Realeza

Pela Grécia real com a princesa Tatiana

A Grécia divide-se entre a tentação e o mediatismo, o caos e o paraíso, num jogo de contrastes tão intenso como a história de um país e o seu próprio povo. Para nos mostrar a sua essência, convidámos a princesa Tatiana, que fez deste país a sua casa, a fazer-nos um roteiro de sonho para diferentes gostos. Republicamos o artigo publicado na Máxima de agosto de 2016.
Por Carolina Carvalho, 19.07.2019

Era uma vez… um ensolarado dia de agosto em 2010 quando o príncipe Nikolaos da Grécia e Tatiana Blatnik se casaram na ilha grega de Spetses. Nesse dia a realeza ganhou uma nova princesa que encarna na perfeição a personagem encantada dos contos de fadas, mas ao estilo do século XXI, com espírito empreendedor e o carisma de uma cidadã do mundo. Nasceu em Caracas (Venezuela), estudou no Aiglon College, na Suíça, e fez um bacharelato em Sociologia na Universidade de Georgetown (EUA). "Nasci de pais multiculturais e tenho vivido em muitos países, por isso diria que não tenho um forte sentido de raízes nacionais. Associo, principalmente, raízes e casa com pessoas de quem gosto, memórias e, definitivamente, comida." Em 2013, o casal deixou a vida que tinha em Londres para ter o seu "e viveram felizes para sempre" em Atenas. "Mudar para a Grécia era um sonho de vida do meu marido", diz a princesa Tatiana, que trocou o trabalho de relações-públicas na marca de moda Diane von Furstenberg por uma série de projetos que dão vida à sua paixão por um estilo de vida natural e saudável, sublinhando que, hoje, a Grécia é a sua casa. Lançado recentemente, o site www.tatianablatnik.com é o reflexo da sua autora e onde se podem encontrar os seus atuais projetos "no lado filantrópico e empreendedor – todos sob o tema da vida natural e saudável, que para mim é uma forma de vida, bem como uma abordagem à felicidade e à realização pessoal". Além do livro A Taste of Greece (ver em baixo), em 2015 cofundou a Elipida Youth, uma marca da Elipida Association of Friends of Children with Cancer. Recentemente, tem apoiado crianças refugiadas desacompanhadas através da Bodossaki Foundation, na Grécia. É também cofundadora da empresa Tria ETC (www.triaetc.com) "que colabora com artesãos e mentes artísticas na Grécia para criar acessórios exclusivos e roupa de casa que combina tradição com inovação". Cada vez mais envolvida nos encantos e tradições da Grécia, pedimos à princesa Tatiana que nos levasse à boleia das suas sugestões.

Quais os segredos de Atenas que ainda não foram descobertos?

Acho que uma pessoa só pode falar dos segredos que já foram revelados… Por isso, o que descobri de furtivo e sedutoramente encantador sobre Atenas é a energia e, como uma pessoa amiga estrangeira de visita me disse recentemente, o seu "caos organizado". Atenas é barulhenta, intensa, animada, luminosa, multifacetada, mas ao mesmo tempo pacífica, bonita e cheia de luz. Para o sentir encorajo qualquer pessoa a passear pela Baixa da cidade, comprar um koulouri (pão de sementes redondo) num vendedor de rua e desfrutar de um café, seja um freddo, frappe ou o café grego tradicional, todos eles deliciosos, refrescantes e únicos deste país.

Qual o melhor roteiro para quem queira ter umas férias holísticas ou espirituais na Grécia?

Acredito que hoje em dia é a simplicidade que buscamos nas nossas férias porque estamos sempre incrivelmente ocupados e conectados. A Grécia permite-nos regressar a simples prazeres e isto em si é uma experiência espiritual e holística – conectarmo-nos connosco próprios, encontrar silêncio, apreciar comidas tradicionais, aprender sobre artesanato e conhecer pessoas. Por isso, aqui ficam dois destinos da minha longa lista de favoritos para umas férias holísticas e espirituais. O primeiro é Meteora, perto da cidade de Kalabaka e na área de Thessaly, no território continental da Grécia. É um cenário deslumbrante e de certa forma supernatural, formado por montes de rochas redondas ou pilares que parecem estar suspensos no ar, como o nome suscita, e com um complexo de belos mosteiros construídos no topo deles. O segundo é a ilha de Tinos, onde a paisagem natural é linda, especialmente na primavera e no outono. Pode-se desfrutar de longas caminhadas, visitar as encantadoras aldeias e praias ou ir a um dos vários eventos culturais que estão sempre a acontecer. A ilha, e mais especificamente a Holy Church de Panagia, é um local de peregrinação – por isso é um sentimento de esperança e oração que vibra pela ilha. Acender uma vela e ficar sentado silenciosamente numa das muitas pequenas igrejas espalhadas por toda a ilha é uma experiência verdadeiramente poderosa.

Diga-nos um local para ver o pôr do sol na Grécia?

