Junte-se ao nosso canal de WhatsApp e aceda diretamente aos temas Máxima do momento. Seguir
Beleza

O que há a saber sobre o melanoma? Uma dermatologista aponta os sinais a que devemos prestar atenção

Estima-se que em Portugal surjam mais de 10 mil novos casos anuais de melanoma que, se detetados atempadamente, podem ser prevenidos. No mês de alerta para o melanoma, e às portas do verão, falámos com Leonor Girão, dermatologista, sobre o tema.

Foto: cottonbro / Pexels
19 de maio de 2021 Rita Silva Avelar

"O melanoma é um cancro derivado das células da pele. Portanto, se estas células sofrerem mutações e se multiplicarem, vai ser visível" começa por esclarecer Leonor Girão, dermatologista com clínica própria no Areeiro, que também é consultora de marcas como a La Roche-Posay ou a Vichy, que têm produtos solares destinados à prevenção e proteção solar. "Qualquer sinal que mude de aspecto (assimétrico, bordo irregular, cor diferente, mais escuro) e que cresça, é um indício que algo poderá não estar bem e deve ser observado por um dermatologista" aponta. É essencial estar atento aos fatores de alerta para o melanoma, já que em Portugal são diagnosticados 10 mil novos casos a cada ano.

Leonor Girão, dermatologista.
Leonor Girão, dermatologista.

Por causa do confinamento, é natural apresentarmos níveis de melanina mais baixos que o habitual, o que significa uma pele mais suscetível a danos provocados pelo sol, como queimaduras, em menos tempo que o habitual. "A prevenção, como o nome indica, passa por todas as medidas que possamos tomar para por um lado, evitar que um cancro apareça e, pelo outro, conseguirmos tratar o mais cedo possível evitando o crescimento em profundidade e metastização. As medidas mais importantes são: a proteção da exposição à radiação solar excessiva (uso de filtro solar, horas adequadas de exposição, roupa e óculos protetores, sombra) e a vigilância dos sinais no dermatologista (e, claro, a observação pelo próprio no dia a dia dos seus sinais)", explica Leonor Girão. Oito em cada dez casos de melanoma surgem através de sinais já existentes.

A La Roche Posay é uma das marcas que apoia a prevenção.
A La Roche Posay é uma das marcas que apoia a prevenção.

Sobre a proteção solar, seja no verão ou no inverno, a médica assinala-a como essencial. "O que pretendemos proteger é a pele da exposição contínua ou intensa à radiação solar, nomeadamenta a ultravioleta. No inverno também há radiação ultravioleta, embora menos intensa. Portanto, as pessoas que têm profissões ao ar livre ou que fazem desporto ao ar livre deverão proteger-se também. As pessoas que estão mais informadas e são mais cuidadosas com os efeitos deletérios do sol, nomeadamente o envelhecimento cutâneo, já sabem que devem aplicar filtro solar juntamente com o creme hidratante da manhã."

Que geração está mais consciente dos perigos da exposição solar? "Muitos dos idosos, sobretudo se já tiveram alguma lesão na pele, já sabem que devem utilizar o filtro solar. As senhoras que se preocupam com o envelhecimento da pele, também. Diria que os homens em geral e os adolescentes em particular, não são muito sensíveis ao uso de filtro solar. Felizmente as crianças têm tido uma boa formação nesse sentido desde as creches."

Saiba mais
Leonor Girão, La Roche-Posay, cancro, saúde, pele, manchas, Corpo, Rosto, Beleza, Saúde da pele, Sol, proteção, protetor solar
Leia também

O passo que nunca pode saltar na rotina de Beleza

Os séruns minimizam os efeitos do avanço da idade ao mesmo tempo que mantêm a pele saudável, luminosa e hidratada. Explicamos porque são essenciais em todos os necessaires e reunimos os produtos certos para cada necessidade.

Manchas: no verão previnem-se, depois tratam-se

Muitos banhos de sol depois, setembro está aí à porta e as manchas começam a aparecer, uma a uma, sem aviso prévio. A indústria responde com o lançamento de produtos e as recomendações dos profissionais fazem jus ao ditado popular: prevenir é sempre melhor do que remediar.

Como prevenir o envelhecimento da pele agora

À medida que o progresso tecnológico acelera, as respostas da ciência para o envelhecimento multiplicam-se. Mas as ameaças também aumentam. Terá a investigação encontrado soluções para as diferentes causas dos danos, inclusivamente as provenientes da poluição tecnológica? Fomos confirmar.

As Mais Lidas