tento dar uma combinação de conforto, elegância e feminilidade. Oiço os problemas delas e tento encontrar uma solução. De facto, estou a fornecer uma espécie de consultoria de estilo.

Pode partilhar alguns truques que use para valorizar o seu corpo?

Eu tenho uma silhueta ampulheta e adoro mostrar as minhas costas. Prefiro camisas e vestidos que me envolvam de forma a mostrar a minha cintura. Gosto das minhas pernas e prefiro vestidos pelo joelho ou acima, calças skinny até ao tornozelo para fazer as pernas parecerem mais longas. Uso saltos altos para alongar o meu corpo, adelgaçar as minhas ancas e fazer as minhas pernas parecerem mais magras. Prefiro os decotes em V ou à barco em blusas, assim pareço mais alta e o meu pescoço parece mais longo.

Shopping: é uma necessidade ou uma emoção? Quais foram as últimas compras que fez?

Ir às compras é uma situação de grande emoção, claro. Vestir é uma necessidade, mas roupas bonitas são uma verdadeira excitação. As minhas últimas compras são uma camisa em padrão leopardo e um vestido de cintura subida. Também comprei um casaco que combina pele e tecido.

Qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

Coragem, para mim, é dar um passo em direção ao desconhecido, apesar dos medos. Eu pus de lado ofertas muito boas, para me dedicar a vestir mulheres plus size, que era o meu único objetivo de vida, enquanto trabalhava em postos invejados por muitos durante treze anos. Acho que é um grande exemplo de coragem.

Qual a sua definição de coragem e qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

Coragem é saber que as outras pessoas não irão concordar com as tuas ações e fazê-las mesmo assim. A coisa mais corajosa que já fiz foi rejeitar os padrões de beleza tradicionais e começar um blogue onde encorajo as mulheres a gostarem de si mesmas independentemente do tamanho.

 

Iris Tinunin

Para Marina Rinaldi, criei dois looks completamente diferentes. O primeiro é um visual muito forte em preto total com leggings, um top em seda e botins com grandes saltos. O segundo é um look para a noite composto por uma saia preta com um laço, pumps muito altos, uma blusa delicada e um colar de contas.

Quando decidiu tornar-se blogger?

O principal objetivo era seguir a minha paixão pela moda e o desejo de desempenhar um papel ativo nessa área. Eu já era uma seguidora apaixonada de alguns bloggers estrangeiros e, uma vez que, nessa altura, os blogues em Itália ainda eram um fenómeno novo, decidi arriscar.

Como se descreveria a alguém que não a conhece?

Descrevo-me exatamente como sou: baixinha (156 cm) e curvilínea. Acho que até tenho uma visão bastante coerente de mim mesma.

Como é que faz passar a sua mensagem para ultrapassar tantas ideias feitas e preconceitos relacionados com a imagem?

Consigo fazê-lo desde que tenho mulheres e raparigas do meu lado. Fisicamente, eu represento mulheres normais: as minhas seguidoras conseguem ver-se em mim porque não há nenhuma diferença entre nós. Elas podem inspirar-se em mim porque sou um modelo acessível, alguém que se parece com uma amiga ou colega de escola, uma rapariga comum que elas podiam conhecer num ginásio ou numa mercearia.

Quais são os seus modelos, referências e inspirações?

Há muitas coisas que me conseguem inspirar: detalhes, cores, uma frase que se destaca de um livro que estou a ler.

Há um segredo: enquanto não perceberes o que realmente combina contigo, não pares de experimentar roupa.

Tem uma rotina específica de beleza/fitness? Quais são os rituais e gestos que não dispensa?

Adoro exercitar-me no ginásio, sobretudo para conseguir livrar-me de tensões e stress. Como vivo perto do mar, no verão relaxo fazendo longas caminhadas pela praia. A minha rotina de beleza envolve um cuidado especial com a pele em que uso esfoliantes e loções e presto muita atenção ao meu rosto: tiro sempre a maquilhagem à noite, mesmo que já seja tarde e eu esteja cansada!

Que peças especiais tem no seu armário?

