Atual

Margaret Whigham. A história da duquesa boémia perseguida pela imprensa britânica

O drama da sociedade britânica - que envolveu fotografias ilícitas e um turbilhão de manchetes - é a inspiração por trás da série que chega esta semana à HBO. 'A Very British Scandal', conta com Claire Foy e Paul Bettany nos papéis principais.

A carregar o vídeo ...
27 de dezembro de 2021 Rita Silva Avelar
As séries que retratam a realeza chamam sempre a atenção sobretudo se adicionarmos o Reino Unido na equação. Vejam-se as audiências de The Crown, sobre a família real britânica. Em A Very British Scandal, nova série da BBC que chega esta semana à HBO, desconfiamos que não será diferente. 

A série retrata parte da vida de Margaret Whigham, nascida em 1912 em Newton Mearns (Escócia), futura duquesa de Argyll, a única filha de um empresário e milionário escocês, George Hay Whigham e de Helen Mann Hannay. Depois de terminar os seus estudos em Nova Iorque, voltou para o Reino Unido, onde a sua beleza e estatuto como herdeira a tornaram muito requisitada entre a sociedade britânica. Aos 15 anos, engravidou do filho do ator David Niven durante um feriado na ilha de Wight, mas a gravidez acabou por ser interrompida. 

Margaret Whigham
Margaret Whigham Foto: Getty Images

Após romances com o príncipe Aly Khan, o aviador Glen Kidston, o barão Martin Stillman von Brabus e o herdeiro editorial Max Aitken (mais tarde o segundo Lord Beaverbrook) e o príncipe George, duque de Kent, acabour por ficar noiva de Charles Greville, 7º conde de Warwick. No entanto, o casamento não aconteceu, pois acabou por ser casar com o empresário americano Charles Sweeney, tornando-se uma das noivas mais bonitas da época, ao usar um elegante vestido Norman Hartnell. Durante o seu casamento com Sweeney, teve dois filhos, Brian e Frances.

Mas o argumento da nova série A Very British Scandal da BBC baseia-se no casamento com o seu segundo marido, Ian Douglas Campbell, 11º duque de Argyll. Casam em 1951, na altura em que Margaret estava no auge de sua fama como uma socialite glamorosa e cheia de estilo. Dizem que a canção de Cole Porter, You're the Top, é dedicada a si, tal era a sua fama. O casamento não durou muito, pois o duque, desconfiado de que a mulher havia sido infiel, contratou alguém para arrombar as suas gavetas particulares enquanto ela estava em Nova Iorque, conta a revista Tatler, num artigo sobre a duquesa, que chegou a ser cronista na revista. Lá dentro, o duque descobriu várias evidências das suas infidelidades, incluindo fotos Polaroid dela com outro homem. 

 Margaret com o segundo marido, o duque de Argyll.
Margaret com o segundo marido, o duque de Argyll. Foto: Getty Images

As fotografias acabariam por fazer parte de um processo legal que o duque abriu contra a duquesa como parte do processo de divórcio, juntamente com uma lista de 88 homens com quem ele a acusou de trair. O caso fez manchetes na imprensa britânica, com Margaret apelidada de "duquesa dirty" (dirty duchess) especulando-se que o homem das Polaroid pudesse ser o genro de Winston Churchill, Duncan Sandys. 

Ao decretar o divórcio, o juiz disse de Margaret que ela "era uma mulher completamente promíscua, cujo apetite sexual só podia ser satisfeito com vários homens. A atitude dela em relação à santidade do casamento era o que os modernos chamam de "iluminada", mas que, em linguagem simples, era totalmente imoral." Na época, ainda mais do que hoje, as mulheres eram julgadas severamente por manter casos extraconjugais. Reflexo de uma sociedade patriarcal, pois o mesmo não sucedia com os homens em caso de traição.

O guarda-roupa que Claire Foy usa na série foi cuidadosamente escolhido. Ao todo são mais de 80 looks.
O guarda-roupa que Claire Foy usa na série foi cuidadosamente escolhido. Ao todo são mais de 80 looks. Foto: HBO

Depois do drama, que foi largamente escrutinado na imprensa, Margaret nunca se casou novamente e perdeu grande parte de sua fortuna, mais tarde. Morreu com 80 anos em 1993. 

A série que retrata agora a sua vida, tem Clare Foy no papel principal, com Paul Bettany no papel de duque. O guarda-roupa é um dos aspetos a admirar na minissérie, uma vez que o designer Ian Fulcher criou nada menos do que 85 coordenados para três episódios. "A verdadeira Margaret adorava os seus estampados de animal print - há uma imagem 
dela famosa num kaftan com estampado tigresa, mas essa silhueta pareceu-nos errada. Por isso, 'roubei o tecido' e fiz um novo vestido para a Claire usar quando ela está a discutir com o Ian [o duque de Argyll] no segundo episódio" revela o criador à Vogue britânica.

Os primeiros episódios chegam esta semana à HBO Portugal a 29, 30 e 31 de dezembro, respetivamente.

Saiba mais
Charles Sweeney, Reino Unido, The Crown, Margaret Whigham, A Very British Scandal, Nova Iorque, BBC, George Hay Whigham, Polaroid, interesse humano, artes, cultura e entretenimento, questões sociais
Leia também
As Mais Lidas