Tendências

Aldeia da camisa branca

Sabemos que é um dos essenciais do guarda roupa feminino, mas o que nos faz regressar uma e outra vez a esta emblemática peça? A certeza de um clássico nunca fez tanto sentido como agora.

Veste ícones desde sempre e é constantemente reinventada pelos designers de moda, um símbolo de estilo que vai além de tendências e estações numa altura em que a moda se tenta agarrar a tudo o que permanece inabalado pela era da rapidez. Falamos da camisa branca, este statement que acompanhou estrelas de Hollywood como Brigitte Bardot, Marylin Monroe ou Audrey Hepburn, no grande ecrã e fora dele, e que foi protagonista de tantos desfiles de moda – para o próximo inverno, a Chanel desenhou uma versão cheia de folhos e a Marque’s Almeida apresentou uma camisa branca mais sporty e com diferentes comprimentos. .

Totalmente desabotoada, escondida debaixo de um casaco (mas com a gola de fora), entalada nos jeans ou mesmo… sozinha – vale quase tudo nas interpretações que cada mulher, à sua maneira, faz da peça. Carolina Herrera, por exemplo, encontrou na camisa branca a sua imagem de marca e quem não se lembra do look de uma certa Uma Thurman em Pulp Fiction (1994)? A verdade é que até chegar ao street style de hoje e muito antes da popularização nos feeds de Instagram, este clássico vestiu alguns dos momentos mais elegantes do cinema, moda e artes, de Angelina Jolie em Mr. e Mrs  Smith em 2005 a Audrey Hepburn em Breakfast at Tiffany’s (1961). Infinitamente versátil e completamente intemporal, está desde o século XIX a fazer-nos parecer bem, prova de que menos é quase sempre mais.
Partilhar
Ver comentários
Últimas notícias
Vídeos recomendados
2 Comentários
Anónimo Gosto muito de ter sempre notícias sobre moda e não só para estar sempre actualizada na sociedade
Há 2 dias
Anónimo NÃO CONVEM É VESTIR CAMISAS PRETAS, PODE SER ACUSADA DE RACISMO!
Há 1 semana
Subscrever newsletter Receba diariamente no seu email as notícias que selecionamos para si!