Livros

Livro ‘Fire and Fury’: as mulheres da vida de Trump

Chama-se Fire and Fury: inside the Trump White House e chegou às livrarias americanas no início de janeiro. As suas páginas falam de política, mas também abordam, uma a uma, as mulheres da vida de Trump.
Por Rita Silva Avelar, 19.01.2018
Um relato dos primeiros nove meses do presidente americano na Casa Branca, o novo livro de Michael Wolff narra de forma incendiária todos os acontecimentos que marcaram o início do mandato de Trump, a par da sua personalidade controversa (e ameaçadora) e à luz das decisões políticas por si tomadas até à data. Entre as revelações que Wolff faz no livro estão as opiniões de alguns elementos da equipa de Trump sobre o próprio; as verdadeiras razões do despedimento do diretor do FBI James Comey; os motivos que afastaram o chefe de estratégia Steve Bannon depois do desentendimento do genro de Trump, Jared Kushner (casado com Ivanka Trump); o segredo da comunicação com Trump; e o que é que a administração do presidente tem em comum com o filme The Producers.

Mas há mais: numa abordagem à sua vida pessoal, Wolff fala sobre as mulheres da vida do presidente americano, da primeira-dama, Melania Trump, à sua diretora de comunicação atual, Hope Hicks. No caso da relação com a sua mulher, o seu terceiro casamento, os relatos de Wolff revelam aquilo que se esperava: o casal pouco se encontra, mesmo quando estão ambos na Trump Tower levam semanas sem se cruzarem. Um pai ausente para os seus primeiros quatro filhos, Trump ainda o foi mais com Barron, o filho que tem em comum com Melania. Sobre Ivanka, o autor traça um retrato de uma filha que segue as pisadas do pai sem qualquer tipo de escrúpulos. Líder, com o marido, de um negócio milionário relacionado com compra e venda de obras de arte, Ivanka aproveitou a campanha presidencial do pai como um embalo ao próprio negócio, algo que permanece, como uma premissa, até hoje. Em última instância, Ivanka não se envergonha das decisões políticas de Trump: por outro lado, reforça-as, remetendo-se ao silêncio. Exceto quando, recentemente, e depois da cerimónia dos Globos de Ouro, usou o Twitter para expressar o seu apoio ao movimento #MeToo. O que levantou uma onda de comentários de protesto por parte de várias atrizes, que criticaram o cinismo de Ivanka, que nada fez para mudar o comportamento sexista do pai, ele próprio acusado de assédio sexual, ao longo destes nove meses.

No livro, Wolff fala da jovem Hope Hicks, a diretora de comunicação do departamento de Donald Trump, e de um episódio particular que surgiu entre ambos após se descobrir que Hicks tivera um caso amoroso com Corey Lewandowski, o primeiro manager da campanha de Donald Trump. Em consequência, Lewandowski foi despedido em junho de 2016. Logo depois, na Trump Tower, Hicks manifestou a sua preocupação ao presidente pelas repercussões que o caso teria na imprensa. A resposta de Trump? "Porquê? Já fizeste o suficiente por ele. Tu serás sempre o melhor rabo que ele alguma vez terá." Mais uma vez, sexista.

Em relação ao livro, Trump tem alegado que o conteúdo é falso. "Vamos olhar com muita atenção para as leis do nosso país para que alguém que diga coisas falsas e difamatórias sobre outra pessoa tenha o que merece nos tribunais", escreveu a 10 de janeiro, num depoimento. Fire and Fury: inside the Trump White House vai ser editado em Portugal em fevereiro pela Almedina. 
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
0 Comentários
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!