Atual

Eneagrama. A fórmula que decifra a sua personalidade

Imagine que, de repente, tudo lhe parece claro. Imagine que, finalmente, percebe porque é que aquela oportunidade profissional que tanto esperava acaba por nunca chegar. Imagine que entende porque é que até hoje ainda não encontrou “aquela pessoa” com quem vai passar o resto da sua vida… Será que sabe assim tanto sobre si mesma? Talvez seja a altura de descobrir o eneagrama.

Foto: Franciele da Silva / Unsplash
01 de julho de 2020 | Carla Santos Vieira
Utilizado como ferramenta de mapeamento do funcio namento da personalidade no modo de pensar, sentir e agir, o Eneagrama tem origem na Grécia Antiga, descrevendo nove padrões de personalidade que se encontram interligados. Assenta portanto no princípio de que o ser humano integra uma dimensão e essência grandiosas que não consegue reconhecer, uma vez que os seus níveis de consciência se encontram dominados pela própria personalidade. Trocando por miúdos: podemos julgar que nos conhecemos mas, na verdade, nem todos sabemos porque agimos e reagimos do modo que o fazemos. À medida que nos apercebemos de quem somos e do porquê de sermos assim, tudo se torna mais fácil.

QUEM SOU EU?

É ao identificar-se com um dos nove tipos de personalidade definidos que cada indivíduo toma contacto com o padrão geral do seu funcionamento e passa a compreender melhor as razões pelas quais vive e age de determinada maneira. Permite-se, então, o acesso a um mais profundo nível de consciência sobre si mesmo. Consequentemente, dá-se uma mudança comportamental. À medida que se progride na caminhada da descoberta do "eu", também a forma como a personalidade atua sofre alterações, pacificando-se e potencializando-se. Quando compreendemos as razões que se escondem por detrás de uma determinada reação passamos a dominar algo que até então nos estava vedado. Passamos a compreender-nos e aos outros, dando-se lugar à pacificação e tranquilidade interiores.

AO CONHECER-ME COMANDO A MINHA VIDA

Considerado por muitos estudiosos como motor de desenvolvimento da inteligência emocional, este sistema é altamente preciso nas descrições que faz sobre o modo como os indivíduos pertencentes a cada tipo pensam, sentem e agem, mas também levanta o véu sobre as motivações ocultas para cada padrão, oferecendo ainda atividades de desenvolvimento objetivas que se realizam à medida das necessidades de cada um dos nove tipos de personalidade. Além de ajudar ao desenvolvimento de um elevado nível de autoconsciência e de autoaceitação, ajuda à responsabilização pessoal pela aceitação do padrão comportamental. Em vez de culparmos as eventuais e diversas circunstâncias pela existência de problemas e dificuldades, passamos a assumir a responsabilidade pela consequência dos nossos próprios atos, abrindo-se, então, lugar ao crescimento e ao derrube de barreiras que nos afastam dos nossos objetivos.

Os nove tipos de personalidade, asas, setas e tríadas

Cada um dos nove tipos de personalidade é apoiado por outros dois (asas) e relaciona-se ainda com outros dois através de ligações diretas (setas). As denominadas asas e setas têm influência em cada tipo de personalidade e nas suas variações comportamentais. E cada tipo de personalidade insere-se num de três grupos (tríades) que exprimem um determinado género ou centro de inteligência (centro físico: tipos de personalidade 8, 9 e 1; intelectual: tipos 5, 6 e 7; e emocional: 2, 3 e 4). Obviamente que cada tipo de personalidade está mais diretamente relacionado com outros e que com eles integra uma série de características e de interações que são consequentes na sua forma de agir. Parece complexo e é-o, razão pela qual é sempre preferível que recorra a um curso ou a um especialista se optar por fazer o seu eneagrama.

TIPO 1: O perfeccionista e exigente. TIPO 2: O generoso e orgulhoso. TIPO 3: O organizador e vaidoso. TIPO 4: O emocional e introvertido. TIPO 5: O observador e estratega. TIPO 6: O cuidadoso e leal. TIPO 7: O impulsivo e otimista. TIPO 8: O desafiador e autoritário.TIPO 9: O mediador e indolente.

