Celebridades

“Ela devia ganhar antes de falar” diz Trump sobre jogadora de futebol americana

Megan Rapinoe é ativista LGBTQI, não canta o hino nacional dos Estados Unidos em protesto, e diz que não irá à Casa Branca caso a equipa vença o Mundial Feminino devido ao Presidente.
Por Camila Lamartine, 28.06.2019

A seleção feminina de futebol dos Estados Unidos é considerada uma das favoritas para vencer o campeonato do mundo que decorre por estes dias em França. À frente da equipa está Megan Rapinoe, a capitã de 33 anos que foi a primeira mulher homossexual a ser capa da revista Sports Ilustrated, é ativista pelos direitos homossexuais e ferrenha crítica do presidente Donald Trump.

Durante o Mundial Feminino, a futebolista, que se recusa a cantar o hino do EUA no início dos jogos e está a processar a federação de futebol americana por desigualdade de género e diferenças salariais, envolveu-se numa discussão precisamente co, Donald Trump. Questionada pela revista Eight by Eight sobre se iria à Casa Branca caso vencesse a competição, Rapinoe respondeu: "não vou à **** da Casa Branca", acrescentando que acha que "não devemos ser convidadas".

Em resposta à capitã, Trump usou o Twitter, rede social preferida do presidente, e convidou todas as jogadoras da seleção para irem à Washington ao fim do torneio, e disse que era "um grande fã da equipa americana, e de futebol feminino, mas que ela [Megan Rapinoe] devia ganhar antes de falar", escreveu no post.

Trump ainda aproveitou o espaço para criticar a conduta da futebolista no Mundial. "A Megan não deve desrespeitar o país, a Casa Branca, a nossa bandeira, especialmente porque fizemos tanto por ela e pela equipa".

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!