Atual

Nova Iorque proíbe a discriminação racial baseada no cabelo

Discriminar alguém com base no seu cabelo ou penteado é agora punível por lei na cidade de Nova Iorque.

Tessa Thompson
Tessa Thompson Foto: Getty Images
22 de fevereiro de 2019 | Ana Silva

A Comissão de Direitos Humanos de Nova Iorque recentemente adotou novas diretrizes que proíbem a discriminação com base no cabelo. Esta lei é a primeira a ser implementada no que toca ao tema da discriminação racial no país e foi divulgada em primeira mão pelo The New York Times. De acordo com o jornal, as novas normas aplicam-se a "cabelos naturais, tratados ou não tratados, como caracóis, coques, tranças ou afros e é baseado no argumento de que o cabelo é inerente à raça de alguém".

Segundo a lei, qualquer discriminação contra o cabelo de alguém, seja no trabalho, escola ou locais públicos será agora considerada discriminação racial e as vítimas poderão pedir uma indeminização que podem chegar aos 250 mil euros.

Esta lei visa proteger todos os nova-iorquinos, especialmente as pessoas de raça negra que enfrentam esta discriminação todos os dias com base em "estereótipos predefinidos de que esses cabelos são pouco impróprios ou pouco profissionais", declarou Carmelyn P Malalis, presidente da Comissão de Direitos Humanos de Nova Iorque.

Saiba mais The New York Times, Comissão de Direitos Humanos de Nova Iorque, Carmelyn P Malalis, discriminação racial
Relacionadas
Mais Lidas
Realeza As amantes da vida de Juan Carlos

Num momento de especulação sobre o seu paradeiro, e após informar a casa real espanhola do seu afastamento, voltam a surgir as histórias da vida de um rei que nunca gostou de ser discreto.