Coaching com eneagrama

José Manuel Vieira, consultor de negócios e executive coach, recorre ao eneagrama como ferramenta dos seus programas de coaching. Focado em coaching empresarial, integra-o "como ferramenta de um processo de autoconhecimento e transformação pes- soal. Através do eneagrama, o coacheevê facilitado o alcance de um conhecimento mais profundo sobre si próprio. Quando recorremos ao eneagrama, o coach aplica esta ferramenta realizando um questionário (baterias de 20, 40 ou mais de 100 questões que são confirmadas várias vezes)".

De acordo com as respostas e sua análise, fica determinado o tipo de perfil do coach. A partir deste momento, passa-se a ter acesso a toda uma informação latente. Percebendo-se melhor, o coachee adquire uma mais aprofundada noção dos seus potenciais e das suas fragilidades. A partir deste momento estão reunidas as condições para que o coach possa começar a orientá-lo no sentido de trazer o seu potencial para uma realidade palpável. "É um processo de tomada de consciência do potencial e posteriormente de se passar à ação." No executive coaching trabalha-se a liderança, a comunicação e as relações interpessoais. Depende sempre do enquadramento, mas a diferença entre sermos um chefe a quem os funcionários reportam bons resultados por receio ou obrigação e o chefe que leva os funcionários a vestirem a camisola não ultrapassa as oito a dez sessões de coaching com eneagrama. "Muitas pessoas fazem-no não por razões profissionais mas por razões pessoais, por razões familiares ou até de saúde, para alcançar outro nível de desenvolvimento pessoal."

Em Portugal, o coaching com eneagrama deu os primeiros passos há cerca de sete anos. "Começou a ser mais estudado a partir dos anos 60, tendo sido utilizado como ferramenta de autoconhecimento no coaching desde os anos 80, principalmente por profissionais de renome internacional nos EUA e no Brasil." Mas o que ganha uma empresa ou uma pessoa com o coaching com eneagrama? "Quanto mais aprofundado for o conhe- cimento sobre si próprio, mais fácil será fazer uma ‘re-programação’ que esteja de acordo com os objetivos desejados. Ao nível empresarial consegue-se alcançar um nível de eficiência e de alcance de resultados superiores, pois permite ao visado consciencializar-se do seu potencial e, ao mesmo tempo, começar a fazer tudo de um modo diferente." Ao nível pessoal acontece o mesmo: "Passa a haver maior alinhamento entre o que se faz e o próprio perfil, deixando de haver deslocação entre ação e função."

*Texto originalmente publicado em novembro de 2014 [edição 314]
Saiba mais Eneagrama, Personalidade, Bem-estar, Mapa interior, Auto-conhecimento, Comportamento
Relacionadas

Porque as mulheres são o sexo mais forte

As mulheres sobrevivem à exaustão, à fome e até ao coronavírus melhor do que os homens. Porquê? Por serem genericamente mais fortes. Descubra o que um cientista especializado em genética, detentor de respostas revolucionárias, tem a dizer-nos sobre esta mudança de paradigma.

“O suicídio expressa a dor intolerável da depressão”

Em tempos em tudo estranhos, a morte ganhou mais palco do que desejaríamos. Será um caso mediático o rastilho para algo maior, que nos está a escapar enquanto sociedade? Ricardo Sousa Andrade, psicoterapeuta e psicólogo clínico, desvenda o enigma da equação mundo virtual, depressão e relações humanas.

Biblioterapia: quando os livros nos salvam

Rabugice, tristeza, insónias ou desencanto, há livros para todos – ou quase todos – os males. E há também quem os prescreva, como se de médicos se tratasse. A esta arte de juntar as pessoas aos livros que as fazem sentir melhor chama-se biblioterapia.

Mais Lidas
Entrevista Diogo Faro, o pugilista digital: "Odiaria que a minha vida fosse igual à das mulheres que são apalpadas e assediadas."

O comediante lisboeta tornou-se nos últimos anos uma voz ativa na luta pela igualdade de género. As provocações humorísticas de Diogo Faro sucedem-se no mundo virtual, espicaçam a atualidade, incomodam alguns e originam reflexões sobre o machismo, homofobia e racismo. O seu humor serve-se de ironia para fazer crítica social. Um combate que Diogo Faro abraçou totalmente.