Atual

Estas são as formas como os gatos lhe mostram afeição

Há quem diga que os cães são fiéis amigos, e que os gatos são traiçoeiros. Mas uma especialista do Psychology Today desmistifica a expressão.

Foto: Jonathan Borba / Pexels
18 de junho de 2020 | Rita Silva Avelar

Segundo um artigo do site Psychology Today, os gatos também sabem mostrar afeição e amor aos seus donos, mas de forma específica e, certamente, mais subtil que os cães.

A primeira das formas, segundo este artigo é ao ronronar, que é algo que os gatos fazem quando se sentem relaxados ou a desfrutar de alguma coisa. Conhecidos por serem extremamente asseados, os gatos também podem demonstrar afeição ao lamber os seus donos. "Este comportamento ajuda-os a sentir-se relaxados, e mostra confiança" explica Jessica Pierce, autora de um livro sobre cães, no artigo.

Aparentemente, os gatos também piscam os olhos, quando olham atentamente para os seus donos. É um sinal de confiança, e os especialistas chamam a este gesto o "beijo do gato". Quando os gatos se rebolam no chão, virando-se de barriga para cima, significa que estão felizes por verem os seus danos. Mostram, assim, o seu lado mais brincalhão, relaxado e confortável.

Uma das formas de os gatos mostrarem apreço por "aqueles em quem confiam e [evidenciarem que] se sentem seguros, é roçando as bochechas [nos donos]. Isto também pode ser um convite à socialização, pois os gatos têm glândulas olfativas nas bochechas que produzem feromonas" explica ainda a especialista e autora do artigo. Além das bochechas, se o fizerem com a cabeça, é um indicador de semelhante apreço.

Uma outra demonstração de afecto tem a ver com a simples presença do seu gato junto de si. Se ele for atrás de si pela casa ou simplesmente estiver deitado ao seu lado, no sofá, é sinal que o seu gato o estima.

Saiba mais Gatos, Afeição, Comportamento, Psychology Today, Donos, Animais de Estimação, Fenómenos
Relacionadas

Trabalhar em casa (com prazer)

Mudam-se os tempos, mudam-se os hábitos de vida. Perante o isolamento obrigatório, começou a trabalhar-se a partir de casa num ambiente novo e sem distrações. A época é de reinvenção: de hábitos, de manias e de rotinas. A zona de conforto é um lugar muito agradável, mas nada cresce a partir de lá.

Traições em tempos de confinamento

Na vida em casal, a convivência permanente pode ocasionar uma série de intempéries, à partida nada que não se resolva ou assim garantem os especialistas. O problema é quando o tal infortúnio veste o nome de infidelidade. Como lidar como uma traição que tem de ser gerida entre as quatro paredes de uma casa, e sem qualquer tipo de escape? É isso que a Máxima foi tentar entender.

Porque as mulheres são o sexo mais forte

As mulheres sobrevivem à exaustão, à fome e até ao coronavírus melhor do que os homens. Porquê? Por serem genericamente mais fortes. Descubra o que um cientista especializado em genética, detentor de respostas revolucionárias, tem a dizer-nos sobre esta mudança de paradigma.

Mais Lidas
Realeza As amantes da vida de Juan Carlos

Num momento de especulação sobre o seu paradeiro, e após informar a casa real espanhola do seu afastamento, voltam a surgir as histórias da vida de um rei que nunca gostou de ser discreto.