Especiais

Quem é Daniela Vega, a actriz do momento?

Descoberta estrondosa do cinema chileno. Daniela Vega é a actriz do momento. Em Uma Mulher Fantástica, que já estreou, pode vir a ser a primeira transgender na corrida para a temporada dos prémios.
Por Rui Pedro Tendinha, 04.01.2018
Pode vir a ser a primeira pessoa transgender a ser nomeada para um Óscar. O mundo está a mudar e Daniela Vega, chilena de gema, está a aproveitar toda a atenção que Uma Mulher Fantástica, de Sebastián Lello, está a ter. O filme estreou no Festival de Berlim este ano e, desde aí, há uma campanha para a actriz ser nomeada aos Óscares para melhor interpretação feminina. Sim, Daniela Vega quer ser tomada como actriz e há uma grande campanha em Hollywood para este filme ser nomeado. Uma Mulher Fantástica segue as fórmulas do cinema de Pedro Almodóvar: melodrama drástico, personagens femininas maiores do que a vida e uma encenação tão operática como "camp". Uma história de uma transexual que depois do namorado mais velho morrer é perseguida pela família dele, descriminada pela sociedade e olhada de lado por todos. Mas esta mulher não desiste. Não desiste de ser mulher numa Santiago do Chile cheia de discriminações e preconceitos. Tal como Lello tinha feito em Gloria, onde seguia de perto a glória de uma mulher de meia-idade, aqui está de peito e coração com a personagem. Uma personagem "consumida" pela energia de Daniela Vega, performer de cabaret atraída pelo cinema.

Em San Sebastian, durante o festival, Daniela Vega já desfilava como estrela. É alguém que está disposto a jogar o jogo das estrelas: posa bem em red carpets, sabe aparecer a tempo nas entrevistas e veste sempre vestidos justos. Quando a conhecemos, juramos a pés juntos que a sua química sexual é a de uma jovem mulher, mesmo quando fingimos nem reparar no seu pescoço algo masculino. Daniela Vega é uma diva que está a gostar de ser diva: "A minha vida mudou depois deste filme, mas a vida é uma sucessão de mudanças, uma transacção de desvios. Eu acho isso tão normal... Claro que tenho a sensação de que me estou a expor muito, sobretudo de forma mediática. Mas trabalhei muito para chegar onde estou." A interpretação de Vega tem aquela qualidade genuína das "chicas" Almodóvar. Tem força e tem um vendaval verdadeiramente feminino. Sobre a possibilidade dos lobbies para a corrida dos prémios da Academia, esta ex-artista de clube nocturno fala em sonho: "Tudo o que tenho vivido através deste filme é um sonho. Chegar ao Óscar é mais um sonho..." Um sonho que passou por muitas etapas de pesadelo: "Sim, fui vítima de discriminação no meu colégio e, depois, de discriminação institucional. O Estado não reconhece a minha identidade, nem o meu género. No Chile, o meu nome no cartão de identidade é masculino. Vivo num país que não respeita a identidade das pessoas." Toda esta loucura em torno de Daniela Vega talvez seja muito mais do que um capricho exótico da imprensa e da própria indústria. Ela não estava à espera de um consenso tão grande de toda a crítica internacional: "Não quero ser vista como uma porta-voz de uma comunidade. Antes de mais, não sou uma activista, nem estou em nenhuma fundação... Sou apenas uma actriz que faz teatro e que canta ópera. Vamos ver o que se vai passar com a minha carreira. Por agora, tudo corre bem e eu desfruto." Esse desfrutar da actriz pode fazer com que tente a sua sorte em Hollywood. Daniela Vega assume isso sem problemas: "Tenho a teoria que é a vida que nos convida. Veja-se o meu caso. Eu estava a fazer uma peça de teatro musical e ópera, quando fui convidada, em 2014, para fazer A Visita, de Mauricio López Fernández. Não acordei a pensar que, um dia, iria estar envolvida num filme. Agora, aproveito o dia-a-dia! Em breve adoraria representar em Inglês! Gostaria também de fazer de [princesa] Diana ou de uma mulher grávida! O tema da maternidade é interessante."

Apesar de Uma Mulher Fantástica ser um pequeno filme independente, o seu nome já está nas bocas do mundo. Daniela assume ter feitio para ser um ícone, uma mulher famosa. Filha de uma dona de casa, também teve de vencer preconceitos, tal como a personagem do filme. Agora, o mais importante é poder dizer bem alto que é feliz. "Uma mulher feliz", corrige. "Disseram-me que era impossível lograr tudo isto. Quando eu era mais nova ninguém me ajudou! Tudo o que consegui foi uma conquista, sobretudo antes de ser mulher!", conta. O sucesso, afinal, pode ser uma vingança contra a sociedade e é a própria que acrescenta, enquanto bebe um café: "Eu creio que sempre fui mulher. No começo, antes de me apresentar como mulher, também cantava, mas não queria ir para cima do palco." Como actriz, Daniela Vega representa com uma ferocidade sensual muito rara. Poderia ser uma legítima "chica" Almodóvar. Esse é o maior elogio para a eventual primeira trans woman nomeada para um Óscar.

Daniela Vega no filme 'Uma Mulher Fantástica', de Pedro Almodóvar

Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!