Atual

O filme do mês (e mais dois imperdíveis)

Aproxima-se a contagem decrescente para a mais famosa cerimónia de prémios de cinema: os Óscares. Em dezembro, estes são os filmes que não pode perder.

10 de dezembro de 2019 | Rita Silva Avelar

Ter sido a primeira mulher a vencer o Queer Palm, no Festival de Cannes deste ano, com o filme Portrait de la Jeune Fille en Feu, escrito e realizado por si própria, é razão para virarmos as atenções para Céline Sciamma (Pontoise, Val-d’Oise, França, 1980), a jovem francesa que se estreou na realização com Water Lilies, em 2007. No título em inglês, Portrait of a Lady on Fire, este filme venceu, naquele festival, o Prémio de Melhor Argumento, além de ter sido nomeado para a Palma de Ouro. Sciamma constrói um cenário enigmático e desértico, numa pequena ilha da região da Bretanha, para narrar de forma astuciosa e sublime um romance proibido em 1770. É nele que se desenrola a história de Marianne (Noémie Merlant), uma jovem pintora que se vê confrontada com um desafio delicado: pintar um retrato de Héloïse (Adèle Haenel) sem que esta saiba, simulando ser a sua nova dama de companhia. Retrato, esse, que tem como finalidade chegar às mãos de um possível marido, em Milão. Héloïse, que acaba de sair de um convento e de sofrer com a perda de uma irmã, vê-se forçada a passar tempo com a companhia que a mãe, uma aristocrata da nobreza italiana (Valeria Golino), lhe impõe. A estranheza e o incómodo acabam por dar lugar a um subtil romance, à medida que os acontecimentos se adensam. O filme, que segundo a crítica do The Guardian tem alguns laivos criativos do universo cinematográfico de Hitchcock, brilha pela subtileza das prestações de Noémie Merlant e de Adèle Haenel, atrizes consagradas no cinema francês. Portrait of a Lady on Fire é, em última análise, um filme sobre o olhar feminino, escrito da perspetiva de uma mulher e que não contempla personagens masculinas no elenco. Um pormenor que não escapa à crítica da Forbes americana: "É um filme com um elenco feminino que explora o desejo do ponto de vista de uma mulher. Acima de tudo é a história de uma pintora num tempo da História em que os trabalhos artísticos das mulheres eram ignorados e, assim, assumidos como não existentes." Um ponto de vista que, argumento e prestações à parte, brilha só por si. Estreia a 31 de dezembro.

Nova musa

Além de ser um dos nomes no elenco do remake de Mulherzinhas, de Greta Gerwig, a atriz Florence Pugh (Oxford, Inglaterra, 1996) revela provas de um talento inato desde que se estreou há quatro anos. A prova está no Prémio de Revelação Feminina do Festival de Cannes deste ano. Entre séries e filmes tem-se destacado na minissérie The Little Drummer Girl, de 2018, e nos filmes The Falling, de 2014, Lady McBeth, de 2016, e Midsommar – O Ritual, de 2019. Surgirá com Scarlett Johansson em Black Widow, em 2020. Como escreve a crítica da Vanity Fair americana, Florence Pugh é a artista do ano. E é, sem dúvida, um dos novos rostos a prestar muita atenção no cinema.

Vidas

Scarlett Johansson é a protagonista do filme Marriage Story, do realizador Noah Baumbach (nomeado para um Óscar com o filme A Lula e a Baleia, de 2005). Revela um retrato intenso sobre o fim de um casamento e uma família que luta para permanecer unida. Adam Driver, Laura Dern e Merritt Wever são alguns dos nomes que se juntam ao de Johansson. Imperdível. Estreou a 6 de novembro, na Netflix. 

Em Portrait of a Lady on Fire, de Céline Sciamma, conta-se a história de Marianne (Noémie Merlant), uma jovem pintora que se vê confrontada com um desafio delicado: pintar um retrato de Héloïse (Adèle Haenel) sem que esta saiba, simulando ser a sua nova dama de companhia.
1 de 3 Em Portrait of a Lady on Fire, de Céline Sciamma, conta-se a história de Marianne (Noémie Merlant), uma jovem pintora que se vê confrontada com um desafio delicado: pintar um retrato de Héloïse (Adèle Haenel) sem que esta saiba, simulando ser a sua nova dama de companhia.
Além de ser um dos nomes no elenco do remake de Mulherzinhas, de Greta Gerwig, a atriz Florence Pugh (Oxford, Inglaterra, 1996) revela provas de um talento inato desde que se estreou há quatro anos.
2 de 3 Além de ser um dos nomes no elenco do remake de Mulherzinhas, de Greta Gerwig, a atriz Florence Pugh (Oxford, Inglaterra, 1996) revela provas de um talento inato desde que se estreou há quatro anos.
Scarlett Johansson é a protagonista do filme Marriage Story, do realizador Noah Baumbach (nomeado para um Óscar com o filme A Lula e a Baleia, de 2005). Estreou a 6, na Netflix.
3 de 3 Scarlett Johansson é a protagonista do filme Marriage Story, do realizador Noah Baumbach (nomeado para um Óscar com o filme A Lula e a Baleia, de 2005). Estreou a 6, na Netflix.
Saiba mais Portrait of a Lady on Fire, Mulherzinhas, Greta Gerwig, Scarlett Johansson, Water Lilies, Queer Palm, Jeune Fille en Feu, França, Pontoise, Céline Sciamma, Lady McBeth, The Little Drummer Girl, Noémie Merlant, Florence Pugh, Guardian
Relacionadas

O fenómeno Frozen: já passou e já voltou

A aguardada sequela de Frozen- O Reino do Gelo chegou aos cinemas no passado dia 21 de novembro. Muito mais do que o filme de Natal da Disney para 2019, Frozen 2 é a continuação de um dos maiores fenómenos de sempre dos estúdios de animação.

Mais Lidas
Realeza As amantes da vida de Juan Carlos

Num momento de especulação sobre o seu paradeiro, e após informar a casa real espanhola do seu afastamento, voltam a surgir as histórias da vida de um rei que nunca gostou de ser discreto.