Beleza

A cerveja engorda?

Há muito que se tem a forte convicção de que a cerveja engorda e é a responsável pela acumulação de gordura abdominal dos homens (a típica barriga de cerveja) e obesidade.
Por Dra. Lillian Barros, 05.11.2015

É também comum pensar-se que o seu consumo não apresenta benefícios do ponto de vista de saúde muito menos quando comparado com o elixir dos polifenóis: o vinho tinto.

Contudo não podemos encarar este preconceito como verdade absoluta. Aqui é tudo uma questão de quantidades.

A cerveja, se enquadrada numa alimentação variada e equilibrada de forma moderada não engorda. O que acontece muitas vezes é que os grandes consumidores de cerveja, para além de a consumirem em excesso e dilatarem o estômago e consequentemente distenderem o abdómen, normalmente associam também um estilo de vida pouco saudável e uma alimentação pouco regrada.

 

Qual engorda mais? (ver tabela ao lado) Se consumidas na mesma proporção o vinho acaba por ter mais do dobro das calorias que uma dose de cerveja. O problema é que a maior parte das pessoas não se fica apenas por 1 a 2 copos de cerveja.  O consumo de cerveja é muito mais rápido quando comparado com o degustar de uma taça de vinho. As quantidades excessivas podem dilatar o estômago e efetivamente ultrapassarem o valor calórico do vinho.

Mas para quem bebe moderadamente, as diferenças tendem a ser muito pequenas quando comparamos 2 imperiais com 1 taça de vinho (que é normalmente a dose média consumida).

Esta diferença em termos calóricos tem basicamente a ver com o teor alcoólico de cada uma das bebidas. Enquanto a cerveja nacional (tipo imperial) ronda os 5% de álcool o vinho tinto ronda os 12-14%. Dado que o valor calórico por grama de álcool é elevado: 7kcal/g  o valor calórico da bebida varia em função deste.  (quando comparado com os 4kcal/g dos hidrato de carbono e das proteínas ou os 9kcal/g das gorduras).

No entanto, a cerveja e o vinho, se consumidas com moderação, são duas bebidas alcoólicas muito mais benéficas do ponto de vista nutricional e de saúde, do que as bebidas destiladas. Vários estudos demonstram a sua eficácia e benefício na prevenção de várias doenças e com um forte papel antioxidante (especialmente no caso do vinho tinto).

 

Tags: bebidas saúde cerveja vinho moderação comportamento nutrição lillian barros
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!