Adoro saias rodadas, skinny jeans combinadas com camisolas largas que deslizam do ombro e sou louca por qualquer coisa que tenha rendas e tachas!

Qual a sua definição pessoal de coragem?

Para mim, coragem é permanecermos fiéis a nós próprios e sermos sempre coerentes, independentemente das adversidades e das opiniões dos outros. Acho que a atitude mais corajosa que já tomei foi decidir aquilo que realmente gosto de fazer e focar-me exclusivamente nisso com todas as minhas forças.

Qual a sua definição de coragem e qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

Coragem é saber que as outras pessoas não irão concordar com as tuas ações e fazê-las mesmo assim. A coisa mais corajosa que já fiz foi rejeitar os padrões de beleza tradicionais e começar um blogue onde encorajo as mulheres a gostarem de si mesmas independentemente do tamanho.

 

Tanesha Awasthi

O meu look Marina Rinaldi é construído com tweed e texturas de seda, assim como uma interessante mistura de padrões. Quando pus os olhos na camisa pela primeira vez, apaixonei-me pelo padrão azul navy e branco. Sabia que o vestido em tweed sem mangas iria ficar fantástico com a camisa porque os tons são cinza-escuro com uma pitada de branco e eu adoro misturas interessantes.

Quando decidiu tornar-se blogger?

Comecei o meu blogue incentivada pelo meu marido, que reparou na minha frustração e insatisfação com o meu trabalho a tempo inteiro. Quando ele me apresentou a blogosfera não tinha ideia sobre o que iria escrever. Depois de ter feito uma experiência a postar umas imagens online, de receber feedback sobre o meu estilo e comentários positivos sobre as minhas curvas, fiquei inspirada para começar um style blog.

Sempre se sentiu confortável com o seu corpo?

Demorou muitos anos a crescer, gostar e aceitar o meu corpo. Foi só quando sofri lesões nos joelhos por causa do excesso de exercício e dietas pouco saudáveis que percebi que não valia a pena castigar o corpo para tentar alcançar uma perfeição que não existe.

 Defende que todas as mulheres são bonitas, apesar do seu peso, mas os criadores de moda, as tendências e as celebridades lembram-nos que a vida nem sempre é fácil (ou justa) para alguém com uns quilos a mais. Como é que faz passar a sua mensagem por todos estes preconceitos?

É uma batalha diária comunicar que todas as mulheres são bonitas, sem ligar à silhueta ou ao tamanho, mas o que me surpreende mais é como mulheres com figuras mais volumosas ou curvilíneas se recusam a aceitar esta verdade. Eu faço o meu melhor para relembrar constantemente ao meu público de que são todas bonitas e para repensarem a visão única de beleza que vemos nas revistas e na imprensa.

Quais são os seus modelos, referências e inspirações?

Inspiro-me em mulheres que são determinadas nas suas opiniões, muitas das quais não são celebridades. Os meus ícones de estilo são, sobretudo, mulheres que exibiram as suas curvas com orgulho, como Sofia Loren, Marilyn Monroe. Também adoro os ícones de hoje como Olivia Palermo, que muita gente diz ser demasiado magra e não acreditam que a nomeie.

Tem uma rotina específica de beleza? Quais são os rituais que não dispensa?

Eu não faço exercício há muitos anos e, honestamente, como aquilo que o meu coração deseja. Uma coisa que faço é beber muita água (é só o que eu bebo) porque ajuda a manter a pele limpa e melhora, no geral, a saúde do corpo. Preocupo-me mais com os cuidados da pele.

E quais são as peças especiais do seu armário?

Uma das minhas favoritas é uma saia Dolce & Gabbana que encontrei numa loja de achados por 29 dólares. É a única peça de criador de tamanho normal que eu tenho (tem de se adorar tecido elástico!) e assenta-me como uma luva. 

Pode dar-nos a sua definição pessoal de coragem?

Acho que coragem é defender aquilo em que acreditamos, não importa o que os outros pensam. Para mim, o mais corajoso é quando falo contra aqueles que acham que as mulheres devem comportar-se ou parecer-se de uma determinada maneira. Eu também me sinto corajosa quando uso algo que sei que vai ser controverso, como riscas horizontais ou cores fortes.

