Beleza

A fórmula ideal para o tom de cabelo perfeito

Voámos até Londres para desvendar a mais recente fórmula ideal de coloração de cabelos criada pela Wella Professionals, e falámos com o hairdresser internacional da marca Josh Wood.
Por Máxima, 19.02.2016
Quem nunca desejou ter o tom de cabelo de sonho? O tom que combina na perfeição com a tez, com a cor dos olhos, com o estado de espírito… Afinal, o tom certo deve ser aquele que potencia a beleza de cada uma de nós. Foi a pensar neste beauty issue que a marca Wella partiu em busca da fórmula científica para a coloração perfeita. O resultado é um elaborado estudo com dados científicos com resultados surpreendentes e um inovador programa que, nas palavras de Josh Wood, "ajuda realmente a educar a visão dos hairdressers para ver a cor correctamente" porque, como nos revelou Maria Cástan, Global Scientific Communications Manager da Wella, "a atractividade é algo muito subjectivo, cada pessoa tem a sua perspectiva sobre a beleza, mas a verdade é que há uma série de hairdressers que precisam de uma certa orientação para tornar alguém ainda mais bonito, porque não tem o dom de saber intuitivamente como tornar alguém atraente pelo seu cabelo. Então, precisam de seguir regras, como um verdadeiro guia." 
«Eles dão cor à tua vida» é a campanha e também o mote atual da Wella, que fomos descobrir à capital inglesa, num evento que decorreu no Tate Britain. A apresentação foi feita por Maria Castán, Global Scientific Communications Manager e pelo Director Criativo Global de cor da Wella, Josh Wood, que foram desvendando os resultados do estudo que a marca levou a cabo. Por fim, revelaram-se três looks em três pessoas com tons de pele diferenciados, cor de olhos distinta, que resultaram em três tons elaborados com os novos tons minerais de Koleston Perfect Innosense. Isto porque o estudo revela um tom ideal para cada pessoa, baseado numa fórmula simples que se baseia no seguinte, quente (cor dos olhos) + quente (cor da tez) + cor de cabelos fria; e frio (cor dos olhos) + frio (cor da tez) + cor de cabelo quente. O resultado para ambos é: cor perfeita, claro. E qual a melhor forma de saber se o tom da sua é escuro, ou claro? Pelo maior ou menor contraste das veias nos pulsos, assim nos foi revelado por Josh Wood.
 
Com 135 anos de experiência em cor, a Wella fica conhecida por ser pioneira nas permanentes, nos anos 20, e pela rápida invenção de novas fórmulas, como a Wellaton, uma coloração em fórmula líquida, nos anos 30 e, já na década de 50, patentear a primeira coloração em creme, a Koleston – que depois se desdobrou nas Séries 100, 200 e 300. Nas três décadas seguintes torna-se ainda mais famosa por abordar a tendência de cabelos afro, lançar a primeira coloração semi-permanente, a Color Touch, e por dar o incontornável primeiro passo nas colorações de origem vegetal. Não é, portanto, de estranhar que no início do séc. XXI se torne uma das preferidas entre as mulheres e, hoje, tenha lançado o primeiro estudo científico que aborda a importância da cor certa no cabelo.

À conversa com o mundialmente hairdresser Josh Wood, conhecido por trabalhar na azáfama do backstage das semanas da moda, descobrimos como a ideia surgiu. "Uma das coisas mais interessantes é que a Wella começou por estudar as reacções das pessoas sempre que obtinha a cor de cabelo perfeita para o tom de pele da pessoa. Então pensaram: se conseguimos que as pessoas se sintam assim tão bem, temos de começar a perceber porque se sentem assim. Houve uma experiência inicial num salão em Geneva. Os clientes entravam no salão e não sabiam da nossa pesquisa, e o que aconteciam é que o espelho situado à frente de cada cadeira onde a pessoa estava, rastreava os olhos do cliente e do hairdresser. O que concluíram é que os olhos das pessoas se focam sempre nas zonas do cabelo que não estão a seu agrado, e que o olhar do hairdresser vai sempre para focar-se nas zonas que estão perfeitas. Foi assim que se conseguiu chegar a este balanço entre o que as pessoas realmente querem, e o que um hairdresser está realmente a dar-lhes " conta-nos Wood.
 
E afinal, porque é que é tão importante para o nosso bem estar e para a nossa felicidade, sentirmo-nos bem como a nossa imagem, com o nosso cabelo? Quisemos saber, e por isso perguntámos "novo tom, nova vida?" E a resposta sai pronta – "Não. Eu adapto essa expressão para «melhor cor, melhor vida». Quando se tem uma cor que realmente combina, isso dá-nos a motivação para mudar, para aumentar a auto-estima. Por exemplo, eu trabalho muito com mulheres que lideram grandes organizações, como um banco, e o banco pode simplesmente pedir "ela tem de estar loira, porque precisa de atenuar a imagem e parecer mais suave" e no meu papel, tenho de saber manter a minha posição e conseguir dizer aos responsáveis se essa cor vai realmente combinar com a pessoa, ou não. Geralmente o cabelo claro é percepcionado como mais feminino e suave, e por isso quando se trabalha em chefia não se tem o tempo ou espaço para escolher loiros" conclui Josh Wood.

A cor perfeita

 

Como surgiu esta fórmula «mágica» de encontrar a cor perfeita de cabelo para cada pessoa?

Maria Castán: A atractividade é algo muito subjectivo, cada pessoa tem a sua perspectiva sobre a beleza, mas a verdade é que há uma série de hairdressers, como Josh Wood disse, que precisam de uma certa orientação para tornar alguém ainda mais bonito, porque não tem o dom de saber intuitivamente como tornar alguém atraente pelo seu cabelo. Então, precisam de seguir regras, como um verdadeiro guia. Este foi o ponto de partida para o estudo.

 

Qual a importância da cor de cabelo certa no bem estar e felicidade de cada um?

MC: Nós temos o hábito de dizer que nunca alguém deve a ir a um sítio realmente importante para si, sem lavar o cabelo. Pode ter vestido os sapatos certos, a roupa certa, mas um cabelo bem apresentado é tudo. O cabelo é quase considerado um acessório, podemos dizer que é igualável a alguém ter um bonito colar.

Concorda de alguma forma com o ditado, "novo corte de cabelo, nova vida"? Neste caso, e adaptando, "nova cor, nova vida"?

MC: Sim, totalmente. Quando alguém se sente deprimido e tudo lhe corre mal, e quando lhe corre tudo super bem, em ambos os casos vai sempre pedir para mudar a cor de cabelo. Sempre.

 

Por Rita Silva Avelar

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!