Moda / Tendências

Como a Carolina Herrera eternizou o vermelho (e o tornou mais apetecível)

Chamam-lhe o vermelho Herrera, por não ser vermelho laranja nem vermelho escuro. Simboliza elegância, requinte e poder, e o nascimento de uma marca de Moda e Beleza. A sua história continua, agora, com o lançamento do mais recente perfume Very Good Girl.

30 de abril de 2021 | Rita Silva Avelar

Dos batons aos sapatos, sem esquecer os inúmeros vestidos, é difícil não associarmos Carolina Herrera ao tom vermelho elétrico, apaixonante e vibrante, que simboliza sedução, poder e personalidade. Tanto as criações históricas da marca como as novidades mais recentes inspiram-se neste tom emblemático, que é um vermelho particularmente quente e pigmentado, usado desde sempre pela própria criadora. Em 1979, Andy Warhol fez um retrato da fundadora da marca onde os lábios vermelhos sobressaem de forma sublime, ofuscando tudo o resto. Wes Gordon, diretor criativo da Carolina Herrera desde 2018, nota que esta é cor assinatura da casa: "a mulher Herrera não se confunde. Destaca-se, quer ser recordada e o vermelho nunca passa despercebido".

Nas coleções de moda dos anos 90, já era a cor emblemática da Carolina Herrera. A maioria das coleções idealizadas por Gordon combinam glamour e modernidade (o que não será excepção na temporada pré-outono 2021: esperam-se, aliás, looks integrais em vermelho Herrera).

Karlie Kloss para a campanha do Very Good Girl
Karlie Kloss para a campanha do Very Good Girl Foto: CH

Na beleza, esta influência também é evidente. Com uma mensagem de empoderamento, Karlie Kloss, rosto da marca, é a imagem do novíssimo perfume Very Good Girl, surgindo na campanha com um vestido especialmente desenhado para a ocasião por Wes Gordon. Segundo o designer, são três os ingredientes que importam para obter um bom vestido: "design, tecido e cor". Por isso, recorreu aos arquivos da casa para conceber as mangas "arquitetónicas" deste vestido, e que não passaram despercebidas na década de oitenta, quando Herrera apresentou a sua primeira coleção, tendo [naquela altura] sido até apelidada como a "senhora das mangas" pelo jornal de Moda de referência Women’s Wear Daily.

Leia também
Karlie Kloss para a campanha do Very Good Girl
Karlie Kloss para a campanha do Very Good Girl

Desde o batom até aos sapatos, Karlie Kloss exibe um vermelho apaixonado e vibrante, que bem representa o ingrediente principal do Very Good Girl: a rosa. A força desta fragrância resulta da potência desta flor, um ingrediente distintivo, sem o qual a história da perfumaria não seria a mesma. Louise Turner e Quentin Bisch, perfumistas da Carolina Herrera, sublinharam esta essência mas deram-lhe um twist rebelde: um toque de vetiver. Este ingrediente, utilizado tradicionalmente na perfumaria masculina, é uma das chaves da fragrância masculina da mesma família, Bad Boy, e nesta nova fragrância vem acrescentar um toque surpreendente. Sobre a embalagem, um sapato vermelho (what else?), já se tornou um fenómeno global desde o lançamento do Good Girl em forma de sapato, em 2016. 

Karlie Kloss para a campanha do Very Good Girl
Karlie Kloss para a campanha do Very Good Girl Foto: CH
1995
Foto: CH
1 de 10 1995
2009
Foto: CH
2 de 10 2009
2010
Foto: CH
3 de 10 2010
2013
Foto: CH
4 de 10 2013
2018
Foto: CH
5 de 10 2018
2019
Foto: CH
6 de 10 2019
2019
Foto: CH
7 de 10 2019
2020
Foto: CH
8 de 10 2020
2020
Foto: CH
9 de 10 2020
2021
Foto: CH
10 de 10 2021
Saiba mais Wes Gordon, Andy Warhol, Carolina Herrera, Carolina, CH, Karlie Kloss, Very Good Girl, Moda, Estilo
Mais Lidas
Televisão Halston, o homem que inventou a moda americana

Foi o rei da Nova Iorque dos anos 70, quando mulheres como Jackie Kennedy ou Bianca Jagger não dispensavam as suas criações, tão minimalistas como sensuais. Halston inspirou uma minissérie da Netflix, com Ewan McGregor no principal papel.