Qual a sua definição de coragem e qual foi o ato mais corajoso da sua vida?

Coragem é saber que as outras pessoas não irão concordar com as tuas ações e fazê-las mesmo assim. A coisa mais corajosa que já fiz foi rejeitar os padrões de beleza tradicionais e começar um blogue onde encorajo as mulheres a gostarem de si mesmas independentemente do tamanho.

B.I. Quem: Roberta Scagnolari, 29 anos Onde: Veneto, Itália Quando: 2010 O quê: robyberta.com Prova de sucesso: Este ano publicou o primeiro livro: Make-up. Vi racconto i suoi segreti e la sua storia. Já foi blogger oficial do Festival de Música de Sanremo e do evento Miss Itália
1 de 6 / Curvy Bloggers B.I. Quem: Roberta Scagnolari, 29 anos Onde: Veneto, Itália Quando: 2010 O quê: robyberta.com Prova de sucesso: Este ano publicou o primeiro livro: Make-up. Vi racconto i suoi segreti e la sua storia. Já foi blogger oficial do Festival de Música de Sanremo e do evento Miss Itália
B.I. Quem: Edith Dohmen, 36 anos Onde: Holanda Quando: 2011 O quê: stylehasnosize.com Prova de sucesso: Lançou uma coleção de moda exclusiva para mulheres entre os tamanhos 46 e 50
2 de 6 / Curvy Bloggers B.I. Quem: Edith Dohmen, 36 anos Onde: Holanda Quando: 2011 O quê: stylehasnosize.com Prova de sucesso: Lançou uma coleção de moda exclusiva para mulheres entre os tamanhos 46 e 50
B.I. Quem: Stephanie Zwicky, 36 anos Onde: Escreve de Paris, mas nasceu na Suíça  Quando: Em 2005 O quê: leblogdebigbeauty.com Prova de sucesso: Participou no videoclip do cantor Mika, Big Girls (You are beautiful). Também é atriz, modelo curvy e repórter de beleza no programa 100% Mag, na estação de televisão francesa M6.
3 de 6 / Curvy Bloggers B.I. Quem: Stephanie Zwicky, 36 anos Onde: Escreve de Paris, mas nasceu na Suíça Quando: Em 2005 O quê: leblogdebigbeauty.com Prova de sucesso: Participou no videoclip do cantor Mika, Big Girls (You are beautiful). Também é atriz, modelo curvy e repórter de beleza no programa 100% Mag, na estação de televisão francesa M6.
B.I. Quem: Katya Zharkova, 32 anos Onde: Rússia O quê: zharkova.com Prova de sucesso: Começou a sua carreira de modelo aos 14 anos, tendo já posado para conceituadas revistas como Vanity Fair, Vogue, Elle e Cosmopolitan
4 de 6 / Curvy Bloggers B.I. Quem: Katya Zharkova, 32 anos Onde: Rússia O quê: zharkova.com Prova de sucesso: Começou a sua carreira de modelo aos 14 anos, tendo já posado para conceituadas revistas como Vanity Fair, Vogue, Elle e Cosmopolitan
B.I. Quem: Georgina Horne, 24 anos Onde:  Londres, Inglaterra Quando: 2011 O quê: fullerfigurefullerbust.com Prova de sucesso: Ganhou o Plus Size Blogger of the Year 2011.
5 de 6 / Curvy Bloggers B.I. Quem: Georgina Horne, 24 anos Onde: Londres, Inglaterra Quando: 2011 O quê: fullerfigurefullerbust.com Prova de sucesso: Ganhou o Plus Size Blogger of the Year 2011.
Curvy Bloggers
6 de 6 / Curvy Bloggers Curvy Bloggers
Saiba mais Georgina Horne, Katya Zharkova, Edith Dohmen, Stephanie Zwicky, Roberta Scagnolari, Gabi Gregg, Iris Tinunin, Melike Çarpatan, Tanesha Awasthi, Bloggers, Curvy, Mulheres, Coragem
Mais Lidas