Atual

A história de Salvatore Ferragamo e 100 anos de Pasolini: o melhor da Festa do Cinema Italiano

A festa regressa à programação cultural desta primavera, para "ser a montra do cinema italiano", conta-nos Stefano Savio, mentor do festival que se dedica ao melhor da cultura cinematográfica de Itália. Conheça a programação.

Foto: Festa do Cinema Italiano
03 de abril de 2022 Rita Silva Avelar
Quando perguntamos a Stefano Savio, diretor e mentor da Festa do Cinema Italiano, se é mesmo a Cultura que nos salva, em tempos de guerra e de doença, a resposta é clara: "Sempre achei que a Cultura nos pode ajudar a ler o mundo, a ler a realidade, de uma maneira mais profunda, e também a saber lidar com o que nos acontece. A Cultura não é só um caminho, mas uma ferramenta para nos ajudar a enfrentar a vida. Sobretudo, a capacidade de lê-la de outra maneira. Todas as formas de Cultura permitem-nos ser mais ricos, de acolher o que nos acontece de forma mais cuidada. É como aprender a ler: dá-nos a capacidade de perceber a realidade" diz, sem hesitar. Durante os dois anos de pandemia, o festival tornou-se mais etéreo, mas volta agora à sua forma habitual, de 1 a 10 de abril em Lisboa.

Ao longo destes dias, serão exibidos mais de 50 filmes, incluindo diversas ante-estreias e estreias nacionais, filmes de conhecidos autores italianos, boas descobertas de novos realizadores, sucessos de bilheterias, filmes reconhecidos e premiados pela crítica e presentes em festivais internacionais, mas também os clássicos. 

"Voltamos a esta 15ª edição com uma sensação de normalidade, incluindo nos timings: esta é uma festa de primavera. Regressamos às datas e às salas habituais, do São Jorge à Cinemateca, não esquecendo o resto do país, num total de 20 cidades portuguesas. Reduzir o programa é sempre o maior desafio, tentamos sempre representar as várias almas do Cinema italiano, temos um lado mais cinéfilo, uma programação que vem dos grandes festivais internacionais, o cinema de autor, uma representação do grande passado do cinema italiano (Pasolini como protagonista, no ano do seu centenário)" começa por contar Stefano Savio. "A abertura é com Enio Morricone, o mestre da música do cinema italiano, de Giuseppe Tornatore, do Cinema Paradiso." 

Savio destacaria na programação, "um filme que cruza duas paixões muito fortes na cultura italiana, que é o Cinema e a Moda, o último filme de Luca Guadagnino, de Call Me By Your Name, um dos nomes mais jovens do cinema italiano, num filme sobre Salvatore Ferragamo (Salvatore - Shoemaker of Dreams), uma história interessantíssima, sobretudo pelo nascimento da sua arte. O designer começou a fazer botas para os filmes de cowboys na América dos anos 20, e depois tornou-se fundamentalmente quem produziu os sapatos das divas do cinema mudo americano, e depois mudou-se para Itália." 
Ariaferma, de Leonardo Di Costanzo
Ariaferma, de Leonardo Di Costanzo Foto: Festa do Cinema Italiano


Sempre Perto de Ti é outro filme que o realizador recomenda, de Uberto Pasolini, "um filme que nos fala sobre paternidade, é um filme de uma emotividade enorme. É a história de um pai com uma doença terminal, que tem um filho pequeno que não pode abandonar, retratando a busca por uma família que o possa adoptar quando ele morrer."
Sempre Perto de Ti, de Uberto Pasolini
Sempre Perto de Ti, de Uberto Pasolini Foto: Festa do Cinema Italiano


Ainda outro, Ariaferma, de Leonardo Di Costanzo, "que nos fala de uma relação entre duas pessoas dentro de uma prisão, entre um preso e um guarda, interpretado por grandes atores italianos (Toni Servillo, Silvio Orlando, Fabrizio Ferracane)" e ainda nos fala em Diabolik, dos irmãos Marco e Antonio Manetti, "Diabolik foi uma personagem famosíssima nas bandas desenhadas italianas dos anos 60 e 70, era um tipo de ladrão com uma personalidade muito negra, e ao mesmo tempo eroticamente muito forte. A banda desenhada era escrita por duas irmãs, então colocavam esta personagem vestida de látex preto."
Diabolik, dos irmãos Marco e Antonio Manetti.
Diabolik, dos irmãos Marco e Antonio Manetti. Foto: Festa do Cinema Italiano


Em 2022, comemoram-se os 100 anos do nascimento de Pier Paolo Pasolini e a 15ª Festa do Cinema Italiano dedica-lhe uma retrospetiva de filmes como Rei Édipo (1967) ou Passarinhos e Passarões (1966), além de uma exposição de fotografias dedicada a este mestre do cinema italiano, a não perder. Para conhecer a programação de Norte a Sul do pais, clique aqui.
Saiba mais
Atualidade, Discussão, Cinema, Pasolini, Festa do Cinema Italiano
As Mais Lidas