Um dos locais que eu escolheria seria o cabo de Sounio, na extremidade sul de Atenas. Olhar para o templo de Poseidon fundir-se com o céu e o mar é simplesmente espetacular. O que é fantástico na Grécia, geralmente, é que se pode sentir a continuidade da história da civilização, enquanto o passado se funde com os dias do presente em tantos monumentos à nossa volta.

Diga-nos uma ou duas tradições tipicamente gregas?

Das tradições de que mais gosto na Grécia são as que se observam na Semana Santa e levam ao domingo de Páscoa. Ver o Epitaph na Sexta-feira Santa ou ouvir os sinos da igreja a anunciar a Ressurreição é muito especial. E, claro, a reunião à volta da mesa no domingo de Páscoa para desfrutar do cordeiro assado e partir os ovos tingidos de vermelho!

E as famosas ilhas. O que as torna tão especiais?

A luz única, o branco e o azul, e, o mais importante, as próprias pessoas e as suas tradições. Eu tive o privilégio de visitar muitas ilhas com o meu marido. O Nikolaos sempre foi um ávido fotógrafo, mas nos últimos anos tem-se dedicado a esta arte, com as outras atividades profissionais, e isso leva-nos em viagens pela Grécia. E também, tendo fundado a Tria ETC com as minhas duas parceiras, viajamos muito pelo país à procura de artesãos talentosos e técnicas tradicionais raras. Mas, mesmo que tivesse viajado muito, a verdade que é que são precisas muitas vidas para descobrir todos os tesouros das ilhas gregas…

Para quem queira ter umas férias na praia, o que sugere?

A maioria das pessoas, e especialmente os visitantes, associa as praias gregas com as ilhas gregas. As minhas mais recentes descobertas são Tinos, Milos e Sifnos, com as quais fiquei muito impressionada – mas a lista é infindável porque a Grécia responde a todas as necessidades e desejos! Mas eu sugeriria que as pessoas também experimentassem o continente grego e, especialmente, o Peloponeso. Pessoalmente, adoro a maior península de Mani – de novo, um cenário de montanhas selvagens, ricas tradições culturais, ótima comida, a apenas algumas horas de carro de Atenas.

E, para pessoas que queiram conhecer a Grécia e gostem de aventura, quais os locais mais aventureiros e selvagens?

Um dos locais aventureiros que eu adoro é atravessar o Desfiladeiro de Vikos, no norte da Grécia – uma viagem de, aproximadamente, sete horas pelo que é conhecido como o maior desfiladeiro do mundo! A natureza é linda e pode-se desfrutar melhor através de uma escalada, de uma caminhada e até de um passeio de bicicleta pela montanha. Para os amantes de água, também é ideal para rafting e canoe-kayaking. Outro sítio incrível para visitar é Creta – tem tanto para oferecer. Há uns anos fiz uma caminhada a descer o desfiladeiro de Samaria com dois amigos. Caminhamos em silêncio, como faz quase toda a gente. Há uma floresta de rochas empilhadas no meio desta caminhada de cortar a respiração, onde paramos, bebemos água, comemos amêndoas cruas – verdadeiramente mágico. Depois da desafiante caminhada de seis horas, entrámos, literalmente, no mar azul, limpo e refrescante, para o que foram as melhores braçadas da minha vida! E depois acabou na maravilhosa pequena vila de Loutro.

Temos ouvido falar muito da Grécia nos últimos tempos por diferentes motivos. Como é que isso alterou o país ou o carisma da Grécia sobrevive a tudo?

Em primeiro lugar, não há dúvida de que estamos a testemunhar desenvolvimentos sem precedentes a um nível global. Nesse contexto mais amplo, a Grécia tem passado por muitos desafios ao longo dos últimos anos e há um grande número de pessoas que sofreu o impacto. Mas fico continuamente impressionada pelas coisas positivas que estão a acontecer. Por exemplo, surgiram muitas iniciativas empreendedoras inovadoras, especialmente no sector agroalimentar, uma das vantagens competitivas da Grécia. Ao mesmo tempo, graças a novos movimentos populares dedicados a apoiar aqueles que têm necessidades, tem-se construído um sentido de comunidade mais próximo, o que também é muito importante. Quanto ao carisma do povo grego, da filoxenia (hospitalidade) ao meraki (pôr o coração de alguém a fazer algo), eu concordo completamente que é sempre relevante e impressionante. Um ótimo exemplo que comove e caracteriza o povo grego é a forma como responde à crise de refugiados, mesmo durante uma altura em que as necessidades locais são crescentes.


E ainda...

Sabores da Grécia

A Taste of Greece (€32, TeNeues) é um livro de receitas que conta com a participação de 35 personalidades e é uma parceria com a instituição Boroume com a qual a princesa se encontrou em 2015, confessando que se apaixonou "pela equipa e pela causa: fornecer refeições saudáveis a pessoas com necessidades e lutar contra o desperdício alimentar". Nove meses depois o projeto comum ganhou forma e "tornou-se um livro sobre comida, tradições, memórias – um livro que realça, pelo menos, alguma da beleza da Grécia".

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!